Gloster Meteor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Meteor
Picto infobox Mig 29.png
Um Gloster Meteor F.Mk.4 da RAF
Descrição
Tipo / Missão Caça, com motores turbojato, bimotor monoplano
País de origem  Reino Unido
Fabricante Gloster Aircraft Company
Período de produção 1942-1954
Quantidade produzida 3947 unidade(s)
Primeiro voo em 5 de março de 1943 (73 anos)
Introduzido em 27 de julho de 1944
Aposentado em 1980's
Tripulação 1
Especificações (Modelo: Meteor F.8)
Dimensões
Comprimento 13,59 m (44,6 ft)
Envergadura 11,32 m (37,1 ft)
Altura 3,96 m (13,0 ft)
Peso(s)
Peso vazio 4 846 kg (10 700 lb)
Peso carregado 7 121 kg (15 700 lb)
Propulsão
Motor(es) 2 x turbojatos Rolls-Royce Derwent 8
Força de empuxo (por motor) 1 632 kgf (16 000 N)
Performance
Velocidade máxima 965 km/h (521 kn)
Velocidade máx. em Mach 0,82 Ma
Alcance (MTOW) 965 km (600 mi)
Teto máximo 13 100 m (43 000 ft)
Razão de subida 35,6 m/s
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 4 × canhões 20 mm British Hispano MkV cannons
Foguetes 16 × HVAR
Bombas 2 x de 454 kg (1 000 lb)
Notas
Dados de: The Great Book of Fighters[nota 1] , Quest for Performance[1] e Aircraft in Profile, Volume 1[nota 2]

O Gloster Meteor foi o primeiro avião de caça a jato britânico e o único dos Aliados[2] a entrar em ação antes do fim da II Guerra Mundial. Projectado por W. George Carter, da Gloster Aircraft Company, começou a ser desenvolvido em novembro de 1940 e realizou seu primeiro voo em 5 de março de 1943. No início, o avião foi designado "Thunderbolt", mas para evitar confusão com o caça a hélice norte-americano Republic P-47, seu nome foi mudado para "Meteor".[3]

Os primeiros 7 das 20 unidades do Gloster Meteor F 1 encomendados pela RAF foram entregues nos primeiros dias de Julho de 1944. No dia 27 do mesmo mês, foram testados na caça às bombas voadoras alemãs V-1, sobre o Canal da Mancha, com relativo êxito.

Os Gloster Meteor F 3, mais aperfeiçoados, foram entregues à RAF em janeiro de 1945. Decolaram pela primeira vez para uma ação de combate, do aeroporto de Bruxelas, em 16 de abril de 1945, com a incumbência de interceptar os caças a jato alemães Messerschmitt Me 262. Entretanto, esse histórico encontro nos céus nunca aconteceu. A superveniência da paz tirou dos Gloster Meteor a possibilidade de serem postos em prova, ainda na II Guerra Mundial.[4]

Foram fabricados 3.947 unidades do Gloster Meteor que permaneceram em produção até 1954. Foi o primeiro jato de combate de diversas forças aéreas do mundo. Operou também nas forças aéreas da Argentina, Bélgica, Brasil, França, Egito, Israel, Síria e Suécia. Foi o primeiro avião britânico equipado com assento ejetável (desde a versão F 8 de 1948).[5]

O primeiro cliente sul-americano foi a Força Aérea Argentina (FAA), que em 1947 recebeu 100 aeronaves. Esses se enfrentaram no golpe de estado que derrubou o governo de Juan Domingo Peron em setembro de 1955.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil os primeiros modelos foram negociados em 1953 para utilização pela FAB (Força Aérea Brasileira) eram os F 8 e 10 T 7 (modelo de treino) montados na Fábrica do Galeão (RJ). O Meteor logo se transformou em sinônimo de avião de ataque por ser o principal avião caça da FAB até 1970 quando os Xavante (AT-26) foram adotados.[6]

O último voo em missão do Meteor no Brasil foi em 1971. Esse avião ser um símbolo de prosperidade na aviação militar; por vezes a FAB presenteava bases e órgãos públicos com versões "modificadas" do Meteor para servirem de ornamento, em exemplo contam-se o Meteor F8 da Praça Santos Dummont ("Praça do Avião") em Canoas, RS doado pela Base Aérea de Canoas (BACO), outro no Shopping Del Rey, em Belo Horizonte, MG, além de outra unidade na Base Aérea do Bacacheri, em Curitiba, PR, no portal da Base Aérea de Salvador e no interior da Academia da Força Aérea, em Pirassununga, São Paulo.

Também até a década passada alunos do Curso de Engenharia Mecânica da Universidade Federal do Paraná tinham à disposição, no então laboratório da cadeira de Máquinas Térmicas de combustão externa, um dos propulsores de Gloster Meteor desativado pela FAB, instalados em uma bancada para devidos testes do reator em funcionamento, marcando os eventos com seu peculiar som agudo e cheio.[7]

Um exemplar do Meteor F8 também está presente no Museu Aeroespacial (Musal). Bem como, na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) em Resende, no Rio de Janeiro.

Imagens[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Green 2001
  2. Andrews 1965, p. 12.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Green, William and Gordon Swanborough. The Great Book of Fighters. St. Paul, Minnesota: MBI Publishing, 2001. ISBN 0-7603-1194-3.
  • Andrews, C.F. "The Gloster Meteor F.8" Aircraft in Profile, Volume 1/Part1. Windsor, Berkshire, UK: Profile Publications Ltd., 4th revised edition 1975 (first published in 1965). ISBN 0-85383-410-5.
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.