Gibi (revista em quadrinhos)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a revista de história em quadrinhos chamada Gibi. Para história em quadrinhos em geral, veja Revista em quadrinhos.

Gibi foi o título de uma revista brasileira de história em quadrinhos, cujo lançamento ocorreu em 1939. Graças a ela, no Brasil o termo gibi tornou-se sinônimo de "revista em quadrinhos" (banda desenhada, em Portugal). Na época, Gibi significava moleque, negrinho, porém, com o tempo a palavra passou a ser associada a revistas em quadrinhos e, desde então, virou uma espécie de "sinônimo".[1]

Era publicada pelo Grupo Globo, como concorrente da revista Mirim de Adolfo Aizen. Este editor, futuro fundador da EBAL, foi o pioneiro dos quadrinhos publicados como suplemento de jornal no Brasil (ideia que retirara de uma viagem aos Estados unidos), com o seu Suplemento Juvenil que acompanhava o jornal "A Nação". Mais tarde, o jornal O Globo copiou a ideia e lançou um suplemento chamado O Globo Juvenil.[2]

O Gibi teve originalmente em suas páginas tiras diárias e pranchas dominicais[3] Charlie Chan (personagem que, anos depois, ganharia um desenho animado pela Hanna-Barbera), Brucutu, Ferdinando (ou Família Buscapé[4] ) e vários outros personagens das histórias em quadrinhos.

No ano de 1974 a antiga Rio Gráfica Editora (atualmente conhecida como Editora Globo) teve a iniciativa de relançar nas bancas brasileiras a revista Gibi.

Em outubro de 1993, a Editora Globo lançou outra revista com um título homônimo.[5] A editora publicava periodicamente alguma revista com o título para não perder os direitos sobre ele.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas
  1. Marcelo Naranjo. «Gibi Semanal». Universo HQ. Consultado em 12/05/2010. 
  2. Sidney Gusman. «A Guerra dos Gibis». Universo HQ. Consultado em 12/05/2010. 
  3. Nobu Chinen. «Um Almanaque que não está mais no Gibi». Universo HQ. 
  4. Alex Medeiros (17/09/2009). «75 anos de Ferdinando». Jornal de Hoje. Consultado em 05/11/2009. 
  5. Thiago Rique. «Gibi 1 - O Casamento do Fantasma». Universo HQ. Consultado em 12/05/2010. 
Web

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Gibi no site Memória Marinho
Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete gibi.
Mídia impressa
Outras mídias
Internet
Produção e distribuição
Telecomunicações
Antigas empresas
Relacionado

Página de categoria Categoria

  1. a b c d e f g Joint-venture com a Playboy do Brasil Entretenimento.
  2. Joint-venture com os estúdios de cinema 20th Century Fox, Paramount Pictures, Universal Studios e Metro-Goldwyn-Mayer.
  3. a b c Joint-venture com a NBCUniversal.
  4. Joint-venture com a Condé Nast Publications.
  5. Joint-venture com o Grupo Folha.
  6. Joint-venture com a Endemol.
  7. Participação minoritária, empresa administrada pela DirecTV.
  8. Joint-venture, participação acionária de 15%
Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.