Goioerê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Goioerê
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Goioerê
Bandeira
Brasão de armas de Goioerê
Brasão de armas
Hino
Lema Progride pelo trabalho
Apelido(s) "Capital do Algodão Brasileiro[1]"
Gentílico goioerense[2]
Localização
Localização de Goioerê no Paraná
Localização de Goioerê no Paraná
Mapa de Goioerê
Coordenadas 24° 11' 06" S 53° 01' 40" O
País Brasil
Unidade federativa Paraná
Região intermediária[3] Maringá
Região imediata[3] Campo Mourão
Municípios limítrofes Norte: Moreira Sales;
Leste: Janiópolis;
Sul: Rancho Alegre d'Oeste e Quarto Centenário;
Oeste: Formosa do Oeste e Mariluz.
Distância até a capital 567 km[4]
História
Fundação 10 de agosto de 1955 (66 anos)
Aniversário 10 de agosto
Administração
Prefeito(a) Roberto dos Reis de Lima[5] (PSD, 2021 – 2024)
Vereadores 9
Características geográficas
Área total [8] 564,163 km²
 • Área urbana (Embrapa/2015) [9] 11,821 km²
População total  estimativa IBGE/2021[10] 28 734 hab.
 • Posição BR: 1091º - PR: 62º
Densidade 50,9 hab./km²
Clima subtropical úmido (Cfa)[6]
Altitude [11] 505 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 87360-000 a 87364-999[7]
Indicadores
IDH (PNUD/2010) [12] 0,731 alto
 • Posição BR: 993º - PR: 78º
Gini (IBGE/2010) [13] 0,492
PIB (IBGE/2017) [14] R$ 815 501,80 mil
 • Posição BR: 910º
PIB per capita (IBGE/2017) R$ 27 491,30
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora das Candeias[15]
Sítio goioere.pr.gov.br (Prefeitura)
cmgoioere.pr.gov.br (Câmara)

Goioerê (pronuncia-se AFI[ɡojoiɾˈe]) é um município brasileiro no interior do estado do Paraná, região Sul do país. Pertence à Região Geográfica Imediata de Campo Mourão, que por sua vez integra a Região Geográfica Intermediária de Maringá, distando 567 km a noroeste (NO) de Curitiba, capital estadual.[4] Sua população, conforme estimativas do IBGE de 2021, era de 28 734 habitantes[10], sendo o segundo município mais populoso da Região Metropolitana de Campo Mourão (RMCM).[10]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Bandeiras de Goioerê, Brasil e Paraná

O município recebeu este nome devido a, durante sua colonização, as primeiras fazendas de café terem se estabelecido às margens do Rio Goioerê, nome este que provém da língua caingangue, a língua da nação indígena que habitou (e ainda habita) várias regiões do estado.

  • goio significa "água", "rio". Mais corretamente, a palavra é ngoi, pois, na pronúncia caingangue, antes do "g" há um som nasal, formando um som de "ng".
  • significa "campo", "campina", mas, devido à forma como os caingangues pronunciam o seu "r", os brasileiros costumam registrar, na escrita, uma vogal "e" antes do "r".[16]

No nome "Goioerê", se juntam dois substantivos. A ordem do caingangue é parecida com a da língua inglesa, ou seja, invertida. Portanto, a tradução correta seria:Goioerê = ngoi + = "campo da água".[16]

História[editar | editar código-fonte]

Surgimento[editar | editar código-fonte]

A região onde está localizado o município de Goioerê é conhecida desde o século XVI contudo, somente na década de 1950 é que o povoamento e a exploração se efetivaram.

Em 1950, Carlos Scarpari e seu irmão mais velho, Francisco Scarpari, juntamente com Wladimir Antonio Neves Scarpari, filho de Francisco, se estabeleceram às margens do Rio Goioerê, fundando, ali, as primeiras fazendas de café. Embalados pelas notícias do surgimento de inúmeras cidades na região, os Scarpari fundaram a Imobiliária Sociedade Goioerê. O povoamento se fez rapidamente. As primeiras famílias a adquirirem lotes foram as da cidade gaúcha de Júlio de Castilhos.

Um fator de progresso na região foi a construção de importante rodovia ligando Campo Mourão a Cascavel e passando pela localidade de Goioerê.

