Governo do Canadá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Royal Shield of arms of Canada.svg
Parte da série sobre
Política do Canadá
Portal do Canadá
Logotipo do Governo do Canadá
Logotipo bilingüe do Governo do Canadá

O Governo do Canadá, formalmente Governo de Sua Majestade,[1][2][3] é o sistema no qual a Confederação do Canadá é administrada por uma autoridade comum. O conceito foi estabelecido na Confederação, através do Ato Constitucional de 1867, como uma monarquia constitucional na qual a monarquia canadense é a "mais básica unidade"[4] da monarquia democrática parlamentar em sistema Westminster.[5] A Coroa é a base dos Poderes executivo, legislativo e judiciário do governo.[6][7][8] Outras instituições de Estado estão descritas na Constituição do Canadá[9].

Uso do termo[editar | editar código-fonte]

O termo governo é usado para referir-se tanto às instituições que administram o país como à monarquia reinante ou ao Governador-geral do Canadá.[10] No Canadá, o termo é escrito com inicial maiúscula quando contextualizado,[11] pois o governo é sinônimo de o estado — enquanto nos Estados Unidos é sinônimo de a administração

Em comunicados de imprensa de departamentos federais, tem se utilizado o termo Governo [sobrenome do primeiro ministro], o que tem sido amplamente utilizado na mídia.[12] Em 2010, instruções do gabinete do primeiro ministro orientavam departamentos do governo a usarem de forma consistente o termo Governo Harper ao invés de Governo do Canadá.[13] O mesmo gabinete porém havia instruído a utilização do termo Novo Governo do Canadá.

Monarquia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Monarquia no Canadá

Pelo Ato Constitucional de 1867, o Canadá é uma monarquia constitucional, na qual o soberano reinante tem papeis legais e práticos, mas não políticos.[14] A Coroa é tratada como uma corporação, com o monarca, investido com poderes de Estado,[15] no centro de uma estrutura em que o poder é dividido por instituições de governo agindo sob a autoridade do soberano; [16][17][18] a Coroa tem sido descrita como o princípio da unidade institucional do Canadá,[19].

O consentimento real e a assinatura real são necessários para aprovar leis, cartas-patentes e ordens em conselho, apesar da autoridade para estes atos emanar do povo canadense e,[20][21] dentro das convenções de uma monarquia constitucional, a participação direta do soberano em qualquer destas áreas de governo ser limitada.[22][23] Como monarca — atualmente Isabel II do Reino Unido — de 15 outras nações da Commonwealth, ela aponta sua representante, Governador-geral do Canadá; desde 1947, o Governador-geral tem permissão para exercer muitas das prerrogativas reais, permanecendo alguns poderes exclusivos da Rainha. Tanto o monarca quanto o governador-geral seguem as orientações de seus ministros no gabinete, que governam "sob a confiança" do monarca.[24] Porém, deve-se notar que a Prerrogativa real pertence somente à Coroa e não aos ministros,[18][25] e tanto o monarca ou governador-geral podem fazer uso destes poderes em situações de excepcional crise constitucional[26][27][28][29][30]

A monarquia canadense é uma monarquia federal, na qual a Coroa é unitária através de todas as jurisdições do pais, com o Chefe de Estado sendo parte de todas[31] A Coroa é representada em onze jurisdições legais — uma federal e dez provinciais — [16][32] Um Tenente Governador serve como representante da Rainha em cada província, executando todos os deveres cerimoniais e constitucionais de Estado em seu nome.

Poder Executivo[editar | editar código-fonte]

O governo é definido pela Constituição como a Rainha agindo com a orientação de seu Conselho privado.[1][33][34][35] Porém o Conselho Privado — constituído em sua maior parte por membros do parlamento, membros da Suprema Corte e outros estadistas — raramente se reúne em sua totalidade; como as orientações de responsabilidade governamental exigem que quem aconselhe o monarca ou o governador-geral preste contas aos eleitos da Câmara dos Comuns, as operações diárias do governo são feitas com uma parte do Conselho Privado, com membros possuindo cadeiras no parlamento.[35]

Uma das principais atribuições da Coroa é "assegurar que sempre esteja no poder um governo eleito democraticamente"[36] o que significa apontar o Primeiro Ministro para chefiar o Gabinete.[37] Por convenção, o governador-geral deve nomear como primeiro-ministro a pessoal que detém a confiança e apoio da Câmara dos Comuns; na prática, é sempre o líder do partido com maioria na Câmara. Caso nenhum dos partidos obtenha a maioria, o líder de um dos partidos — um dos que tenha mais assentos ou tenha o apoio de outros partidos — será nomeado pelo governador-geral para formar um governo minoritário. Neste caso, o primeiro-ministro permanece no cargo até renunciar ou ser destituído, seja após uma moção de censura ou derrota de seu partido após uma eleição geral.

