Go-Nara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Go-Nara
Imperador do Japão
Reinado 9 de junho de 1526
a 27 de setembro de 1557
Entronamento 29 de março de 1535
Predecessor Go-Kashiwabara
Sucessor Ōgimachi
Xogum Ashikaga Yoshiharu (1526–45)
Ashikaga Yoshiteru (1545–57)
 
Nascimento 26 de janeiro de 1495
Morte 27 de setembro de 1557 (62 anos)
Nome de nascimento Tomohito (知仁?)
Esposa Madenokōji Eiko
Descendência Michihito, Imperador Ōgimachi
Eiju
Fukō
Seishū
Kakujyo
Casa Casa Imperial do Japão
Pai Go-Kashiwabara
Mãe Fujiwara Fujiko
Religião Xintoísmo

Go-Nara (後奈良? 26 de janeiro de 149527 de setembro de 1557) foi o 105º imperador do Japão, na lista tradicional de sucessão.[1] Pertencia ao Ramo Jimyōin-tō da Família Imperial. Seu reinado abrangeu os anos de 1526 a 1557.

Vida[editar | editar código-fonte]

Antes de ascender ao Trono do Crisântemo, seu nome pessoal era Príncipe Imperial Tomohito. Foi o segundo filho do imperador Go-Kashiwabara. Sua mãe foi Kajūji Fujiko, que mais tarde adotou o nome budista de Burakumon'in; filha de Kajūji Norihide líder do Ramo Kajūji do Clã Fujiwara.[1]

Em 9 de junho de 1526, Tomohito foi proclamado imperador Go-Nara após a morte de seu pai. Go-Nara começou seu reinado aos 31 anos.[2] No final deste ano o xogum Ashikaga Yoshiharu convidou arqueiros de províncias vizinhas para ir à capital para um concurso de arco e flecha.[2]

Em 1527, Miyoshi Motonaga organizou um exército na Província de Awa e marchou em direção a capital. Hosokawa Takakuni procurou impedir que esse exercito prosseguisse atacando-os no rio Katsura, mas não tive sucesso. Hosokawa Takakage veio em seu auxílio e suas forças combinadas conseguiram deter o avanço do exército.[2] Em 1528: O ex-Kanpaku Konoe Taneie se tornou Sadaijin. O antigo Naidaijin Koga Tsūgen tornou-se Udaijin. O ex-Dainagon Kujō Tanemichi tornou-se Naidaijin.[2]

Go-Nara só foi formalmente coroado imperador em 1538, dez anos depois. A Corte Imperial estava tão empobrecida que um apelo nacional por contribuições não pode ser formulado. Somente com contribuições do clã Hōjō, do clã Ōuchi, do clã Imagawa e de outros grandes clãs daimiôs do período Sengoku permitiram que o imperador realizasse as cerimônias formais de coroação.[2]

Em 1543 um junco chinês com aventureiros portugueses a bordo refugiou-se de uma tempestade na costa e aportou em Tanegashima o junco transportava arcabuzes e Tanegashima Tokitaka, daimiô da região, comprou as armas europeias que dessa forma foram introduzidas no Japão, passando a ser chamadas tanegashima devido a sua origem.[3]

Em 1551 membros da Corte que estavam preparando a mudança de Go-Nara de Quioto, devastada pela guerra, para a cidade de Ōuchi, em Yamaguchi, foram mortos no Incidente Tainei-ji, um golpe pelo domínio do clã Ōuchi. O massacre dos membros da Corte em Yamaguchi resultou em uma perda generalizada de registros da Corte, em especial os registros de como deveriam ser feitos os rituais imperiais e o calendário desses rituais. Durante e após o Incidente o imperador permaneceu em Quioto.[4]

Em 1557 o Go-Nara veio a falecer aos 60 anos. Go-Nara é consagrado com outros imperadores no túmulo imperial chamado Fukakusa no kita no misasagi em Fushimi-ku, Quioto.[1]

Referências

  1. a b c Agência da Casa Imperial: Go-Nara-tennō (em japonês)
  2. a b c d e Klaproth, Julius von (1834). Annales des empereurs du Japon (em francês). [S.l.]: Oriental Translation Fund, p. 372-382 
  3. Lidin, Olof G. (2002). Tanegashima:. The Arrival of Europe in Japan (em inglês). [S.l.]: NIAS Press, p. 01. ISBN 9788791114120 
  4. Conlan, Thomas D. (4 de maio de 2015). «The Failed Attempt to Move the Emperor to Yamaguchi and the Fall of the Ōuchi». Japanese Studie, Nº 35 Routledge, pp. Pages 185-203 (1-19) (em inglês). doi:10.1080/10371397.2015.1077679