Gláucio Ayala

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Gláucio Ayala
Nascimento 20 de dezembro de 1973 (44 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil

Gláucio Ayala (Rio de Janeiro, 20 de dezembro de 1973) é um baterista brasileiro.

Iniciou a sua carreira como baterista em 1989, trabalhando em diversas casas noturnas, e estudou no Conservatório Brasileiro de Música. Tocou com diversos artistas tais como: Marquinhos Moura, Paulo Ricardo, Ed Motta, Miele, Bezerra da Silva, entre outros. Entre 1993 e 1995, fez parte da Orchestra Scala Miami, que se apresentava em casas de espetáculos em Miami (Estados Unidos) e em Cancún (México). Ainda em Miami, teve a oportunidade de acompanhar alguns artistas da América Central e Michael Sullivan. A convite de Sullivan, gravou uma faixa de um CD da Xuxa, por este produzido em Miami.

De volta ao Brasil, foi convidado a integrar a banda Akundum, que teve três CDs lançados, um deles com mais de 160 mil cópias vendidas - cujo maior sucesso foi a música Emaconhada - que lhe deu o "Disco de Ouro" , além das bandas Conexão Japeri e Mãe da Rua. Participou do disco de carreira solo de André Rafael, que foi mixado por Eddie Kramer (produtor do Kiss e Led Zeppelin).

Antes de ingressar no Engenheiros do Hawaii em 2001, vinha trabalhando com Cris Delanno, Mario Frias, Mambo Que Sambo, Salsa Rio, André Rafael, Rio Sound Machine e com a recém-criada Dr. Ecstasy, sucesso absoluto por onde passa. Gravou faixas do CD do guitarrista Sidney Linhares, onde figuram grandes instrumentistas como: Mike Stern, Arthur Maia, Widor Santiago e Cláudio Zoli; participou também do último álbum de Oswaldo Montenegro, produzido por Roberto Menescal, com quem faz o Projeto Tom Jobim.

Com o Engenheiros do Hawaii já gravou cinco CDs, intitulados "Surfando Karmas & Dna", "10.001 Destinos" e "Dançando no Campo Minado", "Acústico MTV" e "Novos Horizontes", e também dois dvds ("Acústico MTV" e "Novos Horizontes").

Em 2004 passa a integrar, também, a banda O Sete, que já conta com diversos fã-clubes Brasil afora.