Poder Legislativo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Parlamento do Canadá

A legislatura bicameral canadense, localizada em Ottawa, é constituída pelo soberano, pela Casa dos Comuns, e pelo Senado.[38] O governador-geral aponta e empossa cada um dos 105 membros da câmara alta aconselhado pelo primeiro-ministro,[39] enquanto os 308 membros da câmara baixa são diretamente eleitos pela população canadense, com cada membro do Parlamento representando um distrito eleitoral por um período não maior que quatro anos.[40] Pela tradição democrática, a Câmara dos Comuns é o principal ramo do Parlamento, com o Senado e a Coroa raramente se opondo. O Senado tem por função rever a legislação de um ponto de vista apolítico, e a monarquia fornece a aprovação real às leis.

O Bloco Central do parlamento canadense em Ottawa

O Ato Constitucional de 1867 estabelece que apenas o governador-geral é responsável por empossar o parlamento, e sua legislatura durava até a prorrogação, após a qual, sem cerimônias, ambas as câmaras cessavam toda atividade parlamentar até que o governador-geral emitisse outra proclamação real convocando o início de uma nova sessão. Após várias sessões, cada legislatura termina após sua dissolução. Tais dissoluções são geralmente motivadas politicamente, com o primeiro-ministro escolhendo o momento mais vantajoso para seu partido político. A dissolucão também ocorre se a maior parte dos Membros do Parlamento revogam sua confiança no primeiro-ministro em governar ou liderar, ou se o período máximo de quatro anos prescrever. Após a dissolução, eleições gerais são convocadas.

Poder Judiciário[editar | editar código-fonte]

Suprema Corte em Ottawa

O soberano é responsável pela aplicação da justiça a todos os seus súditos/súbditos, e é tradicionalmente considerada a fonte da justiça.[41] Na prática porém, o monarca não interfere pessoalmente em casos judiciais; as funções judiciais são executadas por oficiais das cortes de Sua Majestade.

A Suprema Corte — a corte de apelações do país {{mdash]] possui nove juízes apontados pelo governador-geral e presididos pelo Chefe de Justiça do Canadá, julgando recursos de várias cortes de apelação das províncias e territórios. Logo abaixo está a Corte Federal, julgando casos sobre as leis federais.[42] Trabalha em conjunto com a Corte Federal de Apelações e o Tribunal de Contas[43]

