Golpe de Estado na Síria em março de 1949

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Golpe de Estado na Síria em março de 1949
Parte da(o) Guerra Fria
Data Março de 1949
Local Síria Síria
Desfecho Queda de Shukri al-Quwatli
Combatentes
Síria Governo da Síria Síria Golpistas da Forças Armadas da Síria

Apoiado por:
 Estados Unidos

Principais líderes
Shukri al-Quwatli,
Presidente da Síria
Husni al-Za'im
Chefe do Estado Maior do Exército
Adib Shishakli
Sami al-Hinnawi

O golpe de Estado na Síria em março de 1949 foi um golpe que ocorreu em 29 de março e foi o primeiro golpe militar da história da Síria. Foi conduzido pelo chefe do Exército na época, Husni al-Za'im. O presidente da Síria, Shukri al-Kuwatli, foi brevemente preso, mas em seguida liberado para o exílio no Egito. Al-Za'im também prendeu muitos líderes políticos, como Munir al-Ajlani, a quem acusou de conspirar para derrubar a República. O golpe foi realizado com o apoio discreto do ministério estadunidense, e, possivelmente, com assistência do Partido Social Nacionalista Sírio[1] [2] , embora o próprio al-Za'im não seja conhecido por ter sido membro. De acordo com Joseph Massad, professor de política árabe moderna e história intelectual na Universidade de Columbia e Douglas Little, chefe do departamento de história da universidade de Clark[3] , o golpe foi patrocinado pelos Estados Unidos via CIA [4] , uma conclusão em concordância com outros historiadores, como o professor Douglas Little, e registros desclassificados.[5] O golpe também é descrito pela autora Irene Gendzier, que afirma que "os agentes da CIA, Miles Copeland e Stephen Meade ... estavam diretamente envolvidos no golpe".[6]

Entre os oficiais que prestaram assistência a tomada de poder de al-Zaim foram Adib al-Shishakli e Sami al-Hinnawi, ambos os quais se tornariam mais tarde dirigentes militares do país.[7]

Portal A Wikipédia possui o
Portal da Síria


Referências