Golpe de Estado na Guiné em 2021

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Golpe de Estado na Guiné em 2021
Guinea-CIA WFB Map.png
Data 5 de setembro de 2021
Local Conacri, Guiné
Desfecho Golpe bem-sucedido
  • Captura do presidente Alpha Condé
  • Dissolução do governo, suspensão da Constituição e fechamento das fronteiras
Beligerantes
Guiné Governo da Guiné Guiné Comitê Nacional de Reconciliação e Desenvolvimento
  • Guiné Forças Armadas da Guiné
Comandantes
Alpha Condé (ex-presidente) Mamady Doumbouya (comandante das Forças Especiais)
Militares desfilando na cidade de Kaloum, um dia após o golpe.

O golpe de Estado na Guiné em 2021 iniciou-se em 5 de setembro de 2021 quando o presidente da Guiné, Alpha Condé, foi capturado após tiroteios na capital do país.[1] Embora tenha havido um comunicado divulgado no início do dia dizendo que um ataque ao Palácio Presidencial havia sido repelido, uma filmagem que parecia mostrar o presidente sendo detido foi divulgada e compartilhada nas redes sociais.[2] O coronel comandante Mamady Doumbouya das forças especiais do país estaria por trás do golpe de Estado.[3] Os militares anunciaram que suspenderam a constituição, dissolveram o governo e fecharam todas as fronteiras.[3][4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências