Gradação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Gradação é uma figura de linguagem, relacionada com a enumeração, onde são expostas determinadas ideias de forma crescente (em direção a um clímax) ou decrescente (anticlímax). No campo da estilística, é também entendida como um recurso semântico, ou seja, relacionado à exploração dos significados das palavras. Neste caso, o que se tem é um encadeamento de palavras, frases ou expressões de maneira a dar significados cumulativos.

Exemplos como figura de linguagem:

  • Dei um passo, apressei-me, corri.
  • Você era um bom professor, logo depois se tornou um desempregado qualquer e hoje não passa de um mendigo nas grandes cidades...
  • Eu era pobre, era subalterno, era nada.

A gradação também se apresenta em sensações:

  • Com não se sabe o terremoto, a guerra, a explosão que vai acontecer quando eu chegar com meu boletim em casa...

Às vezes a gradação também ocorre precedida da exposição de algo (ou algum assunto), caracterizando-a:

  • Progressão ascendente: "Um coração chegando de desejos; Latejando, batendo, restrugindo..." (Vicente de Carvalho)
  • Progressão descendente: "Oh, não aguardes, que a madura idade te converta essa flor, essa beleza, em terra, em cinzas, em pó, em sombra." (Gregório de Matos)
Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.