Gianicolense (quartiere)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Quartiere Gianicolense

Gianicolense é o décimo-segundo quartiere de Roma e normalmente indicado como Q. XII. Este mesmo topônimo indica a zona urbana 16D do Municipio XVI da região metropolitana de Roma Capitale. Seu nome é uma referência ao monte Janículo. É amplamente conhecido como Monteverde.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Brasão do Quartiere Gianicolense.

O quartiere Gianicolense fica localizado na zona oeste da cidade, da Muralha do Janículo até a Via del Casaletto e a Riserva naturale della Valle dei Casali, entre a Via Aurelia Antica e a Via Portuense. Suas fronteiras são:

  • ao norte está o quartiere Q. XIII Aurelio, separado pela Via Aurelia Antica, da Via Leone XIII até a Piazzale Aurelio (Porta San Pancrazio), e com o rione Trastevere, separado pela Viale delle Mura Gianicolense inteira a partir da Piazzale Aurelio (Porta San Pancrazio) e pela Viale Aurelio Saffi e a Viale delle Mura Portuensi até a Piazzale Portuense (Porta Portese).
  • a leste está o quartiere Q. XI Portuense, separado pela Via Portuense, da Piazzale Portuense até o Largo Gaetano La Loggia.
  • ao sul está o subúrbio S. VII Portuense, separado pela Via Portuense, do Largo Gaetano La Loggia até a Via del Casaletto.
  • a oeste está o subúrbio S. VIII Gianicolense, separado pela Via del Casaletto inteira, da Via Portuense até a Piazzetta del Bel Respiro e da Via della Nocetta inteira até a Via Aurelia Antica.

Este quartiere compreende diversas áreas urbanas: Monteverde Vecchio, Monteverde Nuovo, Ponte Bianco, Donna Olimpia, Porta Portese, Colli Portuensi e Nuovo Trastevere (esta última, a única pertencente ao Municipio XI). O monte Janículo propriamente dito está no rione Trastevere, mas sua encosta ocidental corresponde à região de Monteverde, que, por sua vez, é uma referência ao tufo de cor verde-amarelada que era encontrado antigamente na região.

História[editar | editar código-fonte]

Gianicolense tem uma história muita rica[1], especialmente por sua proximidade com cidade antiga: ali estavam os "Jardins de César", diversos locais sagrados da antiga religião romana e algumas catacumbas de Roma, judaicas e cristãs, entre as quais a Catacumba de Ponciano e a Catacumba de São Pancrácio, além da antiquíssima basílica de San Pancrazio. Na antiguidade, o território era atravessado por uma via que seguia o traçado da moderna Via di Monteverde, uma travessa da Via Portuense, e cujo trecho inicial é hoje reconhecível na Via Parini, e da Via Vitellia, que ligava o Janículo com a costa tirrênica.

No século XVII, a partir da fusão de diversas vinhas particulares, foi criado, ao norte do atual quartiere, a Villa Doria Pamphilj[2], um parque público desde 1972. A área da villa, juntamente com o Vascello e a Porta San Pancrazio, foi o palco, em 1849, da sangrenta batalha pela defesa da fugaz República Romana.

Com base no plano diretor (em italiano: Piano Regolatore ) de 1909, na área mais próxima à Muralha do Janículo foi criada a primeira expansão urbana de Monteverde Vecchio (Via Carini e a Piazza Rosolino Pilo), caracterizada por villinos aristocráticos com jardim, similar ao plano diretor vigente na "cidade histórica". Gianicolense estava entre os quinze primeiros quartieri criados em 1911 e oficialmente instituídos em 1921. As construções continuaram durante o regime fascista com a construção de casas populares (chamadas de "grattacieli") no vale da Via di Donna Olimpia (ocupada antes pelo fosso di Tiradiavoli até a Ponte Bianco, uma estrutura ferroviária da década de 1920), com o Ospedale del Littorio (atual San Camillo) e com os palacetes sobre o relevo elevado de Monteverde Nuovo, centrado na Piazza San Giovanni di Dio. Somente depois da Segunda Guerra Mundial que a região de Colli Portuensi começou a ser ocupada, o que ocorreu juntamente com a abertura da via homônima como parte das obras para a Vila Olímpica de Roma.

Brasão[editar | editar código-fonte]

A descrição oficial do brasão de Gianicolense é: De vert uma cabeça de Jano com duas faces de or[3].

Vias e monumentos[editar | editar código-fonte]

Antiguidades romanas[editar | editar código-fonte]

Edifícios[editar | editar código-fonte]

Palácios e villas[editar | editar código-fonte]

Outros edifícios[editar | editar código-fonte]

Igrejas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Arizza, Marco; Palombi, Cinzia (2013). Rossi, D.; Di Mento, M., eds. «Tipologie insediative nella zona di Monteverde dalla tarda Repubblica all'epoca tardoantica». Roma: Provincia di Roma - Roma Capitale. La catacomba ebraica di Monteverde: vecchi dati e nuove scoperte (em italiano) 
  2. Benocci, Carla (2005). «Villa Doria Pamphilj». Roma: Municipio Roma XVI (em italiano) 
  3. Carlo Pietrangeli, p. 192
  4. Anappo, Antonello. «Tomba dell'Airone» (em italiano). Arvalia Storia 
  5. «Villa Flora» (em italiano). Sovrintendenza Capitolina ai Beni Culturali 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]