Glorious Purpose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
"Glorious Purpose"
1.º episódio da 1.ª temporada de Loki
Informação geral
Direção Kate Herron
Enredo por Michael Waldron
Produzido por Michael Waldron
Direção de fotografia Autumn Durald Arkapaw
Edição Paul Zucker
Música Natalie Holt
Duração 52 minutos
Transmissão original 9 de junho de 2021 (2021-06-09)
Convidados
  • Derek Russo como Caçador U-92
  • Josh Fadem como Martin
Lista de episódios de Loki

"Glorious Purpose" (br/pt: "Glorioso Propósito") é o primeiro episódio da série de televisão estadunidense Loki, baseada no personagem homônimo da Marvel Comics. O episódio segue uma versão alternativa de Loki, que criou uma nova linha do tempo durante os eventos de Avengers: Endgame (2019), quando ele é levado para a misteriosa Autoridade de Variância Temporal (AVT). O episódio se passa no Universo Cinematográfico Marvel (UCM), dando continuidade aos filmes da franquia. Ele foi escrito pelo criador da série Michael Waldron e dirigido por Kate Herron.

Tom Hiddleston reprisa seu papel como Loki da série de filmes, com Gugu Mbatha-Raw, Wunmi Mosaku, Eugene Cordero, Tara Strong e Owen Wilson também estrelando. Waldron foi contratado em fevereiro de 2019 como o roteirista principal da série, com Herron entrando em agosto. As filmagens aconteceram no Pinewood Atlanta Studio e foram rodadas na área metropolitana de Atlanta.

"Glorious Purpose" foi lançado no serviço de streaming Disney+ em 9 de junho de 2021. O episódio recebeu aclamação pela crítica especializada, com elogios em particular para a química de Hiddleston e Wilson juntos em tela.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Durante a Batalha de Nova Iorque em 2012, Loki escapa com o Tesseratc criando uma linha do tempo ramificada.[a] Ele é rapidamente preso por oficiais da Autoridade de Variância Temporal (AVT) e levado até a sede da organização, onde ele não consegue usar sua magia. Loki aprende que a AVT mantém e protege uma única linha do tempo chamada de "Linha do Tempo Sagrada", que foi moldada pelos Guardiões do Tempo para evitar que uma guerra implodisse no multiverso entre diferentes linhas do tempo. Para fazer isso, eles "reiniciam" linhas do tempo ramificadas bem como as "variantes" que as causam.[1]

Loki enfrenta um julgamento presidido pela juíza Ravonna Renslayer para responder por seus "crimes contra a Linha do Tempo Sagrada". No começo ele não leva o processo a sério, e até põe a culpa nos Vingadores, cujas próprias viagens no tempo o levaram a entrar em contato com o Tesseratc ocasionando toda aquela situação. No entanto, Renslayer rejeita essas alegações explicando que as ações dos Vingadores seguiram o curso da Linha do Tempo Sagrada enquanto as de Loki não. Ela o considera culpado e o sentencia a ser reiniciado, mas o agente da AVT Mobius M. Mobius intervém, pois acha que essa variante de Loki poderia ser útil para eles. No Cinema Temporal, Mobius questiona os erros passados ​​de Loki e revisita momentos da vida de Loki, como sua derrota nas mãos dos Vingadores. Loki diz que quer governar para que possa libertar seus supostos súditos do fardo de fazer escolhas erradas. Mobius questiona se Loki gosta de machucar os outros, mas Loki reclama do controle da AVT sobre a linha do tempo e insiste que ele tem o poder de fazer suas próprias escolhas. Mobius revela que no futuro pretendido de Loki, ele inadvertidamente causa a morte de sua mãe adotiva Frigga.[b][1]

Loki tenta escapar do local até perceber que tanto o Tesseract quanto as outras Joias do Infinito são impotentes quando comparados ao poder do AVT. Ele retorna ao Cinema Temporal e assiste o resto de seu futuro pretendido, incluindo sua melhoria no relacionamento com seu irmão adotivo Thor, a morte de seu pai adotivo Odin,[c] e sua própria morte nas mãos de Thanos.[d] Loki percebe que não pode retornar à sua linha do tempo e admite a Mobius que machuca os outros porque ele é fraco e tenta manter a ilusão de controle. Por fim, ele concorda em ajudar Mobius a caçar o assassino de vários oficiais da AVT que está roubando a tecnologia que usam para reiniciar as linhas do tempo. Mobius revela que este fugitivo é na verdade outra variante de Loki.[1]