Referências

  1. a b MacLeod, Kevin S. (2008), A Crown of Maples (PDF) 1 ed. , Ottawa: Queen's Printer for Canada, p. 18, ISBN 978-0-662-46012-1, consultado em 21 June 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  2. Government of Canada. «Speech From the Throne > Frequently Asked Questions». Queen's Printer for Canada. Consultado em 4 June 2010  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  3. Grand Chief's Office, Treaty 3 Between Her Majesty the Queen and the Saulteaux Tribe of the Ojibway Indians at the Northwest Angle on the Lake of the Woods With Adhesions, The Grand Council of Treaty #3, consultado em 4 June 2010  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  4. Department of Canadian Heritage (February 2009), Canadian Heritage Portfolio (PDF) 2 ed. , Ottawa: Queen's Printer for Canada, p. 3, ISBN 978-1-100-11529-0, consultado em 5 July 2009  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  5. Coyne, Andrew (13 November 2009). «Defending the royals». Toronto: Rogers Communications. Maclean's. ISSN 0024-9262. Consultado em 17 November 2009  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  6. Victoria (1867), Constitution Act, 1867, III.15, Westminster: Queen's Printerpublicado em 29 March 1867, consultado em 15 January 2009  Verifique data em: |access-date=, |publication-date= (ajuda)
  7. MacLeod 2008, p. 17
  8. Department of Canadian Heritage 2009, p. 4
  9. Brooks, Stephen (2007). Canadian Democracy: An Introduction 5 ed. Don Mills: Oxford University Press. p. 126. ISBN 978-0195431032 
  10. Brooks 2007, pp. 9–10
  11. Brooks 2007, pp. 9–10
  12. Cheadle, Bruce (3 March 2011), «Tories re-brand government in Stephen Harper's name», The Globe and Mail, consultado em 26 April 2011  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  13. «Tories defend use of 'Harper Government'». CTV. 7 March 2011. Consultado em 9 May 2011  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  14. Forsey, Helen (1 October 2010). «As David Johnson Enters Rideau Hall...». Ottawa: Canadian Centre for Policy Alternatives. The Monitor. Consultado em 23 January 2011  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  15. Privy Council Office (2008). Accountable Government: A Guide for Ministers and Ministers of State – 2008. Ottawa: Queen's Printer for Canada. p. 45. ISBN 978-1-100-11096-7. Consultado em 17 May 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  16. a b Smith, David E. (10 June 2010), «The Crown and the Constitution: Sustaining Democracy?» (PDF), Kingston: Queen's University, The Crown in Canada: Present Realities and Future Options, p. 6, consultado em 18 May 2010  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  17. Table Research Branch of the House of Commons (March 2008), Compendium of Procedure (PDF), Ottawa: Queen's Printer for Canada, p. 1, consultado em 14 October 2009  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  18. a b Cox, Noel (September 2002). «Black v Chrétien: Suing a Minister of the Crown for Abuse of Power, Misfeasance in Public Office and Negligence». Perth: Murdoch University. Murdoch University Electronic Journal of Law. 9 (3): 12. Consultado em 17 May 2009  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  19. Parliament of Canada. «Canada: A Constitutional Monarchy». Queen's Printer for Canada. Consultado em 25 September 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  20. Forsey, Eugene (2005). How Canadians Govern Themselves (PDF) 6 ed. Ottawa: Queen's Printer for Canada. p. 1. ISBN 0-662-39689-8. Consultado em 14 May 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  21. Marleau, Robert; Montpetit, Camille (2000). «House of Commons Procedure and Practice > 1. Parliamentary Institutions». Queen's Printer for Canada. Consultado em 28 September 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  22. MacLeod 2008, p. 16
  23. Russell, Peter (1983), «Bold Statecraft, Questionable Jurisprudence», in: Banting, Keith G.; Simeon, Richard, And no one cheered: federalism, democracy, and the Constitution Act, Toronto: Taylor & Francis, p. 217, ISBN 9780458959501, consultado em 12 June 2010  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  24. MacLeod 2008, p. 8
  25. Neitsch, Alfred Thomas (2008). «A Tradition of Vigilance: The Role of Lieutenant Governor in Alberta» (PDF). Ottawa: Commonwealth Parliamentary Association. Canadian Parliamentary Review. 30 (4): 23. Consultado em 22 May 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  26. McWhinney, Edward (2005). The Governor General and the Prime Ministers. Vancouver: Ronsdale Press. pp. 16–17. ISBN 1-55380-031-1 
  27. Dawson, R. MacGregor; Dawson, W.F. (1989). Democratic Government in Canada 5 ed. Toronto, Buffalo, London: University of Toronto Press. pp. 68–69. ISBN 8-0820-6703-4 Verifique |isbn= (ajuda) 
  28. Forsey 2005, pp. 4, 34
  29. Library and Archives Canada. «Politics and Government > By Executive Decree > The Governor General». Queen's Printer for Canada. Consultado em 18 May 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  30. Office of the Governor General of Canada. «Role and Responsibilities > Role of the Governor General > Constitutional Responsibilities». Queen's Printer for Canada. Consultado em 18 November 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  31. Roberts, Edward (2009). «Ensuring Constitutional Wisdom During Unconventional Times» (PDF). Ottawa: Commonwealth Parliamentary Association. Canadian Parliamentary Review. 23 (1): 13. Consultado em 21 May 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  32. Jackson, Michael D. (2003). «Golden Jubilee and Provincial Crown» (PDF). Toronto: Monarchist League of Canada. Canadian Monarchist News. 7 (3): 6. Consultado em 21 May 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  33. Wrong, Humphrey Hume (10 November 1952), Department of Foreign Affairs and International Trade Canada, ed., «Relations With the United States», Ottawa, Documents on Canadian External Relations, 18 – 867  |contribution= ignorado (ajuda); Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda);
  34. Victoria 1867, III.9 & 11
  35. a b Marleau & Montpetit 2000, The Executive
  36. Boyce, Peter (2008), escrito em Sydney, Jackson, Michael D., ed., «The Senior Realms of the Queen» (PDF), Toronto: Monarchist League of Canadapublicado em October 2009, Canadian Monarchist News, Autumn 2009 (30), p. 9, consultado em 22 October 2009  |contribution= ignorado (ajuda); Verifique data em: |access-date=, |publication-date= (ajuda) [ligação inativa]
  37. Office of the Governor General of Canada. «Media > Fact Sheets > The Swearing-In of a New Ministry». Queen's Printer for Canada. Consultado em 18 May 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  38. Victoria 1867, IV.17
  39. Victoria 1867, IV.24
  40. Elizabeth II (31 May 2000), Canada Elections Act, 56.1.2, Ottawa: Queen's Printer for Canada, consultado em 20 November 2009  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  41. Predefinição:Cite hansard
  42. Federal Court. «About the Court > Jurisdiction». Queen's Printer for Canada. Consultado em 20 November 2009  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  43. Elizabeth II (27 March 2002), Courts Administration Service Act, 2.a, Ottawa: Queen's Printer for Canada, consultado em 20 November 2009  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)