Gipsy Kings

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gipsy Kings
Os Gipsy Kings tocando antes de uma partida de futebol entre as seleções de Portugal e Argentina na Suíça em 2011.
Informação geral
País  França
Gênero(s) rumba flamenca
Período em atividade 1979-atualmente
Integrantes Nicolas Reyes
Pablo Reyes
Canut Reyes
Diego Baliardo
Paco Baliardo
Tonino Baliardo
Ex-integrantes Chico Bouchikhi
Jorge Trasante
Patchai Reyes
Andre Reyes
Página oficial www.GipsyKings.com
Zelt-Musik-Festival em 2016 Freiburg, Alemanha
Zelt-Musik-Festival em 2016

Os Gipsy Kings são um grupo musical composto por ciganos que tocam rumba flamenca, um estilo musical variante do flamenco tradicional. Foi formado em 1979 na cidade de Arles, na França.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Os pais dos membros do grupo fugiram da Catalunha, na Espanha, para o sul da França durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939). Na década de 1960, os primos Jose Reyes e Manitas de Plata compuseram um duo de rumba flamenca de grande sucesso. Na década seguinte, Jose Reyes se juntou a seus filhos Nicolas e Andre para formar a banda Los Reyes, que tocava em casamentos, festas, festivais e nas ruas das cidades do sul da França. Com a morte de Jose Reyes em 1979, Tonino Baliardo, filho de Manitas de Plata, se juntou ao grupo. O nome do grupo, então, veio a ser mudado para a sua tradução para o inglês, acrescido do adjetivo gipsyː Gipsy Kings ("Reis Ciganos").[2] Os Gipsy Kings ganharam grande notoriedade com o seu álbum Gipsy Kings (1987), no qual havia vários sucessos do grupo, como "Djobi Djoba", "Bamboleo" e "Un Amor". A música "Volare", no seu segundo álbum Mosaique, é uma versão do hit "Nel Blu Dipinto Di Blu", do italiano Domenico Modugno.

Os Gipsy Kings foram e ainda são enormemente populares na França independentemente do criticismo dos puristas flamencos. Os Gipsy Kings foram um sucesso na maioria da Europa Ocidental, especialmente na França e no Reino Unido. Em 1989, o álbum Gipsy Kings foi lançado nos Estados Unidos, onde manteve-se por 40 semanas nas paradas musicais, sendo um dos raríssimos álbuns em espanhol a conseguir tal proeza. Em janeiro de 1991, Chico Bouchikhi deixou a banda. Nesse mesmo ano, os Gipsy Kings tocaram guitarra flamenca para a versão de Long Train Running (música original dos Doobie Brothers) interpretada por Bananarama, usando o pseudônimo "Alma de Noche" ("Alma da Noite"). Em agosto de 1992, Andre Reyes deixou a banda. A versão cover do grupo para a música 'Hotel California' é excelente exemplo do chamado "solo rápido de guitarra clássica" e do "dedilhado flamenco" (tal versão aparece no filme dos Irmãos Coen intitulado The Big Lebowski, de 1998).

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Os Gipsy Kings são membros de duas famílias: os Reyes e os Baliardo, que são parentes do grande músico flamenco Manitas de Plata. O vocalista principal, Nicolas Reyes, é filho do grande músico flamenco Jose Reyes. Os Gipsy Kings são compostos por:

  • Nicolas Reyes - vocalista principal
  • Pablo Reyes - vocais de suporte, guitarra
  • Canut Reyes - vocais de suporte, guitarra
  • Diego Baliardo - guitarra
  • Paco Baliardo - guitarra
  • Tonino Baliardo - Guitarrista principal

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Patchai Reyes - foi membro do grupo no álbum Love & Liberté.
  • Andre Reyes - foi membro do grupo até agosto de 1992.
  • Chico Bouchikhi - foi membro do grupo até janeiro de 1991.[3]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Ao vivo[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Gipsy Kings

Referências

  1. Gipsy Kings. Disponível em http://www.gipsykings.com/about/. Acesso em 20 de maio de 2016.
  2. Gipsy Kings. Disponível em http://www.gipsykings.com/about/. Acesso em 20 de maio de 2016.
  3. encarte do álbum "Greatest Hits", de 1994.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]