Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fotografia aérea do Goetheanum

Goetheanum é a sede mundial do movimento antroposófico. Localizado em Dornach, Suíça, o centro inclui dois teatros, espaços para exposições e palestras, biblioteca, livraria e os escritórios da Sociedade Antroposófica. Seu nome é uma homenagem a Johann Wolfgang von Goethe.

O Goetheanum original foi projetado por Rudolf Steiner e destruído por um incêndio criminoso em 31 de dezembro de 1922. [1] Reconstruído inteiramente em concreto, só foi reinaugurado em 1928.[2]


  1. "Goetheanum I". ArchitectureWeek
  2. Beate Steinberg, Sculptural Architecture: Rudolf Steiner's Goetheanum at Dornach, from wood to concrete. Tese de mestrado. California State University, 1976, AAT 1308149

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Goetheanum

Você quis dizer: From Wikipedia, the free encyclopedia Aerial view Part of a series on Anthroposophy General Anthroposophy · Rudolf Steiner Anthroposophical Society · Goetheanum Anthroposophical inspired work Waldorf education Biodynamic agriculture Anthroposophical medicine Camphill Movement · Eurythmy Philosophy The Philosophy of Freedom · Social threefolding v t e Tha Goetheanum, located in Dornach (near Basel), Switzerland, is the world center for the anthroposophical movement. The building was designed by Rudolf Steiner and named after Johann Wolfgang von Goethe. It includes two performance halls (1500 seats), gallery and lecture spaces, a library, a bookstore, and administrative spaces for the Anthroposophical Society; neighboring buildings house the Society's research and educational facilities. Conferences focusing on themes of general interest or directed toward teachers, farmers, doctors, therapists, and other professionals are held at the center throughout the year. Both the present Goetheanum building and its precursor have been widely cited as masterpieces of modern architecture,[1][2][3][4][5] The Goetheanum is open for visitors seven days a week and offers tours several times daily. Contents 1 First Goetheanum 2 Second Goetheanum 3 Architectural principles 3.1 Additional buildings 4 References 5 External links First Goetheanum First Goetheanum The First Goetheanum, a timber and concrete structure designed by Rudolf Steiner,[6][7] was one of seventeen buildings Steiner designed and supervised between 1908 and 1925.[8] It was intended as a Gesamtkunstwerk (the synthesis of diverse artistic media and sensory effects), infused with spiritual significance.[9] Begun in 1913 to house the annual summer theater events of the Anthroposophical Society,[10] it rapidly became the center of a small colony of spiritual seekers located in Dornach and based around Steiner.[11] Numerous visual artists contributed to the building: architects created the unusual double-dome wooden structure over a curving concrete base, stained glass windows added color into the space, painters decorated the ceiling with motifs depicting the whole of human evolution, and sculptors carved huge column bases, capitals, and architraves with images of metamorphoses.[8][12] Already during the construction, musicians, actors and movement artists began performing a wide variety of pieces in a neighboring workshop. When the Goetheanum hall was completed, in 1919, these performances moved onto the stage located under the Goetheanum's smaller cupola. The auditorium was located under the larger cupola. This building was destroyed by arson on New Year's Eve, December 31, 1922 – January 1, 1923.[12][13] Second Goetheanum Second Goetheanum, West front and North side at dusk Second Goetheanum, South side view Performance hall showing carved columns, stained-glass windows and painted ceiling File:Goetheanum.ogvPlay media Octocopter flight over the Goetheanum In the course of 1923, Steiner designed a building to replace the original. This building, now known as the Second Goetheanum, was wholly built of cast concrete. Begun in 1924, the building was not completed until 1928,[10] after the architect's death. It represents a pioneering use of visible concrete in architecture[14] and has been granted protected status as a Swiss national monument.[15] Art critic Michael Brennan has called the building a "true masterpiece of 20th-century expressionist architecture".[16] The present Goetheanum houses a 1000-seat auditorium, now the center of an active artistic community incorporating performances of its in-house theater and eurythmy troupes as well as visiting performers from around the world. Full remodelings of the central auditorium took place in the mid-1950s and again in the late 1990s. The stained glass windows in the present building date from Steiner's time; the painted ceiling and sculptural columns are contemporary replications or reinterpretations of those in the First Goetheanum. The Representative of Humanity (detail). In a dedicated gallery, the building also houses a nine-meter high wooden sculpture, The Representative of Humanity, by Edith Maryon and Rudolf Steiner. Architectural principles Steiner's architecture is characterized by a liberation from traditional architectural constraints, especially through the departure from the right-angle as a basis for the building plan. For the first Goetheanum he achieved this in wood by employing boat builders to construct its rounded forms; for the second Goetheanum by using concrete to achieve sculptural shapes on an architectural scale.