Gonçalo M. Tavares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gonçalo M. Tavares
Nascimento agosto de 1970 (46 anos)
Luanda, Angola colonial
Residência Lisboa
Nacionalidade Portugal português
Ocupação Poeta, romancista, ensaísta, dramaturgo
Prémios Prémio Revelação de Poesia APE/IPLB (1999)

Prémio Branquinho da Fonseca Expresso/Gulbenkian (2001)
Prémio Literário José Saramago (2005)
Prémio Portugal Telecom de Literatura (2007)
Prémio LER/Millennium BCP
Prémio do Melhor Livro Estrangeiro publicado em França (2010)[1]
Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLB (2010)
Prémio Fernando Namora (2011)[2]
Prémio Autores de 2011

Gonçalo Manuel de Albuquerque Tavares GOIH (Luanda, Agosto de 1970), mais conhecido na forma Gonçalo M. Tavares, é um escritor e professor universitário português, cuja primeira obra foi publicada em 2001.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Os seus livros deram origem a peças de teatro, objectos artísticos, vídeos de arte, ópera, etc.

Estão em curso cerca de 220 traduções distribuídas por quarenta e cinco países.

O romance "Jerusalém" foi incluído na edição europeia de "1001 livros para ler antes de morrer – um guia cronológico dos mais importantes romances de todos os tempos".

Prémios[editar | editar código-fonte]

Recebeu os mais importantes Prémios em Língua portuguesa: o Portugal Telecom 2007; o Prémio José Saramago 2005 e o Prémio LER/Millennium BCP 2004 com o romance - "Jerusalém" (Caminho); o Prémio Branquinho da Fonseca da Fundação Calouste Gulbenkian e do Jornal Expresso, com o livro O Senhor Valéry (Caminho); o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores com Investigações.Novalis (Difel) e o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores "Camilo Castelo Branco" com água, cão, cavalo, cabeça (Caminho); na Itália o X Prémio Internacional Trieste 2008.

A 9 de Junho de 2012 foi feito Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.[3]

Aclamação Crítica[editar | editar código-fonte]

  • José Saramago, no discurso de atribuição do Prémio ao romance "Jerusalém", disse: «'Jerusalém' é um grande livro, que pertence à grande literatura ocidental. Gonçalo M. Tavares não tem o direito de escrever tão bem apenas aos 35 anos: dá vontade de lhe bater!».
  • Dele disse ainda Vila-Matas, no Magazine Littéraire: "... de narrador de raça a génio de um imenso futuro. É um escritor que não vai continuar muito mais tempo despercebido nessa Europa…"
  • "Tavares triunfará, isso é algo que se vê já a chegar." in El País, Espanha.

Obras[editar | editar código-fonte]

O Reino[editar | editar código-fonte]

Série "O Bairro"[editar | editar código-fonte]

  • O Senhor Valéry - Caminho, 2002 (Prémio Branquinho da Fonseca da Fundação Calouste Gulbenkian e do jornal Expresso)
  • O Senhor Henri - Caminho, 2003
  • O Senhor Brecht - Caminho, 2004
  • O Senhor Juarroz - Caminho, 2004
  • O Senhor Kraus - Caminho, 2005
  • O Senhor Calvino - Caminho, 2005
  • O Senhor Walser - Caminho, 2006
  • O Senhor Breton - Caminho, 2008
  • O Senhor Swedenborg - Caminho, 2009
  • O Senhor Eliot - Caminho, 2010

Livros Pretos (canções)[editar | editar código-fonte]

Epopeia[editar | editar código-fonte]

Enciclopédia[editar | editar código-fonte]

  • Breves notas sobre ciência - Relógio d'Água, 2006
  • Breves notas sobre o medo - Relógio d'Água, 2007
  • Breves notas sobre as ligações - Relógio d'Água, 2009
  • Breves notas sobra Música - Relógio d'Água, 2015

Bloom Books[editar | editar código-fonte]

  • A perna Esquerda de Paris seguido de Roland Barthes e Robert Musil - Relógio d’ Água, 2004

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • 1 - Relógio d'Água, 2004

Histórias[editar | editar código-fonte]

  • Histórias falsas (contos) - Campo das Letras, 2005

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • A Colher de Samuel Beckett, Teatro - Campo das Letras, 2003

Arquivos[editar | editar código-fonte]

  • Biblioteca - Campo das Letras, 2004

Investigações[editar | editar código-fonte]

  • Livro da dança - Assírio e Alvim, 2001
  • Investigações. Novalis - Dífel, 2002 (Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores)
  • Investigações geométricas - Teatro do Campo Alegre, 2005

Short Movies[editar | editar código-fonte]

  • Short Movies - Caminho, 2011

Cidades[editar | editar código-fonte]

  • Matteo perdeu o emprego - Porto Editora, 2010

Atlas[editar | editar código-fonte]

  • Atlas do Corpo e da Imaginação - Caminho, 2013

Diversos[editar | editar código-fonte]

  • Uma Menina está Perdida no seu Século à Procura do Pai - Porto Editora, 2014
  • Os Velhos Também Querem Viver - Caminho, 2014
  • O Torcicologologista, Excelência — Diálogos, Cidade - Caminho, 2015

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Gonçalo M. Tavares vence Prémio do Melhor Livro Estrangeiro 2010 em França». Consultado em 23-11-2010. 
  2. a b http://www.utl.pt/pagina.php?area=768&noticia=1798
  3. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Gonçalo Manuel Tavares". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2015-09-18. 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.