Giovanni Domenico Cassini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Giovanni Domenico Cassini
Leis de Cassini, Oval de Cassini
Nascimento 8 de junho de 1625
Perinaldo, República de Gênova
Morte 14 de setembro de 1712 (87 anos)
Paris, França
Residência Castelo de Fillerval
Nacionalidade italiano
Cidadania França
Filho(s) Jacques Cassini
Alma mater The Jesuit College at Genoa
Ocupação selenógrafo, geodesista, matemático, astrônomo, engenheiro, astrólogo, biólogo
Prêmios
Empregador Universidade de Bolonha
Instituições Universidade de Bolonha
Campo(s) astronomia, matemática, engenharia, astrologia
Assinatura
Giovanni Domenico Cassini signature.png

Giovanni Domenico Cassini (Perinaldo, República de Gênova, hoje Itália, 8 de junho de 1625Paris, 14 de setembro de 1712), também chamado Jean-Dominique ou Cassini I, foi um astrônomo e matemático italiano.[1]

Vida[editar | editar código-fonte]

Giovanni Cassini estudou no colégio dos Jesuítas em Gênova e Bolonha, e em 1650 foi, sob a proteção do general e senador Cornelio Malvasia, o sucessor de Pater Bonaventura Cavalieri na Universidade de Bolonha como professor na cátedra de astronomia. Nesta função, lecionou, sob o controle da doutrina da Igreja Católica, geometria euclidiana e a astronomia de Ptolomeu. Seu interesse foi atraído principalmente pela aparição de cometas, que ele observava com muita atenção. Além disso, produziu precisas tabelas solares e observou os períodos de rotação de Vênus, Marte e Júpiter. Em 1669, foi chamado pelo rei Luís XIV a fim de tomar parte como membro da Academia de Ciências de Paris, fundada em 1667.

Giovanni Domenico Cassini

Um ano depois, foi nomeado diretor do Observatório Astronômico de Paris. Apesar do observatório de Paris não ser muito bem construído para a observação astronômica.

Cassini ficou cego em 1710, e dois anos depois, no dia 14 de setembro de 1712, faleceu em Paris.

Sucessores na direção do Observatório Astronômico de Paris foram seu filho Jacques, seu neto César François e seu bisneto Jean Dominique.

A sonda espacial da missão Cassini-Huygens da NASA e da ESA chegou em julho de 2004 em Saturno para investigar o sistema de anéis do planeta.

Astrônomo[editar | editar código-fonte]

Cassini observou e publicou marcações de superfície em Marte (vistas anteriormente por Christiaan Huygens, mas não publicadas), determinou os períodos de rotação de Marte e Júpiter e descobriu quatro satélites de Saturno: Jápeto e Reia em 1671 e 1672, e Tétis e Dione (1684).[2] Cassini foi o primeiro a observar essas quatro luas, que ele chamou de Sidera Lodoicea (as estrelas de Luís), incluindo Jápeto, cujas variações anômalas de brilho ele corretamente atribuiu como sendo devidas à presença de material escuro em um hemisfério (agora chamado de Cassini Regio em sua homenagem). Além disso, ele descobriu a Divisão Cassini nos anéis de Saturno (1675).[3] Ele compartilha com Robert Hooke o crédito pela descoberta da Grande Mancha Vermelha em Júpiter (ca. 1665). Por volta de 1690, a Cassini foi a primeira a observar a rotação diferencial na atmosfera de Júpiter .[2]

Em 1672, ele enviou seu colega Jean Richer para Caiena, Guiana Francesa, enquanto ele próprio permaneceu em Paris. Os dois fizeram observações simultâneas de Marte e, calculando a paralaxe, determinaram sua distância da Terra. Isso permitiu pela primeira vez uma estimativa das dimensões do Sistema Solar: uma vez que as relações relativas de várias distâncias sol-planeta já eram conhecidas pela geometria, apenas uma única distância interplanetária absoluta era necessária para calcular todas as distâncias.

Em 1677, o filósofo inglês John Locke visitou Cassini em Paris. Ele escreve: "No Observatório, vimos a Lua em um vidro de vinte e dois pés, e Júpiter, com seus satélites, no mesmo. O mais remoto estava no leste e os outros três no oeste. Também vimos Saturno e seus anéis, em um vidro de doze pés, e um de seus satélites".[4]

Cassini inicialmente considerou a Terra como o centro do Sistema Solar, embora observações posteriores o obrigaram a aceitar o modelo do Sistema Solar proposto por Nicolau Copernico e, eventualmente, o de Tycho Brahe. “Em 1659 ele apresentou um modelo do sistema planetário que estava de acordo com a hipótese de Nicolaus Copérnico. Em 1661 ele desenvolveu um método, inspirado na obra de Kepler, de mapear fases sucessivas de eclipses solares; e em 1662 ele publicou novas tabelas de o sol, com base em suas observações em San Petronio".[3] Cassini também rejeitou a teoria da gravidade de Newton, após medições que ele realizou que sugeriram erroneamente que a Terra era alongada em seus pólos. Mais de quarenta anos de polêmica sobre o assunto foram encerrados em favor da teoria de Newton após as medições da Missão Geodésica Francesa (1736 a 1744) e da expedição lapônica em 1737 liderada por Pierre Louis Moreau de Maupertuis.

Cassini também foi o primeiro a fazer medições de longitude com sucesso pelo método sugerido por Galileu, usando eclipses dos satélites galileus como um relógio.

Em 1683, ele apresentou a explicação correta do fenômeno da luz zodiacal.[5] A luz zodiacal é um brilho fraco que se estende do Sol no plano da eclíptica do céu, causado por objetos empoeirados no espaço interplanetário.

Ele também recebeu o crédito por ter introduzido a Astronomia Indiana na Europa. Em 1688, o enviado francês ao Sião (Tailândia), Simon de la Loubère, voltou a Paris com um manuscrito obscuro relativo às tradições astronômicas daquele país, juntamente com uma tradução francesa.[6][7]

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Raccolta di varie scritture (1682)

Referências

  1. «Giovanni Cassini - Biography». Maths History (em inglês). Consultado em 13 de setembro de 2021 
  2. a b Van Helden, Albert (2009). «The beginnings, from Lipperhey to Huygens and Cassini». Experimental Astronomy. 25 (1–3): 3. Bibcode:2009ExA....25....3V. doi:10.1007/s10686-009-9160-y 
  3. a b Cassini, Gian Domenico (Jean-Dominique) (Cassini I). Dicionário completo de biografia científica . Detroit: Charles Scribner's Sons, 2008. pp. 100–104. recuperado em 30 de maio de 2013
  4. Locke, John (1864). The life and letters of John Locke : with extracts from his journals and common-place books. London: Bell & Daldy. p. 73 
  5. One or more of the preceding sentences incorporates text from a publication now in the public domain: Clerke, Agnes Mary (1911). "Cassini s.v. Giovanni Domenico Cassini". In Chisholm, Hugh (ed.). Encyclopædia Britannica. 5 (11th ed.). Cambridge University Press. p. 459
  6. Burgess, James (1893). «Notes on Hindu Astronomy and the History of Our Knowledge of It». Journal of the Royal Asiatic Society of Great Britain & Ireland: 722–723 
  7. de La Loubère, Simon (1693). A New Historical Relation of the Kingdom of Siam (em inglês). Traduzido por A.P. [S.l.: s.n.] pp. 64–65. Consultado em 16 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um astrônomo/astrónomo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.