Gilmelândia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gilmelândia
Gilmelândia em 2016.
Informação geral
Nome completo Gilmelândia Palmeira dos Santos
Também conhecido(a) como
  • Gil
  • Gil Melândia
Nascimento 20 de setembro de 1975 (41 anos)
Origem Salvador, Bahia
País  Brasil
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Instrumento(s)
Período em atividade 1998–presente
Gravadora(s) Universal (2001–02; 2004; 2008)
Abril (2003–2004)
EMI (2004–2006)
Afiliação(ões) Banda Beijo
Página oficial Gilmelandia.com.br

Gilmelândia Palmeira dos Santos (Salvador, 20 de setembro de 1975), conhecida apenas como Gilmelândia ou Gil, é uma cantora, compositora, apresentadora e atriz brasileira. Integrou o grupo de axé music Banda Beijo entre 1998 e 2001, onde gravou três álbuns, sendo dois em estúdio e um ao vivo, retirando grandes sucessos como "Arrastão", "Peraê", "Bate Lata" e "Apaixonada".[1]

Em 2001, após sair do grupo, lançou seu primeiro álbum, intitulado Me Beija, trazendo como carro-chefe a canção "Maionese". Em 2002, lançou seu segundo álbum, Movimento, e em 2003 fez sua estreia solo ao vivo com o álbum Gilmelândia ao Vivo. Em 2005, voltou ao cenário musical embalada pela canção "Chegou o Verão", presente no álbum O Canto da Sereia. Quatro anos depois, em 2009, lançou um single independente, "Dominado", último trabalho lançado antes de a cantora dedicar-se aos vocais da banda Vixe Mainha a partir daquele ano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha de Joana D’Arc Palmeira e Orlando dos Santos, Gilmelândia Palmeira dos Santos nasceu na cidade de Salvador, capital da Bahia. Seu nome é uma junção de Jumelândia, homenagem a uma amiga de sua mãe, com Gil, referente à Barra do Gil, praia da Ilha de Itaparica, onde seus pais passaram a lua-de-mel, tendo como irmãos Angstron (Tom), Celsius e Flávia.[2]

Apesar de ter passado por uma infância pobre, tendo uma família humilde, Gil sempre nutriu o sonho de ser artista, mesmo contra a vontade da mãe que, segundo a cantora, lhe dava surras de caçarola para que desistisse do sonho.[3] Na adolescencia começou a fazer serviços domésticos em Brotas, bairro de classe média de Salvador, sendo que na mesma época se formou no magistério e se tornou professora.

Carreira[editar | editar código-fonte]

1990–97: Início da carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1990, aos 15 anos, uma vizinha lhe apresentou o músico Tom Caldas, após ouvir Gil cantar diversas vezes, sendo que o cantor se tornou seu parceiro musical e futuramente namorado. Ainda com o impedimento da família, que temia o envolvimento da cantora com bebidas e drogas, Gil passou a cantar escondida em bares e festivais junto com Tom, fugindo de casa para se apresentar. A dupla tinha apenas um equipamento de som que carregavam e instalavam. Conciliando com a dupla, Gil integrou outras bandas como Pinote, Jóia e Laranja Mecânica. Em 1997, se separou da dupla com Tom Caldas, encerrando sua carreira independente em um último show Lagoa do Abaeté, após assinar com a Universal Music para ser a nova vocalista da Banda Beijo.[4]

1998–01: Banda Beijo[editar | editar código-fonte]

Em 1998, Marquinhos Carvalho, backing vocal do cantor Netinho ouviu uma fita K-7 de Gilmelândia gravada independente e levou para o cantor, que procurava um novo vocal para a Banda Beijo, grupo que tinha saido em 1992 para seguir carreira solo e estava parado desde então sem um vocalista ou gravação de álbuns. Após contatar Gilmelândia e assinarem com a Universal Music para lançá-la como a nova cantora da Banda Beijo, a gravadora lhe sugeriu que usasse como nome artístico apenas Gilmelândia, para melhor compreendimento do público. A cantora passou por nove meses de preparação de canto e dança, além de emagrecer dez quilos e cortar os cabelos longos em forma de cocós (birotes amarrados com fios de arame). O guarda-roupas passou também por uma transformação, trocando os vestidos colados por calças folgadas, aderindo ainda tatuagens de hena e piercings, compondo um visual andrógino, inspirado na juventude londrina, tendo o novo visual assinado pelo estilista gaúcho Miguel Carvalho.[5]

