Gigantophis garstini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Gigantophis)
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaGigantophis garstini
Gigantophis JWArtwork.png

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Sauropsida
Ordem: Squamata
Família: Madtsoiidae[1]
Género: Gigantophis
Espécie: G. garstini[1]
Nome binomial
Gigantophis garstini
C. W. Andrews, 1901[2]

Gigantophis garstini ("sepente gigante de Garstin") é uma espécie de cobra pré-histórica que viveu ha cerca de 40 milhões de anos no norte do atual Saara, onde agora ficam Egito[3] e Argélia. Antes da descoberta da Titanoboa cerrejonensis em 2009, a Gigantophis era considerada a maior espécie de serpente já descoberta, com aproximadamente 10 metros de comprimento[4].

Era a única espécie do género Gigantophis, da família Madtsoiidae, de serpentes extintas. A espécie é conhecida por alguns poucos ossos, em sua maioria vértebras.

Tamanho[editar | editar código-fonte]

Jason Head, da Smithsonian Institution em Washington, DC tem comparado às vértebras de fósseis de Gigantophis com aquelas das cobras atuais, concluindo que este poderia crescer até entre 9,3 metros a 10,7 metros de comprimento. Se tiver mesmo sido assim, seria até 10% mais longa do que as maiores espécies atuais [5][6].

Apesar de seu tamanho, ainda não se sabe qual o seu habitat, se marítimo ou terrestre. No entanto, tem sido sugerido que, como a sucuri, a Gigantophis teria sido uma habitante de pântanos e predava animais grandes, do tamanho de gazelas ou até mesmo proboscídeos como o Moeritherium.

Um espécime desta cobra poderia ter sido um habitante de pântanos que caçava presas do tamanho de um gazela ou até maiores, tais como o proboscídeo primitivo Moeritherium.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Andrews, C.W. 1901. Preliminary note on some recently discovered extinct vertebrates from Egypt (Part II). Geological Magazine 8: 434-444.
  • Andrews, C.W. 1906. A descriptive catalogue of the Tertiary Vertebrata of the Fayum, Egypt. British Museum (Natural History), London.

Referências

  1. a b «Gigantophis». The Paleobiology Database. Consultado em 2012-07-11. 
  2. «Gigantophis garstini». The Paleobiology Database. Consultado em 2012-07-10. 
  3. Editorial, Reuters. . "Titanic ancient snake was as long as Tyrannosaurus" (em en-GB). Reuters UK.
  4. Editorial, Reuters. . "Titanic ancient snake was as long as Tyrannosaurus" (em en-GB). Reuters UK.
  5. Um gigante entre cobras New Scientist 11/13/04, Volume 184, Issue 2473. http://www.newscientist.com/article/mg18424732.500-a-giant-among-snakes.html
  6. Head, J. & Polly, D. 2004. They might be giants: morphometric methods for reconstructing body size in the world’s largest snakes. Journal of Vertebrate Paleontology 24 (Supp. 3), 68A-69A. [S.l.: s.n.] 


Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa taxonómica.