Através da Lei Estadual 48, de 10 de agosto de 1955, foi criado o município de Goioerê, com território desmembrado de Campo Mourão.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O município de Goioerê está situado na região de maior produtividade de hortelã do mundo. No ano de 1966, o município produziu 250 000 kg e, em 1967, foram 600 000 kg, sendo considerado o maior produtor do mundo desse importante vegetal na época.[17]

O município se destacou na década de 1980 e até meados de década de 1990 como maior produtor nacional de algodão,[18] com isso o município que ainda agregava os distridos de Rancho Alegre d'Oeste e Quarto Centenário chegou a ter uma população de quase 100 000 habitantes, a maioria na zona rural. Nos anos de 1990, Goioerê era o maior produtor de algodão do Paraná e o estado respondia por 50% da produção nacional da cultura.[19] Para o beneficiamento dessa matéria-prima, foram implantadas a Fiação Coagel (Cooperativa Agropecuária de Goioerê), atual Coamo e a Montecatini que atualmente é conhecida por Sintex foi a primeira tinturaria industrial do estado, prestadora de serviços para terceiros. Sob essas condições houve um boom no setor de confecção na região.

Com o objetivo de se promover o desenvolvimento, empenhou-se para tornar-se um polo têxtil regional. Envidou ações no sentido de viabilizar a implantação de indústria à jusante da fiação de algodão. Em 1992, foi implantado no município o curso de Engenharia Têxtil através da criação de uma extensão da Universidade Estadual de Maringá.

Em junho de 1988, ocorreu um dos mais longos assalto a banco da história do país, quando assaltantes tentaram roubar o Banco do Brasil, mas após cerco policial, os bandidoss fizeram reféns. Desde a entrada dos meliante na agência bancária até o desfecho final, foram mais de 145 horas neste evento.[20]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Goioerê está localizada na região Sul do Brasil, no leste (L) do estado do Paraná, sobre a unidade geomorfológica denominada Terceiro Planalto Paranaense, especificamente na sua parte menos ondulada.[21] A área do município, segundo o IBGE, é de 564,163 km²,[8] sendo que 11,821 km² constituem a zona urbana.[9] Situa-se a 24° 11′ 06″ de latitude sul (S) e 53° 01′ 40″ de longitude oeste (O) e está a uma distância de 567 km a NO da capital estadual.[4] Seus municípios limítrofes são: Moreira Sales (N); Janiópolis (L); Rancho Alegre d'Oeste e Quarto Centenário (S); e Formosa do Oeste e Mariluz (O).[21]

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE, o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Maringá e Imediata de Campo Mourão. Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Goioerê, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Centro Ocidental Paranaense.[22] Compõem o município dois distritos: Jaracatiá[23] e Goioerê (sede).

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
197073 854
198048 792−33,9%
199145 131−7,5%
200029 750−34,1%
201029 018−2,5%
Est. 202028 808[24]−0,7%
Fonte: IBGE.[25]

Em 2010, a população do município foi contada pelo IBGE em 29 018 habitantes,[26] sendo o 67º mais populoso do Paraná e o 1219º do país, apresentando uma densidade populacional de 51,44 pessoas por quilômetro quadrado.[27] Segundo o censo daquele ano, 14 006 moradores eram homens e 15 012 habitantes mulheres. Ainda conforme o mesmo censo, 25 242 residentes viviam na zona urbana e 3 776 pessoas representavam a população rural.[26] Já segundo estatísticas divulgadas em 2020, a população municipal era de 28 808 habitantes. Da população total em 2010, 6 348 habitantes (21,88%) tinham menos de 15 anos, 19 940 pessoas (68,72%) tinham de 15 a 64 e 2 730 moradores (9,41%) possuíam mais de 65, sendo que a esperança de vida ao nascer era de 75,97.[28] A taxa de fecundidade total por mulher era de 1,83.[29]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Goioerê é considerado alto pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sendo que seu valor é de 0,731 (o 993º maior do Brasil). Considerando-se apenas o índice de educação o valor é de 0,639, o de longevidade é de 0,850 e o de renda é de 0,720.[30] De 2000 a 2010, a proporção de pessoas com renda domiciliar per capita de até meio salário mínimo reduziu em 74,65% e em 2010, 93,30% da população vivia acima da linha de pobreza, 4,17% encontrava-se nessa situação e 2,53% estava abaixo.[31] O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,492, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[13] A participação dos 20% da população mais rica da cidade no rendimento total municipal era de 53,76%, ou seja, 11,81 vezes superior à dos 20% mais pobres, que era de 4,55%.[31]

Região metropolitana[editar | editar código-fonte]

Imagem de satélite parcial da RMCM.

