Grade cartesiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Exemplo de uma grade cartesiana.
Exemplo de uma grade regular.
Exemplo de uma grade retilinear.
Exemplo de uma grade curvilinear.

Uma grade regular é uma tesselação de um Espaço euclidiano de n dimensões criado por paralelepípedos.[1] Grades desse tipo aparecem em papéis milimetrados e podem ser usados em Método dos elementos finitos, assim como em Método dos volumes finitos e em Método das diferenças finitas. Como as derivadas de campo são expressas convenientemente como diferenças finitas,[2] grades estruturadas aparecem muito em metodos de diferença finita. Grades desestruturadas oferecem mais flexibilidade que grades estruturadas e, por isso, são mais úteis em metodos de volume e elementos finitos.

Cada célula na grade pode ser endereçada pelo índice em duas (i,j) ou três (i,j,k) dimensões, e cada vértice tem coordenadas em 2D ou em 3D para algum número real dx, dy e dz representando o espaço da grade.

Grades relacionadas[editar | editar código-fonte]

Uma Grade cartesiana é um caso especial onde os elementos são quadrados unitários ou cubos unitários e os vértices são pontos inteiros.

Uma Grade retilinear é uma tesselação de retângulos ou paralelepípedos que não são, em geral, todos congruentes. As células ainda podem ser indexadas por inteiros, como na grade cartesiana, mas o mapeamento de indices para coordenadas de vértices é menos uniforme que uma grade regular.

Uma Grade curvilinear ou Grade estruturada é uma grade que possui a mesma estrutura de uma grade regular, onde as células são quadriláteras ou cúbicas, ao invés de relangulos e paralelepípedos retangulares.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Regular Grid».

Referências

  1. Uznanski, Dan. «Grid.». From MathWorld--A Wolfram Web Resource, created by Eric W. Weisstein. Consultado em 25 de março de 2012 
  2. J.F. Thompson, B. K . Soni & N.P. Weatherill (1998). Handbook of Grid Generation. [S.l.]: CRC-Press. ISBN 978-0-8493-2687-5