Gleichschaltung

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A palavra alemã Gleichschaltung (em português, 'alinhamento', 'coordenação', 'sincronização', uniformização ), na acepção dada pelo Partido Nazista, designava o processo de se estabelecer um sistema de uniformização, a fim de instaurar, com sucesso, o controle totalitário sobre todos os aspectos da sociedade, "desde a economia e as associações comerciais até mídia, a cultura e a educação".[1].

O termo tem sido traduzido como "nazificação do Estado e da Sociedade",[2] sincronização,[3] alinhamento,[2] e coordenação,[4] mas geralmente, nos textos escritos em outras línguas, a palavra é mantida na forma original alemã .

Segundo Cassirer:

"Um dos principais objetivos e uma das condições fundamentais do Estado totalitário é o princípio da Gleichschaltung [tornar o mesmo; uniformizar]. Para subsistir, ele tem de eliminar todas as outras formas de vida social e cultural e obliterar todas as distinções".

O filósofo não define o totalitarismo como Gleichschaltung (na acepção de coordenação forçada ou uniformização) mas toma esse procedimento como indispensável para o sucesso do plano totalitário nazista. O processo de uniformização é justamente o apagar das distinções e das identidades formadas pelo processo de desenvolvimento cultural.[5]

Para exercer um controle total, o governo deveria tornar-se a única influência sobre sociedade; qualquer outra deveria ser eliminada. Assim, o período de 1933 até 1937 caracterizou-se pela supressão sistemática de organizações não nazistas e potencialmente capazes de influir sobre as pessoas, a exemplo de igrejas, sindicatos e partidos políticos. Organizações que o governo não pôde eliminar passaram ao seu controle direto (como as escolas) ou estiveram sob alguma forma de ataque governamental (como as igrejas).

Referências

  1. Strupp, Christoph (30 de janeiro de 2013). «'Only a Phase': How Diplomats Misjudged Hitler's Rise». Spiegal Online (em inglês) [S.l.: s.n.] Consultado em 2 May 2016. 
  2. a b Hirschfeld, Gerhard (2014). The Policies of Genocide (RLE Nazi Germany & Holocaust): Jews and Soviet Prisoners of War in Nazi Germany Taylor & Francis [S.l.] pp. 101, 164. ISBN 9781317625728. 
  3. Tyson, Joseph Howard (2010). The Surreal Reich iUniverse [S.l.] ISBN 9781450240208. 
  4. Evans, Richard J. (2012). The Coming of the Third Reich: How the Nazis Destroyed Democracy and Seized Power in Germany Penguin [S.l.] ISBN 978-0-718-19680-6. 
  5. Gleichschaltung: o princípio do totalitarismo em Ernst Cassirer. Por Rafael Garcia. Rev. Filos. Aurora, Curitiba, v. 28, n. 43, p. 295-312, jan.-abr. de 2016

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Karl Kroeschell, Deutsche Rechtsgeschichte 3 (seit 1650), 2nd ed. 1989, ISBN 3-531-22139-6
  • Karl Kroeschell, Rechtsgeschichte Deutschlands im 20. Jahrhundert, 1992, ISBN 3-8252-1681-0