O processo de conurbação atualmente em curso na chamada Grande Campo Mourão vem criando uma metrópole cujo centro está em Campo Mourão. A RMCM foi criada no ano de 2015 e atualmente é constituída por 25 municípios,[32] com 327 595 habitantes, ou 2,84% da população paranaense, sendo a 12ª maior aglomeração urbana do Brasil em quantidade de cidades englobadas. É uma das mais dinâmicas no cenário econômico brasileiro e representa 2,72% do produto interno bruto (PIB) estadual, ou seja, cerca de 11,9 bilhões de reais por ano.[33]

Povoamento[editar | editar código-fonte]

A região onde hoje está localizado o município de Goioerê, apesar de ter sofrido domínio de outros povos desde o século XVI, só teve seu efetivo povoamento na metade do século XX, ganhando impulso a partir dos anos 1940 e, em especial, nos anos 1950 e 1960, no contexto da expansão da fronteira agrícola paranaense, com o advento das colônias de povoamento implantadas tanto pelas companhias privadas quanto pelo poder público estadual. Todo esse processo está fortemente ligado à evolução da cafeicultura, mas também do cultivo da hortelã e do algodão, que empregava grande número de mão-de-obra.[33]

Em 1970, moravam em Goioerê 73 854 pessoas,[26] sendo o número elevado para 100 360 em 1975.[1] Em 1980, estimava-se a população de Goioerê em 22 311 pessoas na cidade e 48 792 no município. No ano de 1991, viviam 45 131 pessoas no município.[26]

Vista panorâmica de Goioerê.

Composição étnica[editar | editar código-fonte]

Em 2010, segundo dados do censo do IBGE daquele ano, a população mariluzense era composta por 15 117 brancos (52,30%); 12 383 pardos (42,67%); 944 pretos (3,25%); 501 amarelos (1,73%) e 13 indígenas (0,04%). Não constavam pessoas sem declaração.[34] No mesmo ano, 28 971 habitantes eram brasileiros (99,84%), sendo 28 891 natos (99,56%) e 80 naturalizados nacionais (0,28%), e 47 eram estrangeiros (0,16%).[35]

Considerando-se a região de nascimento, 22 803 eram nascidos no Sul (78,58%), 3 802 no Sudeste (13,10%), 1 866 no Nordeste (6,43%), 232 no Centro-Oeste (0,80%) e 51 no Norte (0,18%).[36] 22 647 habitantes eram naturais do estado do Paraná (78,05%) e, desse total, 15 449 eram nascidos em Goioerê (53,24%).[37] Entre os naturais de outras unidades da federação, São Paulo era o estado com maior presença, com 2 722 pessoas (9,38%), seguido por Minas Gerais, com 998 residentes (3,44%), e pela Bahia, com 580 moradores no município (2,00%).[36]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

A agricultura é o segundo setor mais relevante para a economia de Goioerê. De todo o PIB da cidade, 141 515,91 mil reais é o valor adicionado da agropecuária.[38] Segundo o IBGE, em 2019, o município contava com cerca de 11 762 bovinos, 80 caprinos, 510 equinos, 810 ovinos e 2 243 suínos. Naquele ano, foram produzidos 5 878 mil litros de leite de 1 804 vacas ordenhadas e 19 600 quilos de mel de abelha.[39] Na lavoura temporária, foram produzidos principalmente o milho (176 200 toneladas), a soja (109 120 toneladas) e a cana-de-açúcar (49 000 toneladas).[40] Como referência cultural, os ramos de café e de algodão aparecem no brasão de Goioerê porque antigamente eram cultivados na época da criação do escudo.[41]

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

A indústria, é o setor menos relevante para a economia do município. 98 156,71 mil reais do PIB municipal são do valor adicionado da indústria (setor secundário).[38]

Entre os principais produtos merecem destaque os gêneros alimentícios, mobiliário, minerais não-metálicos, madeira, químicos e farmacêuticos, bebidas e artefatos de couros e peles.[42] O maior complexo de indústrias do município é o Distrito Industrial de Goioerê.[43]

Organização político-administrativa[editar | editar código-fonte]

O Município de Goioerê possui uma estrutura político-administrativa composta pelo Poder Executivo, chefiado por um Prefeito eleito por sufrágio universal, o qual é auxiliado diretamente por secretários municipais nomeados por ele, e pelo Poder Legislativo, institucionalizado pela Câmara Municipal de Goioerê, órgão colegiado de representação dos munícipes que é composto por vereadores também eleitos por sufrágio universal.[44]

Lista de prefeitos[editar | editar código-fonte]

  • Francisco Scarpari: 1956-1960
  • Ladislau Schicorski: 1961-1964
  • Gil Marques de Almeida: 1965-1968
  • Alcyr Araújo: 1969-1972
  • Vicente Massahiro Okamoto: 1973-1976
  • Luiz Kamide: 1977-1982
  • Vicente Massahiro Okamoto: 1983-1988
  • Fuad Kiffuri: 1989-1992
  • Jose Paulo Novaes: 1993-1996
  • Vicente Massahiro Okamoto: 1997-2000
  • Antonio Bernardino de Sena Neto: 2001-2004
  • Fuad Kiffuri: 2005-2008
  • Luiz Roberto Costa: 2009-2012
  • Luiz Roberto Costa: 2013-2016
  • Pedro Coelho: 2017-2020
  • Roberto dos Reis de Lima: 2021-

Prato típico[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Leitão maturado