[17] The use of concrete to achieve organically expressive forms was an innovation for the times; in both buildings, Steiner sought to create forms that were spiritually expressive.[18] Steiner suggested that he had derived the sculptural forms of the first Goetheanum as spiritual inspirations.[19] Additional buildings Steiner designed approximately 12-13 other built structures, principally residences in and around Dornach[18] as well as purpose built buildings such as the Glass House which houses the School of Spiritual Sciences.[20] Steiner is one of very few major architects[21] who was never the pupil of another major architect.[22] Architects who have visited and praised the Goetheanum's architecture include Henry van de Velde, Frank Lloyd Wright, Hans Scharoun and Frank Gehry.[23] References Both Goetheanum buildings are listed as among the most significant 100 buildings of modern architecture by Goulet, Patrice, Les Temps Modernes?, L'Architecture D'Aujourd'hui, December 1982 Rudolf Steiner, Great Buildings Online Michael Brennan, rudolf steiner, Artnet Hortola, Policarp. "The Aesthetics of haemotaphonomy: A study of the stylistic parallels between a science and literature and the visual arts". Eidos 2009, n.10, pp. 162-193 Spirituelles Gemeinschaftswerk Das Erste Goetheanum in Dornach – eine Ausstellung im Schweizerischen Architekturmuseum Basel, Neue Zurcher Zeitung 10.5.2012 Patrice Goulet, "Les Temps Modernes?", L'Architecture D'Aujourd'hui, Dec. 1982, pp. 8-17. Goetheanum I in The Great Buildings Collection, compiled by ArchitectureWeek. Great buildings online listing David Adams, "Rudolf Steiner's First Goetheanum as an Illustration of Organic Functionalism", The Journal of the Society of Architectural Historians, 51(2), 182-204, June 1992. Abstract Eugene Santomasso, Origins and Aims of German Expressionist Architecture: An essay into the expressionist frame of mind in Germany, especially as typified in the work of Rudolf Steiner, Ph.D. dissertation, Columbia University, 1973, AAT 7616368. Dissertation extract Beate Steinberg, Sculptural Architecture: Rudolf Steiner's Goetheanum at Dornach, from wood to concrete, Master's thesis, California State University, 1976, AAT 1308149. Anna Sokolina, ed., co-author, Architecture and Anthroposophy, "Part One: Origins", "Part Two: New Impulses", 1st and 2nd edition, M: KMK, 2001, 2010. Bernadette (Becky) Schwarz, A Study of Rudolf Steiner's First Goetheanum, M.A. thesis, Michigan State University, 1983. "Home of Theosophy Burns", The New York Times, Jan 2, 1923. Dornach in German, French and Italian in the online Historical Dictionary of Switzerland. Hans Hasler, "A sculptural expression of harmony", Architects' Journal , S9(3), March 4, 1999. Michael Brennan, "Rudolf Steiner", review in artnet Magazine, 3/18/98. Artnet review Richard Reid, The book of buildings: Ancient, medieval, Renaissance & modern architecture of North America & Europe, ISBN 0-442-27805-5. Chapter title "Modern Architecture", subsection "Switzerland". Werner Blaser, Nature in Buildings: Rudolf Steiner in Dornach 1913-1925, ISBN 3-7643-6541-2 Rudolf Steiner, Ways to a New Style in Architecture, five lectures given at Dornach, Switzerland during the building of the First Goetheanum, 1914. Also published as Architecture as a Synthesis of the Arts, 1999, ISBN 1-85584-057-X John Paull (2012) "The Glass House: Crucible of Biodynamic Agriculture". Journal of Bio-Dynamics Tasmania, 108 (Summer), pp. 18-23. Adolf K. Placzek, editor in chief. Published New York : Free Press ; London : Collier Macmillan, 1982. ISBN 0-02-925000-5 Garry Stevens in "The Favored Circle", 1998, MIT ISBN 0262194082 Reinhold Johann Fäth, Rudolf Steiner Design – Spiritueller Funktionalismus Kunst, Diss. University of Konstanz (2004) (as PDF)

Da Wikipédia, a enciclopédia livre Vista aérea Parte de uma série sobre Antroposofia Geral Antroposofia · Rudolf Steiner Sociedade Antroposófica · Goetheanum Trabalho inspirado antroposoficamente

Educação Waldorf A agricultura biodinâmica Medicina antroposófica Camphill Movimento · Eurythmy Filosofia A Filosofia da Liberdade · trimembração social

    v t e

O Goetheanum, localizado em Dornach (perto de Basileia), Suíça, é o centro mundial para o movimento antroposófica. O edifício foi projetado por Rudolf Steiner e nomeado após Johann Wolfgang von Goethe. Ele inclui duas salas de desempenho (1500 lugares), galeria de aula e espaços, uma biblioteca, uma livraria e espaços administrativos para a Sociedade Antroposófica; edifícios vizinhos abrigar instalações de investigação e de ensino da Sociedade. Conferências centradas em temas de interesse geral, ou voltados para professores, agricultores, médicos, terapeutas e outros profissionais são mantidos no centro ao longo do ano.

