Gileno Santana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde junho de 2018).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Gileno Santana (Salvador (Bahia), 5 de maio de 1988) é um trompetista, arranjador, docente e compositor luso-brasileiro, e "Artista Internacional Schagerl", premiado e com projecção mundial.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Inicia os estudos musicais em 2003 na Banda de Música de Pindoretama, interior do Ceará aos 13 anos, mais tarde ingressa na Banda de música Dona Luíza Távora - Piamarta, sob a regência do maestro Costa Holanda.

Em 2005- Ingressa no Colégio Manuel Novaes- SA na classe de trompete do Prof. Joatan Nascimento. Ainda em 2005 participa na gravação do álbum do saxofonista americano Mike Ellis com o projeto Bahia Band, juntamente com os principais músicos do panorama musical baiano.

Grava com diversos artistas brasileiros entre os quais, Alexandre Pires, Ivete Sangalo, Sandra de Sá, Harmonia do Samba e Gilmelândia.

Em 2006, muda-se para Portugal, não conseguindo entrar no Conservatório de Música de Lisboa tendo sido reprovado pelo júri.

Em 2007- Ingressa na Escola de Jazz Hot Club onde estuda com o Prof. João Moreira.

Em 2008- Ingressa na Escola de Música e Artes do Espectáculo onde é convidado para integrar a Orquestra Jazz de Matosinhos.

Em 2010 com a OJM- Assume o cargo de “Lead Trumpet”, e trabalha com Jim Mcneely, Chris Cheek, Mark Turner, Ohad Talmor, Andy Sheppard, Lee Konitz, Joshua Redman, Maria Schneider, Carla Bley, Steve Swallow, Jason Moran, Dan Weiss, Maria Rita, Maria João, Mayra Andrade, Steven Bernstein, James Argue, Guillermo Klein, Julian Arguelles, Florian Ross, Pierre Bertrand, João Paulo Esteves da Silva, Manuela Azevedo, Michael Mantler, Sérgio Godinho, Fred Hersch, Manel Cruz e Rebecca Martin. Ainda com a OJM grava três álbuns, todos eles como Lead Trumpet, intitulados “Amoras e Framboesas”, “Jazz Composers Forum” e “Bela Senão Sem”.

Com a OJM participou nos maiores Festivais de Jazz do país, e internacionalmente tocou nos seguintes Festivais de Jazz: Festival de Big Bands de Pertuis-FR, Festival Internacional de Jazz de Barcelona- ES, Festival de Jazz de Vigo- ES e Festival Internacional de Jazz de Xábia- ES. Toca ainda na conceituada Wiener Konzerthaus-AT e nos famosos clubes de jazz, Birdland, Jazz Standard e no mítico Blue Note NY, numa residência de 6 dias com o guitarrista Kurt Rosenwinkel.

Discofrafia[editar | editar código-fonte]

  • 2010- Grava o primeiro álbum, intitulado “Início” (edição de autor), com o projecto GS Quartet. Neste álbum conta com as participações de Hermeto Pascoal, Hamilton de Holanda e Mário Santos.
  • 2014- Grava o segundo álbum com o projecto Metamorfose, intitulado, “Metamorphosis”. Teve o selo da editora Italiana (Caligola Records), e nele pode cimentar o estatuto de artista no panorama do jazz nacional. O disco foi considerado pela Jazz.PT e JazzLogical um dos melhores discos do ano de 2014.
  • 2016- Apresenta no Jornal 2 da RTP, com o jornalista João Ramos, o álbum “Inevitável”. Este projecto com o guitarrista Tuniko Goulart, e com o selo (Caligola Records), atingiu um nível de popularidade mundial. Uma composição de Gileno Santana, “Malaco”, tornou-se num verdadeiro fenómeno, popularizando-se nas redes sociais. Contou com a partição de mais de 100 músicos de várias partes do mundo, tornando um tema viral. A repercussão possibilitou uma tour de 48 concertos no ano de 2016, somente com o projecto GS&TG, passando por palcos como CCB, Casa da Música, Museu Nogueira da Silva, Museu Júlio Diniz, Salão Brazil, Auditório Olga Cadaval, Festivais de Jazz/Música de, Ponte Lima, Jantar, Viseu, Loulé, Paredes de Coura, etc… Internacionalmente pode tocar no Festival de Jazz de Seul- KR e Festival de Jazz de Daegu- KR. E uma digressão por países como República Checa, Hungria, Áustria, Suíça e Inglaterra.
  • 2017- Apresenta o primeiro single “Ciranda” do mais novo projecto juntamente com a acordeonista Inês Vaz intitulado, “Ciranda”, com participações de Manel Cruz e Vitorino Salomé.