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2018, a Marvel Studios estava desenvolvendo uma série limitada estrelando o Loki de Tom Hiddleston dos filmes do Universo Cinematográfico Marvel (UCM).[2] O desenvolvimento de Loki foi confirmado pelo então presidente da Disney, Bob Iger, em novembro do mesmo ano.[3] Michael Waldron foi contratado como roteirista principal em fevereiro de 2019, e também foi contratado para escrever o primeiro episódio da série,[4] com Kate Herron contratada para dirigir a série em agosto.[5] Herron e Waldron agiram como produtores executivos ao lado de Hiddleston e Kevin Feige da Marvel Studios, Louis D'Esposito, Victoria Alonso e Stephen Broussard.[6] O primeiro episódio recebeu o título de "Glorious Purpose".[7]

Roteiro[editar | editar código-fonte]

Waldron decidiu sugerir que Loki era o criminoso conhecido como D. B. Cooper como uma forma de homenagear uma teoria viral feita por fãs de que o personagem Don Draper da série Mad Men estava destinado a se tornar Cooper.[8] Este momento também foi escolhido para fornecer um exemplo de um momento em que o público poderia ter pensado que a Autoridade de Variância Temporal (AVT) teria interferido em sua vida, mas não o fez.[9]

Uma vez que esta versão de Loki não vivenciou os eventos retratados de Thor: The Dark World (2013) até Avengers: Infinity War (2018), Waldron sabia desde o início que esta versão do personagem iria experimentar esses eventos como uma forma de "lançá-lo em sua nova jornada igualmente gratificante, mas, espero, muito diferente".[9] Encontrar os momentos de certeza que Loki testemunhou em sua vida foi "muito importante" para o processo criativo. Como parte da proposta de Herron para a Marvel, ela mencionou uma cena de Minority Report (2002) em que John Anderton vê uma projeção de sua esposa, como algo que Loki deveria experimentar. Ela sentiu que abordar a história de Loki dessa forma era "um aparato de contar histórias muito inteligente" e uma boa maneira de informar o público de sua história caso estivessem menos familiarizados com o personagem. Segundo Herron, incluir a morte de Frigga foi "um momento muito importante para ele ver" pois ela era "seu coração", enquanto Hiddleston sugeriu incluir Odin dizendo "Eu os amo, meus filhos". O objetivo também era mostrar Loki tendo "algumas vitórias e mostrar que ele tinha espaço para mudança e crescimento".[10]

A revelação de que as Joias do Infinito não funcionam na AVT teve como objetivo estabelecer a organização como "o verdadeiro poder no universo", depois que as Joias foram anteriormente consideradas como o maior poder. Ao fazer isso, é estabelecido um "terreno completamente novo" para o UCM com "novas regras e novo poder".[10]

Elenco[editar | editar código-fonte]

O episódio é estrelado por Tom Hiddleston como Loki, Gugu Mbatha-Raw como Ravonna Renslayer, Wunmi Mosaku como Caçadora B-15, Eugene Cordero como Casey, Tara Strong como a voz da Senhorita Minutos e Owen Wilson como Mobius M. Mobius.[11][12] As participações especiais incluíram Derek Russo como o Caçador U-92 e Josh Fadem no papel de Martin.[12] Personagens e atores adicionais do UCM fizeram aparições nas imagens de arquivo do filme Avengers: Endgame (2019) tais como com Rene Russo, Anthony Hopkins, Clark Gregg e Josh Brolin também aparecendo por meio de imagens de arquivo respectivamente como Frigga, Odin,[10] Phil Coulson e Thanos.[13][14]

Filmagem e pós-produção[editar | editar código-fonte]

As filmagens aconteceram no Pinewood Atlanta Studios em Atlanta, na Geórgia,[15][16] com direção de Herron,[5] e Autumn Durald Arkapaw servindo como diretor de fotografia.[16][17] As filmagens tiveram lugar na área metropolitana de Atlanta,[18] incluindo o Atlanta Marriott Marquis, que foi usado para a sede da AVT.[19]

A sequência de abertura do episódio contou com filmagens de Avengers: Endgame, com Herron usando diferentes tomadas e ângulos de filmagem que não estavam presentes no filme dirigido pelos irmãos Anthony e Joe Russo, bem como inserindo material inédito, como o Loki acenando para o Hulk no elevador. Herron optou por criar a sequência dessa forma no intuito de que captasse melhor o ponto de vista de Loki, enquanto ainda mantinha uma cadência familiar para o público, lembrando-a do ponto de vista empregado no longa-metragem Rashômon (1950).[10][20]