Tanto o actual edifício Goetheanum e seu precursor têm sido amplamente citada como obras-primas da arquitetura moderna, [1] [2] [3] [4] [5]

O Goetheanum está aberto para visitantes sete dias por semana e oferece passeios várias vezes ao dia.


    1 Primeiro Goetheanum     2 Segundo Goetheanum     3 princípios arquitetônicos         3.1 edifícios adicionais     4 Referências     5 Ligações externas

Primeiro Goetheanum Primeiro Goetheanum

O Primeiro Goetheanum, uma madeira e estrutura de concreto projetado por Rudolf Steiner, [6] [7] foi um dos dezessete edifícios Steiner projetou e supervisionou entre 1908 e 1925. [8] Foi concebida como um Gesamtkunstwerk (a síntese de diversos meios artísticos e efeitos sensoriais), infundido com significado espiritual. [9] Iniciada em 1913 para abrigar os eventos anuais teatro de verão da Sociedade Antroposófica, [10], tornou-se rapidamente o centro de uma pequena colônia de buscadores espirituais localizados em Dornach e baseado em torno de Steiner . [11] Numerosos artistas visuais contribuiu para a construção: arquitetos criou o duplo cúpula estrutura de madeira incomum sobre uma base de concreto curva, vitrais cor adicionada no espaço, pintores decorado o teto com motivos que descrevem toda a evolução humana, e escultores esculpidas enormes bases de coluna, capitéis e arquitraves com imagens de metamorfoses. [8] [12]

Já durante a construção, músicos, atores e artistas do movimento começou a executar uma grande variedade de peças em uma oficina vizinha. Quando o salão Goetheanum foi concluído, em 1919, essas performances se mudou para o palco localizado sob menor cúpula do Goetheanum. O auditório estava localizado sob a cúpula maior.

Este edifício foi destruído por um incêndio na véspera de Ano Novo, 31 de dezembro de 1922 - 1 de Janeiro de 1923. [12] [13] Segundo Goetheanum Segundo Goetheanum, West frente e do lado norte no crepúsculo Segundo Goetheanum, South vista lateral Salão de desempenho que mostra colunas esculpidas, vitrais e tecto pintado Arquivo: mídia Goetheanum.ogvPlay Octocopter vôo sobre o Goetheanum

No decurso de 1923, Steiner concebido um edifício para substituir o original. Este edifício, agora conhecido como o Segundo Goetheanum, foi totalmente construída de concreto fundido. Iniciado em 1924, o edifício não foi concluída até 1928 [10], após a morte do arquiteto. Ele representa um uso pioneiro de concreto visível na arquitetura [14] e foi concedido o estatuto protegido como monumento nacional suíço. [15] O crítico de arte Michael Brennan pediu a construção de uma "verdadeira obra-prima da arquitetura expressionista do século 20". [16 ]

O presente Goetheanum abriga um auditório de 1000 lugares, agora no centro de uma comunidade artística activa incorporando performances de seu teatro em casa e eurythmy trupes, bem como artistas convidados de todo o mundo. Remodelação completa do auditório central, ocorreu em meados dos anos 1950 e novamente no final de 1990. Os vitrais na presente data edifício da época de Steiner; o tecto pintado e colunas esculturais são repetições ou reinterpretações contemporâneas daqueles no Primeiro Goetheanum. O Representante da Humanidade (detalhe).