Ainda em 1998 a Banda Beijo lançou seu primeiro álbum com Gilmelândia nos vocais, o Banda Beijo Ao Vivo em balado pela canção "Peraê", que rapidamente alcançou o primeiro lugar no Hot 100 Brasil, sendo que em outubro a banda estreia sua primeira turnê com a nova formação no Rio de Janeiro. Nessa época Gilmelândia ficou marcada pela frase "Não é Banda Beijo? Então tem que ter beijo", incentivando as pessoas a se beijarem nos shows enquanto cantava o sucesso "Beijo Na Boca", canção dos tempos de Netinho como vocalista.[6] Em 1999, a banda lançou seu segundo álbum com a cantora, intitulado Meu Nome é Gil e, em 2000, foi lançado Apaixonada, o terceiro e último álbum com Gilmelândia como vocalista, embalado pelo sucesso "Bate Lata", antes da cantora deixar a banda para seguir carreira solo, aconselhada por seu empresário e pelo cantor Netinho.[7]

2001–presente: Carreira solo[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2001, Gilmelândia lança seu primeiro single, "Maionese", carro-chefe de seu primeiro álbum solo, Me Beija, que é liberado em 2002. Em 2003, menos de um ano depois, lança o segundo álbum, Movimento, tendo como maior sucesso do álbum a canção "Miau", sendo que as vendas do álbum foram muito abaixo do primeiro e, em 2004 a cantora lança seu primeiro álbum ao vivo, intitulado Gilmelândia ao Vivo, trazendo uma releitura da canção "Você Não Me Ensinou a Te Esquecer". Em 2005, voltou ao cenário musical embalada pela canção "Chegou o Verão", presente no álbum O Canto da Sereia. Na televisão, esteve à frente do programa Viva a Noite, no SBT, como apresentadora em 2007 e 2008, além fazer pequenas aparições em programas e séries como atriz. Em 2008, lançou o single "Dominado" e, logo após, dedica-se a um álbum em parceria com o Vixe Mainha.[8] Em 2010, Gilmelândia foi escolhida para ser a madrinha do Barradão em Chamas, festa organizada pela torcida do Esporte Clube Vitória para a final da Copa do Brasil, time de coração da cantora. Em 2011, Gilmelândia foi contratada pela RedeTV! para apresentar o programa Superpop enquanto Luciana Gimenez entrava em licença-maternidade.[9]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Gilmelândia

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título Personagem Notas
2000 Ô... Coitado! Carolina Temporada 2
2007–08 Viva a Noite Apresentadora
2009 Band Folia Apresentadora[10]
2010 Boi Manaus[11] Apresentadora Especial de final de ano
2011 Superpop Apresentadora Durante a licença-maternidade de Luciana Gimenez[12]
2012 Cante se Puder Participante Episódio: "Temporada 2, episódio 1"[13]
Cinema
Ano Título Personagem Nota
2005 Chame Gente - A História do Trio Elétrico Ela mesma Documentário
2017 Axé: Canto do Povo de um Lugar[14] Ela mesma Documentário

Turnês[editar | editar código-fonte]

  • Turnê Me Beija (2001–02)
  • Turnê Movimento (2003–04)
  • Turnê Ao Vivo (2004)
  • Turnê Verão (2005–08)
  • Turnê Gilmelândia & Vixe Mainha (2009–11)
  • Turnê Game Show (2011–14)
  • Turnê Gil Canta Caetano (2011–presente)
  • Tambor de Gil: Ao Vivo (2015–presente)

Referências

  1. Gil - resumo biografico Letras.com
  2. Gil explica nome exotico Paparazzi.com
  3. Gil conta que sua mãe era contra o sonho de ser cantora Portal Gil.com
  4. Gil - carreira indepente 1990-97 Portal Gil.com
  5. Miguel Carvalho assina novo visual de Gil Bruno Prudencio.blogspot
  6. Gilmelandia na Banda Beijo - primeiros contatos Gilmelandia.com
  7. Gil fala sobre carreira e sua saida da Banda Beijo aconselhada pelo empresario e Netinho Bahia Noticias.com
  8. «Gilmelândia confirma fim do programa Viva a Noite». Bahia Notícias. 17 de agosto de 2011. Consultado em 18 de dezembro de 2010 
  9. Gilmelandia estreia no comando do Superpop Folha de SP
  10. «Gilmelandia ataca de apresentadora e apresenta Band Folia em 2009». Carnasite. 17 de agosto de 2011. Consultado em 18 de dezembro de 2010 
  11. «Gilmelândia vai comentar transmissão do Boi Manaus 2010». Globo. 17 de agosto de 2011. Consultado em 18 de dezembro de 2010 
  12. «Gilmelândia substituirá Luciana Gimenez no 'Superpop'». Terra. 17 de agosto de 2011. Consultado em 18 de dezembro de 2010 
  13. «Gilmelândia leva tombo no programa Cante Se Puder». SBT. 17 de agosto de 2011. Consultado em 18 de dezembro de 2010 
  14. «Filme mostra como axé virou febre e esfriou por ganância e competição». Globo. Consultado em 2 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]