Governo do Entrudo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Governos do Segundo Liberalismo (Monarquia Constitucional)
Brasão de armas do reino de Portugal.svg

O 13.º governo da Monarquia Constitucional, mais conhecido como Governo do Entrudo, foi o executivo presidido pelo Duque de Palmela que governou Portugal por 3 dias, por coincidência os dias em torno do Carnaval, de 7 a 9 de Fevereiro de 1842. Este governo efémero foi formado no contexto da resistência à sublevação político-militar que fora desencadeada a 27 de Janeiro daquele ano sob a liderança de Costa Cabral e que levaria à restauração da Carta Constitucional da Monarquia Portuguesa (por Decreto de 10 de Fevereiro) e ao período conhecido pelo cabralismo.

Composição[editar | editar código-fonte]

A sua constituição era a seguinte:[1][2][3]

Cargo Detentor Período
Presidente do Conselho de Ministros Duque de Palmela 7 de fevereiro de 1842 a 8 de fevereiro de 1842[nota 1]
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios do Reino
Joaquim António Magalhães 7 de fevereiro de 1842 a 8 de fevereiro de 1842
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios Eclesiásticos e de Justiça
Joaquim António Magalhães (interino) 7 de fevereiro de 1842 a 8 de fevereiro de 1842
Joaquim Filipe de Soure 8 de fevereiro de 1842 a 8 de fevereiro de 1842
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios da Fazenda
António José de Ávila (interino) 7 de fevereiro de 1842 a 8 de fevereiro de 1842
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios da Guerra
Visconde de Sá da Bandeira 7 de fevereiro de 1842 a 8 de fevereiro de 1842
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios da Marinha e Ultramar
António Aloísio Jervis de Atouguia 7 de fevereiro de 1842 a 8 de fevereiro de 1842
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios Estrangeiros
Duque de Palmela 7 de fevereiro de 1842 a 8 de fevereiro de 1842

Galeria[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. O governo foi exonerado apenas a 9 de fevereiro, mas desde 8 de fevereiro que o poder estava de facto nas mão da Junta Provisória de Governo.

Referências

  1. Maltez, José Adelino. «Governo do Entrudo (1842)». Politipédia — Repertório Português de Ciência Política. Observatório Político. Consultado em 5 de dezembro de 2013. 
  2. Imprensa Nacional (1871). «Noticia dos ministros e secretarios d'estado do regimen constitucional nos 41 annos decorridos desde a regencia installada na ilha terceira em 15 de março de 1830 até 15 de março de 1871». Consultado em 5 de dezembro de 2013. 
  3. Santos, Manuel Pinto dos (1986). «I Parte – Organização do poder governamental; 3. Do poder executivo – 3.2. Elencos ministeriais». Monarquia constitucional: organização e relações do poder governamental com a Câmara dos Deputados, 1834–1910. [S.l.]: Assembleia da República, Divisão de Edições 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]