Giovanni Alfonso Borelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Giovanni Alfonso Borelli
Nascimento 28 de janeiro de 1608
Pisa
Morte 31 de dezembro de 1679 (71 anos)
Pisa
Nacionalidade Itália Italiano
Orientador(es) Benedetto Castelli[1]
Orientado(s) Marcello Malpighi
Campo(s) Fisiologia, física, matemática

Giovanni Alfonso Borelli (Pisa, 28 de janeiro de 1608 — Pisa, 31 de dezembro de 1679) foi um fisiólogo, físico e matemático italiano.

Borelli contribuiu para o princípio de investigação científica moderna primariamente por continuar hipóteses via observação, como feito por Galileu Galilei. Fez estudos extensivos sobre os satélites de Júpiter e sobre o que constitui o sangue. Teve proteção da rainha Cristina da Suécia, contra as autoridades italianas, os mesmos que atacaram Galileu.[2]

Contribuições para a Física do Corpo Humano[editar | editar código-fonte]

Giovanni Alfonso Borelli, século XVII, era fisiólogo, físico e matemático. Realizou diversas pesquisas e concretizou diversas teorias que o fez, até hoje, o pai da biomecânica. Borelli escreveu o livro “De Motu Animalium”, publicado em 1680 ou 1681, o qual relatava seus estudos sobre locomoção humana, contração muscular (primeiro a propor esta ideia que os músculos realizam um movimento de contração e não um movimento vital), mecânica da respiração, forças envolvendo a circulação e pressões. O italiano também teve um estudo sobre o sangue, o qual postulava que o “sangue aerado” incluía elementos vitais. Fora isso, possui estudos e teorias sobre o sistema respiratório humano, com isso, afirmava que o ar possuía uma função sustentadora da vida, pois conduzia “partículas elásticas” que davam movimento ao sangue, assim criando a sua teoria de difusão. Além disso, Borelli, utilizando termômetro, afirmou que o coração não é o órgão mais quente. Foi fundador da escola iatromecânica ao qual relaciona o sistema mecânico ao biológico.

Borelli descobriu as forças necessárias para o equilíbrio em várias articulações do corpo humano, antes de Newton publicar as leis do movimento. Borelli também determinou a posição do centro de gravidade humano, em diferentes situações do equilíbrio, por exemplo, com o indivíduo em pé, sentado ou sob a influência dos movimentos respiratórios.[3]

Borelli é considerado um pioneiro de biofísica. Em 1649 ele publicou um trabalho sobre a devastadora epidemia de 1647/48 na Sicília. O estudo epidemiológico é considerado um dos primeiros exemplos do uso de métodos experimentais em fisiologia, aos quais Borelli se dedicou detalhadamente a partir de então, especialmente a mecânica do movimento muscular e o movimento dos animais. Ele rejeitou a visão de Aristóteles de uma mente animal inerente ao corpo e explicou o movimento muscular (até mesmo do coração) puramente mecanicamente, usando matemática elementar e estudos anatômicos. Em Pisa, ele entrou em contato com o professor em Bolonha Marcello Malpighi, que buscou idéias semelhantes. Borelli foi um membro significativo da Accademia del Cimento, que existiu até cerca de 1667. Seu caráter argumentativo deveria ter sido um motivo para a dissolução da Academia. Seu principal trabalho em biomecânica (Iatromechanik) apareceu somente após sua morte, financiado pela rainha Christina da Suécia e editado pelos sacerdotes de San Pantaleo (De motu animalium, 2 volumes, Roma 1680, 1681).

Referências

  1. Giovanni Alfonso Borelli (em inglês) no Mathematics Genealogy Project
  2. «Giovanni Alfonso BORELLI». Consultado em 20 de setembro de 2009 
  3. THURSTON, A (1999). Giovanni Borelli e o estudo do movimento humano: An Historical Review. Áustria: Aust. NZJ Surg. Vol. 69 
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) matemático(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.