Arranjador e Músico de Estúdio[editar | editar código-fonte]

  • Foi o responsável pelos arranjos de sopros da banda pop, Expensive Soul, de 2010 até 2014.

Com os Expensive Soul fez parte de uma equipa que ganhou um globo de ouro em 2011 e que gravou 2 álbuns (Expensive Soul Symphonic Experience- DVD e Sonhador), ambos com arranjos seus.

Docente[editar | editar código-fonte]

Como docente é frequentemente convidado para ministrar masterclasses, partilhando nesse contexto conhecimento em diversos países, tanto em instituições públicas como privadas, tais como: Conservatório de Música de Tatuí- SP/BR, Góis Jazz Internship- PT, Oficina de Metais- PT, Conservatório de Música de Corunha- ES, Workshop de Jazz em Cubatão- SP/BR, Workshop de Jazz na OMB- SP/BR, Workshop de Jazz no Sindicato dos Músicos em São Paulo- SP/BR, Palestra sobre Big Band na Universidade Federal de Minas Gerais- MG/BR, Workshop de Jazz no Auditório Lorenzo Fernandez- RJ/BR, Estágio de Big Band-Festival Junior- PT, Trumpet Summit in Pescara- IT, Almost6-PT, Escola Superior de Iwate-JP, 1ª Festival de Trompete no Conservatórios Música do Porto- PT, Master Class no Conservatório de Música de Ponta Delgada- PT, Conservatório de Música de Rovigo-IT, Workshop de Jazz na Escola AçorMusic-PT, Workshop na Schagerl Store Tokyo- JP, Palestra sobre Big Band no Conservatório de Música de Seia- PT e 2º Festival de Trompete no Conservatório de Música de Coimbra- PT. Lecionou na Escola de Jazz do Porto desde 2008 até 2010. No mês de outubro 2017 foi o professor residente da Universidade Australiana “James Morrison Academy” em Mount Gambier- AU, lecionando disciplinas de trompete, Orquestra Jazz, Côro, Estética Musical e Combo. Atualmente é professor da disciplina Trompete Jazz no Conservatório de Música do Porto.


Colaborações[editar | editar código-fonte]

*Colaborou com Tony Allen, Amp Fiddler, Munir Hossn, James Morrison, Edmar Castaneda, Andy Hunter, Marshall Glikes, Bob Stewart, Thomas Gansch, Dick Oats, Hermeto Pascoal, Adam Rapa, Maceo Parker.

*Foi o solista convidado pela Orquestra Sinfónica da Casa da Música para fazer o programa com o cantor Gregory Porter em 2015 e 2017;

*Colaborou também com o projeto Italiano “PoLo”, onde gravou o álbum “Plesure” pela editora Italiana (Auand); através deste projeto, pode realizar dezenas de concertos no norte da Itália.

*Com o seu projeto residente em Zurique - CH, “Egli-Santana Group”,

*Ainda na Suíça, faz parte da Orquestra de Jazz DRO - David Regan Orchestra.


Prémios e Patrocínios[editar | editar código-fonte]

Vencedor do concurso Internacional de Jazz BEJAZZ14 na cidade de Berna-CH com o projecto suíço “Egli-Santana Group”.

Medalha de Honra atribuída pela Ordem dos Músicos do Estado de São Paulo.

Nos últimos anos obteve patrocínios de marcas internacionais de trompete, tais como “Inderbinen- CH”, “Schagerl- AT” (onde tem uma linha própria de bocais e trompete), Applied Microphone Technology e Joyo. É embaixador da marca britânica Fred Perry em Portugal.


Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Referências

https://news.schagerl.com/index.php?content=artistsundfriends_detail&warengrupp=instr100100&order=bestand_absteigend&SessID=XeGwemE3qg8twWC0_68560089&search_id=7F12AA53-691F-49A7-97E4-28EB2174AA45