O vídeo informativo animado desenhado à mão da Senhorita Minutos foi inspirado no desenho animado do Sr. DNA em Jurassic Park (1993) e foi feito para explicar rapidamente quem eram os AVT. Ao incorporar filmagens de filmes anteriores do UCM destacando a vida de Loki, Herron estava consciente de não fazer algo como um clip show, mas sim "uma peça de sua vida". Durante o flashback do D. B. Cooper, Herron mudou o aspecto da cena para tela inteira já que era um "grande momento cinematográfico" nunca antes visto.[10]

Os efeitos visuais para o episódio foram criados pelo Method Studios, Lola Visual Effects, FuseFX, Crafty Apes, Cantina Creative, Industrial Light & Magic (que também fez a animação do episódio), Luma Pictures e Rise.[12][21]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

"Glorious Purpose" foi lançado no serviço de streaming Disney+ em 9 de junho de 2021.[22]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

O aplicativo de rastreamento de espectadores Samba TV, que consegue medir pelo menos cinco minutos de audiência em TVs smart em 3 milhões de lares, relatou que "Glorious Purpose" foi a estreia de série da Marvel mais assistida no Disney+ em seu primeiro dia nos Estados Unidos, com 890.000 famílias assistindo ao episódio. Este número superou o da estreia de WandaVision (759.000 famílias) e The Falcon and the Winter Soldier (655.000).[23]

Resposta da crítica[editar | editar código-fonte]

O site agregador de críticas Rotten Tomatoes relatou um índice de aprovação de 100% com uma pontuação média de 8/10 com base em 17 resenhas. O consenso crítico do site diz: "Embora "Glorious Purpose" carregue o fardo de uma enorme quantidade de exposição, não há como negar a alegria da química emergente de Tom Hiddleston e Owen Wilson."[24]

Caroline Siede, escrevendo para o The A.V. Club, deu nota "A–" para "Glorious Purpose" e sentiu que a série seria "um inferno de um passeio divertido", destacando o humor do episódio, que rendeu brincadeiras melhores do que as "tentativas tensas" em The Falcon and the Winter Soldier. Embora não houvesse muito na história, já que grande parte dela era expositiva, e particularmente clipes de filmes anteriores do UCM, Siede nunca se sentiu como se o episódio se arrastasse, já que "parte da diversão está em assistir a franquia revisitando-a e mais uma vez contextualizando seu próprio passado". Ela achou que a estreia foi "uma espécie do melhor banquete estilo Marvel", combinando "a construção tátil de Guardiões da Galáxia com o humor excêntrico de Homem-Formiga e as reflexões cruas do personagem como em Homem de Ferro 3".[25] Alan Sepinwall, da Rolling Stone, sentiu que a estreia "definitivamente luta às vezes para arcar com o fardo de tudo o que o roteirista Michael Waldron e a diretora Kate Herron estão tentando realizar", embora as performances de Hiddleston e Wilson ajudem a evitar que o episódio "desmorone sob o peso de toda a exposição necessária". Em linhas gerais, ele concluiu que "Glorious Purpose" é "um ponto de partida tão bom quanto qualquer outro para a primeira aventura de Loki como um protagonista do UCM" e acreditou que a série estava "começando a ser mais divertida e estranha" do que nos episódios de The Falcon and the Winter Soldier.[11]

Analisando o episódio para o IGN, Siddhant Adlakha sentiu que o episódio teve "uma série de risos e conceitos divertidos, [contudo] foi um onde o drama nem sempre se encaixa perfeitamente". Adlakha gostou do "clássico ato de dois homens" de Hiddleston e Wilson, mas sentiu que os segmentos dramáticos que interromperam suas brincadeiras eram "muito menos convincentes" e fizeram o episódio parecer um clip show. Elogios também foram feitos à música composta por Holt que "adiciona uma sensação de estranheza e possibilidade" ao estilo de produção de Kasra Farahani, com Adlakha dando para "Glorious Purpose" nota 7 de 10.[7] Em sua recapitulação do episódio para a Entertainment Weekly, Lauren Morgan disse: "o primeiro episódio mostra que ainda há muita vida em Loki e a nova série do Disney+ promete examinar aspectos do Deus da Trapaça que nunca vimos nos filmes". Ela acreditou que Hiddleston estava "tendo uma explosão" no papel e o emparelhamento dele com Wilson foi "nada menos que inspirado", já que ela nunca sentiu certeza de quem tinha a vantagem ou estava dizendo a verdade em suas trocas de diálogos. Além disso, Morgan descreveu a AVT como um "banquete visual".[14]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Como visto no filme Avengers: Endgame (2019).
  2. Como visto no filme Thor: The Dark World (2013).
  3. Como visto no filme Thor: Ragnarok (2017).
  4. Como visto no filme Avengers: Infinity War (2018).

