Gladson Cameli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gladson Cameli
18.º Governador do Acre
Período Posse pendente
Antecessor(a) Tião Viana
Deputado Federal do Acre
Período 1º de fevereiro de 2007
até 31 de janeiro de 2015
Senador pelo Acre
Período 1º de fevereiro de 2015
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 26 de março de 1978 (40 anos)
Cruzeiro do Sul (AC), Brasil
Partido PP
Profissão Engenheiro

Gladson de Lima Cameli (Cruzeiro do Sul, 26 de março de 1978) é engenheiro, empresário e político brasileiro, filiado ao Partido Progressista (PP). Atualmente é senador eleito pelo estado do Acre. Elegeu-se governador do Acre nas eleições gerais de 2018 no primeiro turno com 223 993 votos.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

É bacharel em Engenharia civil desde 2001, formado pelo Instituto Luterano de Ensino Superior de Manaus (ULBRA), no Amazonas. Membro do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA/AC), exerce atividades profissionais como sócio da empresa pertencente à família.[3] Pelo lado paterno, é sobrinho do ex-governador do estado do Acre, Orleir Cameli.[4]

Membro do Conselho Municipal da Juventude, estreou na vida pública aos 28 anos quando eleito pela primeira vez para o mandato de deputado federal com 18.886 votos. Eleito pela segunda vez deputado nas eleições em 2010, com mais de 30 mil votos. Em outubro de 2009, foi condecorado com o Título de Cidadão Rio Branquense pela Câmara Municipal de Rio Branco/AC.

Foi filiado ao PFL durante (2000-2003) e ao PPS durante (2003-2005). É filiado ao PP desde 2005 permanecendo até os dias atuais. Nas eleições estaduais de 2014 elegeu-se senador pelo Acre.

Na Câmara dos Deputados, foi considerado por dois anos consecutivos, o campeão em liberação de recursos e emendas. Ele também apresentou projetos de lei importantes como a obrigatoriedade da instalação de câmeras de segurança nas escolas públicas. Foi relator do projeto da Zona de Processamento de Exportação. Foi presidente da Comissão da Amazônia, integrou a Comissão de Constituição e Justiça, uma das mais importantes do Congresso.

Posicionamentos[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2016, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[5] Em julho de 2017 votou a favor da reforma trabalhista.[6]

Em julho de 2017, votou contra a cassação de Aécio Neves no conselho de ética do Senado.[7]

Eleição ao Governo do Acre[editar | editar código-fonte]

Nas Eleições estaduais no Acre em 2018 concorreu ao cargo de governador, tendo como vice Major Rocha. A chapa venceu o pleito já no primeiro turno.[8]

Referências

  1. «Gladson Cameli, do PP, é eleito governador do Acre». G1 
  2. «Gladson Cameli 11». Eleições 2018. Consultado em 8 de outubro de 2018. 
  3. «Senador Gladson Cameli». www.gladsoncameli.com.br. Consultado em 29 de janeiro de 2017. 
  4. «Orleir Cameli - Rede de Escândalos - VEJA». 13 de setembro de 225. Consultado em 29 de janeiro de 2017.  Verifique data em: |data= (ajuda)
  5. Bol (13 de dezembro de 2016). «Confira como votaram os senadores sobre a PEC do Teto de Gastos 155 Do UOL, em São Paulo». Consultado em 16 de outubro de 2017. 
  6. Redação - Carta Capital (11 de julho de 2017). «Reforma trabalhista: saiba como votaram os senadores no plenário» 
  7. Redação Carta Capital (6 de julho de 2017). «Por 11 a 4, Aécio é salvo no Conselho de Ética: como votaram os senadores». Consultado em 15 de outubro de 2017. 
  8. «Gladson Cameli, do PP, é eleito governador do Acre». G1. 7 de outubro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]