Giulio Romano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Giulio Romano
Nascimento Giulio di Pietro di Filippo de Gianuzzi
1499
Roma
Morte 1 de novembro de 1546 (46–47 anos)
Mântua
Ocupação arquiteto, pintor, escultor
Obras destacadas Palazzo del Te, The Battle of the Milvian Bridge, Stoning of Saint Stephen, Portrait of Margherita Paleologo
Movimento estético maneirismo


Giulio Pippi, mais conhecido por Giulio Romano (Roma, 1499 - Mântua, 1 de novembro de 1546) foi um pintor e arquitecto do Renascimento italiano, tido como maneirista. Nasceu em 1492, e era um dos principais assistentes de Rafael Sanzio, tendo, após a morte deste, recebido de herança uma pequena fortuna, que incluía óleos e esboços em carvão.[1]

Em 1524, Giulio Romano aceitou o convite de Frederico Gonzaga, Duque de Mântua, para realizar uma série de trabalhos na área da Arquitectura. Aqui, as capacidades de Giulio Romano foram, de facto, postas à prova, tendo tido que construir um sistema de protecção das inundações dos rios Pó e Mincio.

Durante esta época Giulio construiu ruas, uma catedral, um paço ducal, mas a sua melhor obra é, definitivamente, o Palazzo del Té, o qual foi planejado, construído e decorado por Giulio. É neste palácio que se encontram algumas das obras mais famosas de Giulio Romano, como os frescos de Psyche, de Icarus e da Queda dos Titans.

Foi escolhido como consultor para a execução da Porta da Catedral de Milão.

Faleceu em 1546.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Giulio Romano». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Giulio Romano