Referências

  1. a b c «Glorious Purpose». 9 de junho de 2021. Loki. Temporada 1. Episódio 1. Disney+.
  2. Kroll, Justin (18 de setembro de 2018). «Loki, Scarlet Witch, Other Marvel Heroes to Get Own TV Series on Disney Streaming Service». Variety (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  3. Chmielewski, Dawn C.; Hipes, Patrick (8 de novembro de 2018). «'Rogue One' Prequel Series In Works For Disney's Streaming Service, Now Named Disney+». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 8 de novembro de 2018 
  4. Kit, Borys (15 de fevereiro de 2019). «Marvel's 'Loki' Series Lands 'Rick and Morty' Writer (Exclusive)». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2019 
  5. a b Vejvoda, Jim (24 de agosto de 2019). «Loki Will Take Character "to an Entirely New Part of the MCU"». IGN (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 24 de agosto de 2019 
  6. Anderson, Jenna (19 de maio de 2021). «Loki Star Tom Hiddleston Officially Announced as Executive Producer on Disney+ Series». ComicBook.com. (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 20 de maio de 2021 
  7. a b Adlakha, Siddhant (9 de junho de 2021). «Loki: Season 1, Episode 1 Review». IGN (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 
  8. Patches, Matt (9 de junho de 2021). «Loki's D.B. Cooper moment is the weirdest Mad Men reference». Polygon (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 
  9. a b Baysinger, Tim (9 de junho de 2021). «'Loki' Head Writer on 'Doctor Strange' Ties and Why Loki's Post-'Avengers' Fate Still Matters». TheWrap (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 
  10. a b c d e Davids, Brian (9 de junho de 2021). «'Loki' Director Kate Herron on Shooting New 'Avengers: Endgame'-Era Footage». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 
  11. a b Sepinwall, Alan (9 de junho de 2021). «'Loki' Premiere Steps Into the MCU Time Machine». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 
  12. a b c Waldron, Michael (9 de junho de 2021). «Glorious Purpose». Loki. Temporada 1. Episódio 1. Disney+. Os créditos finais começam aos 45:34.
  13. Singer, Matt (9 de junho de 2021). «'Loki': Every Marvel Easter Egg in Episode 1». ScreenCrush (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 
  14. a b Morgan, Lauren (9 de junho de 2021). «'Loki' premiere recap: The God of Mischief meets his match in the Time Variance Authority». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 
  15. Sandberg, Bryn Elise (2 de julho de 2020). «How Georgia Hopes to Lead Hollywood's Return to Production». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 2 de julho de 2020 
  16. a b «Loki Production Brief» (PDF) (em inglês). Disney Media and Entertainment Distribution. Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 6 de junho de 2021 
  17. Fisher, Jacob (16 de novembro de 2019). «Autumn Durald Joins 'Loki' (Exclusive)». Discussing Film (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 16 de novembro de 2019 
  18. Walljasper, Matt (29 de fevereiro de 2020). «What's filming in Atlanta now? Loki, WandaVision, The Falcon and the Winter Soldier, Samaritan, DMZ and more». Atlanta (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 2 de março de 2020 
  19. Whitbrook, James (5 de abril de 2021). «Marvel Secrets in the New Loki Trailer: The Avengers, Time-Keepers & More». io9 (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 5 de abril de 2021 
  20. Singh, Olivia (9 de junho de 2021). «'Loki director Kate Herron says the Marvel show's opening scene was a 'fun hybrid' of reused and unused footage from 'Avengers: Endgame'». Insider (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  21. Frei, Vincent (19 de maio de 2021). «Loki». Art of VFX (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 7 de junho de 2021 
  22. Ramos, Dino-Ray (5 de maio de 2021). «'Loki' Premiere Date Moved Up By Two Days On Disney+». Deadline.com (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 5 de maio de 2021 
  23. D'Alessandro, Anthony (10 de junho de 2021). «'Loki' First-Day Viewership Scores Record For Disney+/Marvel Series, Per Samba TV». Deadline.com (em inglês). Consultado em 11 de junho de 2021. Cópia arquivada em 10 de junho de 2021 
  24. «Glorious Purpose». Rotten Tomatoes. Fandango Media. Consultado em 10 de junho de 2021 
  25. Siede, Caroline (9 de junho de 2021). «Kneel before Loki's impressively confident premiere». The A.V. Club (em inglês). Consultado em 10 de junho de 2021. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]