Gilberto Dimenstein

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gilberto Dimenstein
Nome completo Gilberto Dimenstein
Nascimento 28 de agosto de 1956 (63 anos)
São Paulo, São Paulo
Ocupação Jornalista e escritor
Nacionalidade brasileiro
Trabalhos notáveis Catraca Livre
Folha de S.Paulo
Rádio CBN
Jornal do Brasil
Veja
Correio Braziliense
Visão

Gilberto Dimenstein (São Paulo, 28 de agosto de 1956) é um escritor e jornalista brasileiro. É o criador do portal Catraca Livre, e foi comentarista da Rádio CBN. Foi também colunista da Folha de S.Paulo por 28 anos.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Gilberto Dimenstein, filho do pernambucano de origem polonesa Adolfo Dimenstein e de uma paraense de ascendência marroquina, é oriundo de uma família judaica. Seus pais instalaram-se na Vila Mariana, distrito de São Paulo.[2][1]

Estudou no Colégio I. L. Peretz, em São Paulo. Formado na Faculdade Cásper Líbero, foi colunista da Folha de S.Paulo e esteve na Rádio CBN. Já foi diretor da Folha de S.Paulo na sucursal de Brasília e correspondente internacional em Nova Iorque daquele periódico. Trabalhou também no Jornal do Brasil, Correio Braziliense, Última Hora, revista Visão e Veja. Foi acadêmico visitante do programa de direitos humanos da Universidade de Columbia, em Nova Iorque.[1]

Por suas reportagens sobre temas sociais e suas experiências em projetos educacionais, Gilberto Dimenstein foi apontado pela revista Época em 2007 como umas das cem figuras mais influentes do país.

Ganhou o Prêmio Nacional de Direitos Humanos junto com Paulo de Evaristo Arns, o Prêmio Criança e Paz, do Unicef, Menção Honrosa do Prêmio Maria Moors Cabot, da Faculdade de Jornalismo de Columbia, em Nova York.[3] Também ganhou os prêmios Esso (categoria principal) e Prêmio Jabuti, em 1993, de melhor livro de não-ficção, com a obra "Cidadão de Papel".[3]

Foi um dos criadores da ANDI - Comunicação e Direitos, uma organização não-governamental que tem como objetivo utilizar a mídia em favor de ações sociais. Em 2009, um documento preparado na Escola de Administração de Harvard, apontou-o como um dos exemplos de inovação comunitária, por seu projeto de bairro-escola, desenvolvido inicialmente em São Paulo, através do Projeto Aprendiz. O projeto foi replicado através do mundo via Unicef e Unesco.[4]

O senador Cristovam Buarque, que criou a Bolsa-escola quando era governador do Distrito Federal, revelou, em livro intitulado " A força de uma ideia", de Carlos Herique Araújo e Marcelo Aguiar, que Dimenstein é um dos inspiradores desse programa.[5]

Participou do programa de liderança avançada de Harvard e é o idealizador do site Catraca Livre, eleito o melhor blog de cidadania em língua portuguesa pela Deutsche Welle.[6] O objetivo principal do site é agrupar informações que mostrem possibilidades acessíveis e de qualidade, virtuais ou presenciais, em várias áreas da atividade humana - cultura, saúde, mobilidade, educação, esportes e consumo -, em diferentes capitais do Brasil. Presente também no Facebook, rede social na qual possui quase 8 milhões de seguidores, o Catraca se propõe a revelar personagens, tendências e projetos que inspirem soluções comunitárias inovadoras e inclusivas, mas também incita debates envolvendo questões sociais, culturais e políticas.[7]

Em dezembro de 2013, Dimenstein anunciou, na própria coluna que escrevia para a Folha de S.Paulo, seu desligamento do jornal, do qual foi colunista por 28 anos.[8]

Em 13 de fevereiro de 2017, Dimenstein deixou a Rádio CBN para criar um projeto próprio.[9]

Em 2019, foi diagnosticado com um câncer no pâncreas. [10]

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Gilberto Dimenstein - Portal dos Jornalistas». www.portaldosjornalistas.com.br. Consultado em 24 de julho de 2017 
  2. «Ingratos com São Paulo». Folha de S.Paulo. Consultado em 20 de julho de 2019 
  3. a b Biografia de Gilberto Dimenstein na página do Palestras e Palestrantes.
  4. «Gilberto Dimenstein fala sobre projeto Aprendiz e sistema educacional». Band.com.br. Consultado em 31 de dezembro de 2019 
  5. «Gilberto Dimenstein: Ruth Cardoso é personagem por trás do Bolsa-Família». Bol. Uol. 25 de junho de 2008. Consultado em 2 de março de 2017 
  6. «Colunistas: Gilberto Dimenstein | Folha». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 6 de outubro de 2016 
  7. «Quem somos». Catraca Livre 
  8. «Focado em projeto de inovação, Gilberto Dimenstein deixa a Folha de S. Paulo». Portal Comunique-Se. 11 de dezembro de 2013. Consultado em 12 de dezembro de 2013 
  9. «Gilberto Dimenstein se despede da CBN para investir em projeto de vídeos». Comunique-se. 13 de fevereiro de 2017. Consultado em 16 de fevereiro de 2017 
  10. «'Aquele Gilberto Dimenstein de antes do câncer morreu'». Folha de S.Paulo. 30 de dezembro de 2019. Consultado em 31 de dezembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.