Em uma galeria dedicada, o prédio também abriga um alto escultura de madeira de nove metros, o representante da humanidade, por Edith Maryon e Rudolf Steiner. Princípios arquitetônicos

Arquitetura de Steiner é caracterizada por uma libertação de constrangimentos da arquitectura tradicional, especialmente através da saída do ângulo reto como uma base para o plano de construção. Pela primeira Goetheanum ele conseguiu isso em madeira, empregando construtores de barcos para a construção de suas formas arredondadas; . para o segundo Goetheanum usando concreto para alcançar formas esculturais em escala arquitetônica [17] O uso de concreto para alcançar formas organicamente expressivas foi uma inovação para os tempos; em ambos os edifícios, Steiner procurou criar formas que eram espiritualmente expressivo. [18]

Steiner sugeriu que ele havia obtido as formas esculturais do primeiro Goetheanum como inspirações espirituais. [19] Edifícios adicionais

Steiner projetado cerca de 12-13 outras estruturas construídas, principalmente residências e em torno de Dornach [18], bem como construído propositadamente edifícios como a Casa de vidro que abriga a Faculdade de Ciências Espirituais. [20] Steiner é um dos poucos grandes arquitetos [ 21], que nunca foi o aluno de outro grande arquiteto. [22]

Arquitetos que visitaram e elogiaram a arquitetura do Goetheanum incluem Henry van de Velde, Frank Lloyd Wright, Hans Scharoun e Frank Gehry. [23] Referências

Ambos os edifícios Goetheanum são listados como entre as mais significativas 100 edifícios de arquitetura moderna por Goulet, Patrice, Les Temps Modernes ?, L'Architecture D'Aujourd'hui, dezembro 1982 Rudolf Steiner, Great Buildings on-line Michael Brennan, Rudolf Steiner, Artnet Hortola, Policarpo. "A estética da haemotaphonomy: Estudo sobre os paralelos estilísticos entre ciência e literatura e as artes visuais". Eidos 2009, n.10, pp. 162-193 Spirituelles Gemeinschaftswerk Das Erste Goetheanum em Dornach - eine Ausstellung im Schweizerischen Architekturmuseum Basileia, 10.5.2012 Neue Zürcher Zeitung Patrice Goulet, "Les Temps Modernes?", L'Architecture D'Aujourd'hui, dezembro 1982, pp. 8-17. Goetheanum I em A Coleção Grandes edifícios, compilado por ArchitectureWeek. Grandes edifícios lista online David Adams, "First Goetheanum de Rudolf Steiner como uma ilustração do Funcionalismo orgânico", o jornal da Sociedade de Historiadores de arquitetura, 51 (2), 182-204, Junho de 1992. Abstract Eugene Santomasso, Origens e Objetivos do expressionista alemão Arquitetura: Um ensaio para o quadro expressionista de espírito na Alemanha, especialmente como tipificado no trabalho de Rudolf Steiner, Ph.D. dissertação, Universidade de Columbia, 1973, extrato de AAT 7616368. Dissertação Beate Steinberg, Arquitectura Escultural: Goetheanum de Rudolf Steiner em Dornach, a partir de madeira para concreto, tese de mestrado, Universidade Estadual da Califórnia, 1976, AAT 1308149. . Anna Sokolina, ed, co-autor, Arquitetura e Antroposofia, "Part One: Origins", "Parte Dois: novos impulsos", 1ª e 2ª edição, M: KMK 2001, de 2010. Bernadette (Becky) Schwarz, Um Estudo de Primeira Goetheanum de Rudolf Steiner, tese de mestrado, Universidade Estadual de Michigan, de 1983. "Casa da Teosofia queimaduras", The New York Times, 02 de janeiro de 1923. Dornach em alemão, francês e italiano em linha Dicionário histórico de Suíça. Hans Hasler, "A expressão escultural de harmonia", Jornal Arquitectos, S9 (3), 04 março de 1999. Michael Brennan, "Rudolf Steiner", na avaliação Revista artnet, 3/18/98. Artnet avaliação Richard Reid, O livro de edifícios: antiga, medieval, renascentista e arquitetura moderna da América do Norte e Europa, ISBN 0-442-27805-5. Título do capítulo "Arquitetura Moderna", subseção "Suíça". Werner Blaser, Natureza em Edifícios: Rudolf Steiner em Dornach 1913-1925, ISBN 3-7643-6541-2 Rudolf Steiner, maneiras a um novo estilo em Arquitetura, cinco palestras dadas em Dornach, Suíça, durante a construção do primeiro Goetheanum, 1914. Também publicado como Arquitetura como uma síntese das artes, 1999, ISBN 1-85584-057-X John Paull (2012) "The Glass House: Crucible of Agricultura Biodinâmica". Journal of Bio-Dynamics Tasmânia, 108 (Verão), pp. 18-23. Adolf K. Placzek, editor-chefe. Publicado New York: Free Press; Londres: Collier Macmillan, 1982. ISBN 0-02-925000-5 Garry Stevens em "O Círculo Favorecida", 1998, ISBN 0262194082 MIT Reinhold Johann Fath, Rudolf Steiner Design - Spiritueller Funktionalismus Kunst, Diss. Universidade de Konstanz (2004) (como PDF)

Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.