Grêmio estudantil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:

Grêmio estudantil é uma organização sem fins lucrativos que representa o interesse dos estudantes e que tem fins cívicos, culturais, educacionais, desportivos e sociais. O grêmio é o órgão máximo de representação dos estudantes de uma escola, permitindo que os alunos discutam, criem e fortaleçam inúmeras possibilidades de ação tanto no próprio ambiente escolar como na comunidade. O grêmio é também um importante espaço de aprendizagem, cidadania, convivência, responsabilidade e de luta por direitos.[1][2]

Objetivos[editar | editar código-fonte]

É importante deixar claro que um de seus principais objetivos é contribuir para aumentar a participação dos alunos nas atividades de sua instituição de ensino, organizando campeonatos, palestras, projetos e discussões, fazendo com que eles tenham voz ativa e participem – junto com pais, funcionários, professores, coordenadores e diretores – da programação e da construção das regras e normas dentro da instituição de ensino. O grêmio também tem a função de expor as ideias e opiniões dos alunos dentro da administração da instituição de ensino e da comunidade.

Estatuto Social do Grêmio Estudantil[editar | editar código-fonte]

O Estatuto do Grêmio Estudantil é um documento que estabelece as normas sob as quais o Grêmio vai funcionar, explicando como serão as eleições, a composição da Diretoria, como a entidade deve atuar em certos casos. Lembre-se de que o Grêmio vai existir por muito tempo, inclusive depois que a chapa eleita já tiver saído da Escola, novas diretorias precisam seguir certas regras e rituais para que o Grêmio continue funcionando.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «PERGUNTAS E RESPOSTAS: O QUE É UM GRÊMIO ESCOLAR?». Todos pela Educação. 15 de março de 2018. Consultado em 11 de julho de 2019 
  2. «Grêmio Estudantil». Governo da Bahia. 15 de março de 2018. Consultado em 11 de julho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]