O prato típico do município é o leitão maturado, criado por Roque Ademir Karoleski, foi oficializado em 11 de maio de 2003. De acordo com seu criador, o prato surgiu por acaso, o que era para ser um porco defumado, passou a ser um assado, ou seja, o leitão maturado. Karoleski, que é catarinense, conta que desde menino aprendeu a fazer defumados e quando veio para Goioerê manteve o hábito para o consumo da família e de amigos. Para o preparo dos defumados, ele contava com o auxílio do amigo e vizinho Cláudio Buralli, que lhe fornecia sabugos de milho (que produzem fumaça branca, deixando os defumados com aparência mais bonita).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Histórico de Goioerê». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Panorama de Goioerê». Consultado em 6 de setembro de 2020 
  3. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  4. a b c Tribunal Regional do Trabalho (TRT). «Jurisdição Trabalhista dos 399 Municípios do Paraná». Consultado em 29 de agosto de 2020 
  5. Prefeito e vereadores de Goioerê tomam posse Portal G1 - acessado em 2 de fevereiro de 2021
  6. Secretaria da Educação e do Esporte (SEED). «Classificação Climática». Consultado em 6 de setembro de 2020 
  7. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). «Busca Faixa CEP». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  8. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2019). «Área territorial - Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação e Municípios». Consultado em 29 de agosto de 2020 
  9. a b Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) (2015). «Áreas Urbanas no Brasil em 2015». Consultado em 29 de agosto de 2020 
  10. a b c «Estimativa populacional 2021 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2021. Consultado em 28 de agosto de 2021 
  11. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). «Paraná». Consultado em 5 de setembro de 2020. Arquivado do original em 25 de outubro de 2014 
  12. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). «Ranking do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  13. a b Serviço Social da Indústria (SESI) (2010). «ODS 10 - Redução de desigualdades». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  14. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Produto Interno Bruto dos Municípios». Consultado em 30 de agosto de 2020 
  15. Governo do Paraná. «Datas Cívicas e Dias do Padroeiro». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  16. a b «A língua Kaingang» (PDF). Portal Kaingang. Consultado em 5 de setembro de 2018 
  17. «Início da Economia Goioerense». Consultado em 27 de Janeiro de 2009 
  18. «Produção e consumo de algodão e as indústrias de fiações de algodão no Paraná». Consultado em 27 de Janeiro de 2009 
  19. «A sociedade civil e políticos locais, desempenham um papel fundamental no desenvolvimento do câmpus». Consultado em 27 de Janeiro de 2009 
  20. Morre padre que negociou no assalto mais longo da história do Brasil portal CGN - acessado em 1 de agosto de 2017
  21. a b Plano Diretor de Uso e Ocupação do Solo (PDUOS) (2018). «Análise Regional» (PDF). Consultado em 16 de dezembro de 2020 
  22. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «O recorte das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias de 2017» (PDF). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. p. 20–34. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  23. Prefeitura de Goioere (11 de outubro de 2017). «Em Jaracatiá Pedro Coelho entrega iluminação pública em rua e visita empresa Amitec». Consultado em 31 de outubro de 2017 
  24. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE_Pop_2020
  25. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE_Pop_2010
  26. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 200 - População residente, por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  27. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 1301 - Área e Densidade demográfica da unidade territorial». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  28. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). «Perfil do Município de Goioerê». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  29. Serviço Social da Indústria (SESI). «Indicadores de população, pirâmide etária, expectativa de vida e IDH de Goioerê». Consultado em 12 de dezembro de 2020 
  30. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). «Ranking IDHM dos Municípios 2010». Consultado em 12 de dezembro de 2020. Cópia arquivada em 16 de novembro de 2020 
  31. a b Serviço Social da Indústria (SESI) (2010). «ODS 01 - Erradicação da pobreza». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  32. G1 (2015). «Richa sanciona lei para criar Região Metropolitana de Campo Mourão». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  33. a b Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES) (2020). «Perfil da Região Metropolitana de Campo Mourão». Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  34. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 2093 - População residente por cor ou raça, sexo, situação do domicílio e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  35. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 1497 - População residente, por nacionalidade - Resultados Gerais da Amostra». Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  36. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento». Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  37. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra». Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  38. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2018). «Produto Interno Bruto dos Municípios». Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  39. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2019). «Pecuária». Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  40. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2019). «Produção Agrícola - Lavoura Temporária». Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  41. Prefeitura Municipal de Goioerê (1987). «Lei nº 1.068, de 10 de agosto de 1987». Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  42. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES) (2020). «Caderno Estatístico do Município de Goioerê». Consultado em 23 de dezembro de 2020 
  43. Plano Diretor do Município de Goioerê (2019). «Loteamentos». Consultado em 23 de dezembro de 2020 
  44. MEIRELLES, Hely Lopes. Direito municipal brasileiro. 18. ed. São Paulo: Malheiros, 2017.