Gipsy Kings

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gipsy Kings
Os Gipsy Kings tocando antes de uma partida de futebol entre as seleções de Portugal e Argentina na Suíça em 2011.
Informação geral
País  França
Gênero(s) rumba flamenca
Período em atividade 1979-atualmente
Integrantes Nicolas Reyes
Paco Baliardo
Pablo Reyes
Canut Reyes
Tonino Baliardo
Ex-integrantes Chico Bouchikhi
Jorge Trasante
Patchai Reyes
Andre Reyes
Página oficial www.GipsyKings.com
Zelt-Musik-Festival em 2016 Freiburg, Alemanha
Zelt-Musik-Festival em 2016

Os Gipsy Kings é um grupo musical composto por ciganos que tocam rumba flamenca, um estilo musical variante do flamenco tradicional. Foi formado em 1979 na cidade de Arles, na França.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Os pais dos membros do grupo fugiram da Catalunha, na Espanha, para o sul da França durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939). Na década de 1960, os primos Jose Reyes e Manitas de Plata compuseram um duo de rumba flamenca de grande sucesso. Na década seguinte, Jose Reyes se juntou a seus filhos Nicolas e Andre para formar a banda Los Reyes, que tocava em casamentos, festas, festivais e nas ruas das cidades do sul da França. Com a morte de Jose Reyes em 1979, Tonino Baliardo, filho de Manitas de Plata, se juntou ao grupo. O nome do grupo, então, veio a ser mudado para a sua tradução para o inglês, acrescido do adjetivo gipsyː Gipsy Kings ("Reis Ciganos").[2] Os Gipsy Kings ganharam grande notoriedade com o seu álbum Gipsy Kings (1987), no qual havia vários sucessos do grupo, como "Djobi Djoba", "Bamboleo" e "Un Amor". A música "Volare", no seu segundo álbum Mosaique, é uma versão do hit "Nel Blu Dipinto Di Blu", do italiano Domenico Modugno.

Os Gipsy Kings foram e ainda são enormemente populares na França independentemente do criticismo dos puristas flamencos. Os Gipsy Kings foram um sucesso na maioria da Europa Ocidental, especialmente na França e no Reino Unido. Em 1989, o álbum Gipsy Kings foi lançado nos Estados Unidos, onde manteve-se por 40 semanas nas paradas musicais, sendo um dos raríssimos álbuns em espanhol a conseguir tal proeza. Em janeiro de 1991, Chico Bouchikhi deixou a banda. Nesse mesmo ano, os Gipsy Kings tocaram guitarra flamenca para a versão de Long Train Running (música original dos Doobie Brothers) interpretada por Bananarama, usando o pseudônimo "Alma de Noche" ("Alma da Noite"). Em agosto de 1992, Andre Reyes deixou a banda. A versão cover do grupo para a música 'Hotel California' é excelente exemplo do chamado "solo rápido de guitarra clássica" e do "dedilhado flamenco" (tal versão aparece no filme dos Irmãos Coen intitulado The Big Lebowski, de 1998).

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Os Gipsy Kings são membros de duas famílias: os Reyes e os Baliardo, que são parentes do grande músico flamenco Manitas de Plata. O vocalista principal, Nicolas Reyes, é filho do grande músico flamenco Jose Reyes. Os Gipsy Kings são compostos por:

  • Nicolas Reyes - vocalista principal
  • Paco Baliardo - guitarra principal
  • Tonino Baliardo - Guitarrista principal
  • Pablo Reyes - vocais de suporte, guitarra
  • Canut Reyes - vocais de suporte, guitarra

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Chico Bouchikhi - foi membro do grupo até janeiro de 1991.[3]
  • Patchai Reyes - foi membro do grupo no álbum Love & Liberté.
  • Diego Baliardo - foi membro do grupo até janeiro de 1995.
  • Andre Reyes - foi membro do grupo até janeiro de 1995.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Ao vivo[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Gipsy Kings

Referências

  1. Gipsy Kings. Disponível em http://www.gipsykings.com/about/. Acesso em 20 de maio de 2016.
  2. Gipsy Kings. Disponível em http://www.gipsykings.com/about/. Acesso em 20 de maio de 2016.
  3. encarte do álbum "Greatest Hits", de 1994.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]