Grande Prêmio da Áustria de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Grande Prêmio da Áustria de F-1 2016
Circuit Red Bull Ring.svg
Grande Prêmio da Áustria de 2016.
Detalhes da corrida
Data 3 de julho de 2016
Nome oficial Formula 1 Grosser Preis Von Österreich 2016
Local Red Bull Ring, Spielberg, Estíria, Áustria
Total 71 voltas / 307.020 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:07.922
Volta mais rápida
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:08.411 (na volta 67)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer
Terceiro
Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari

Grande Prêmio da Áustria de 2016 (formalmente denominado Formula 1 Grosser Preis Von Österreich 2016) foi a nona etapa da temporada de 2016 da Fórmula 1, disputado no dia 3 de julho de 2016 no Red Bull Ring, em Spielberg, Áustria.[1]

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Punição de Sebastian Vettel

Sebastian Vettel perderá cinco posições no grid de largada do GP da Áustria deste domingo. O piloto da Ferrari recebeu uma punição automática, após a equipe decidir trocar o câmbio do carro dele antes dos treinos livres desta sexta-feira. A peça não havia apresentado problemas na última corrida, em Baku, onde Vettel chegou em segundo, atrás apenas do compatriota Nico Rosberg, da Mercedes. No entanto, uma análise pós-corrida apontou alto potencial para falha no equipamento. Como o circuito de Spielberg possui diversos pontos de ultrapassagem, Vettel e Ferrari decidiram, cientes da punição, antecipar a troca da caixa de marcha por precaução. Segundo o regulamento, o piloto precisa usar o mesmo câmbio por seis eventos seguidos, caso contrário receberá a penalização de cinco posições no grid. A exceção vale para pilotos que não largaram ou não completaram a prova.[2]

Nova versão de Halo da Ferrari

Prevendo a adoção do Halo para a temporada 2017, a Ferrari desenvolveu um segundo modelo da peça que foi exibida pela primeira vez em Barcelona, na pré-temporada. Apelidado de Halo 2.0, o novo dispositivo - mais leve, com o arco mais alto e a estrutura frontal mais fina, provavelmente para melhorar a visibilidade do piloto. Mesmo sem dar certeza se testará o dispositivo na pista, nesta sexta-feira, a escuderia italiana realizou um teste de extração do piloto do carro em caso de acidente. O procedimento, conduzido pela equipe médica e sob os olhares de fiscais da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), levou cerca de 10 minutos, de acordo com a jornalista espanhola Silvia Moreno.[3]

Investimento da Sauber

Afundada em dívidas, a Sauber parece começar a ver uma luz no fim do túnel. A equipe vinha sofrendo para pagar os salários dos seus funcionários desde janeiro deste ano, mas, pela primeira vez, neste mês de junho, quitou os vencimentos em dia, de acordo com a revista britânica “Autosport”. Ao que tudo indica, o staff da equipe suíça foi informado de que uma solução permanente foi encontrada, aumentando o otimismo do time. A chefe do time, Monisha Kaltenborn, não compareceu a diversos GPs a procura de investidores que se interessassem em salvar a Sauber da falência, garantindo o futuro do time na F1. Acredita-se que um investidor foi achado, e que possivelmente a escuderia deve mudar de dono. Ainda que o negócio seja concluído, Monisha deve permanecer no cargo atual.[4]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

O Q1 foi marcado pela batida de Daniil Kvyat a menos de 2 minutos do fim. O russo atacou demais as altas zebras da entrada da reta principal, o que provocou a quebra da suspensão traseira da STR. Sem controle do carro, Kvyat cruzou um canteiro na parte interna da curva 9, chegou a tocar perigosamente no guard rail localizado na entrada dos boxes e foi parar na proteção de pneus após a área de escape. Como Kvyat possuía apenas o 20º tempo, a batida selou seu destino na atividade. As traiçoeiras zebras do circuito já haviam feito uma vítima mais cedo: Sergio Pérez, da Force India, que também sofreu uma quebra de suspensão. O mexicano, porém, avançou com o 13º tempo. A sessão foi interrompida com bandeira vermelha durante 16 minutos para a retirada do carro de Kvyat e a reparação da barreira de pneus. Após o reinício, diversos pilotos correram para a pista para tentar abrir volta nos dois minutos restantes. Logo que saiu dos boxes, Carlos Sainz Jr. viu o motor de sua STR estourar e precisou encostar na grama. Ele, porém, possuía o 11º tempo e mesmo assim se classificou para a segunda parte da sessão. Kevin Magnussen, Jolyon Palmer, Rio Haryanto, Marcus Ericsson e Felipe Nasr, que estavam na zona de corte, não conseguiram melhorar seus respectivos tempos e acabaram eliminados juntamente com Kvyat. Os melhores tempos ficaram por conta de Nico Rosberg (1m06s516) e Sebastian Vettel (1m06s761), curiosamente os dois que carregavam a punição de cinco posições no grid de largada. Felipe Massa avançou tranquilamente, em oitavo. Destaque para Pascal Wehrlein que colocou a Manor pela primeira vez no Q2. E avançando com a expressiva 10ª posição.

Q2

A meteorologia apontou risco de chuva para a segunda parte da classificação. Com isso, os pilotos se apressaram para ir para a pista logo nos primeiros minutos para garantirem bons tempos com a pista seca. E a previsão se concretizou a três minutos do fim do Q2. Pior para Esteban Gutiérrez, Pascal Wehrlein, Romain Grosjean e Fernando Alonso, que não estavam na zona de eliminação nesse momento e não tiveram mais chances de melhorarem suas marcas visando uma vaga na superpole. Vale lembrar que Sainz e Pérez, por terem quebrado no Q1, não voltaram para a pista e também foram eliminados. O melhor tempo, dessa vez, ficou com Hamilton (1m06s228), seguido por Rosberg, Vettel, Ricciardo e Verstappen. Massa avançou novamente em oitavo. Destaque para Button, que levou a McLaren ao Q3.

Q3

A superpole começou sob forte chuva. Por causa da pista molhada, todos deixaram os boxes com pneus intermediários (faixa verde). Vettel foi o primeiro a anotar tempo, 1m20s798. Hamilton e Ricciardo vieram logo a seguir. Conforme um trilho ia se criando no traçado, os pilotos iam melhorando suas marcas. Raikkonen, Hamilton, Rosberg, Ricciardo e Hulkenberg se revezaram na ponta. A cinco minutos do fim, o inglês da Mercedes anotou 1m16s232 e se tornou o cara a ser batido.

Foi quando os pilotos voltaram para os boxes e colocaram pneus para a pista seca. De ultramacios, Hulkenberg fez 1m14s996 e pulou para a ponta. Logo a seguir, Felipe Massa baixou para 1m14s966 e subiu para primeiro, mas foi batido por Raikkonen, Hamilton e novamente Hulk.

Restava ainda mais uma volta para cada um. Em um final emocionante, todos melhoraram suas marcas. E quem levou a melhor foi Hamilton, com 1m07s922. Rosberg ficou com o segundo tempo, só que o piloto alemão recebeu a punição automática de cinco posições no grid de largada por causa da batida que provocou no 3º treino livre e largara na sétima posição[5] e Hulkenberg ficou com a segunda posição. Sebastian Vettel ficou com quarto melhor tempo e perdera cinco posições do grid por trocar o câmbio e larga na nona posição, Button ficou com a terceira posição seguido por Raikkonen (4º), Ricciardo (5º), Bottas (6º), Verstappen (8º) e Massa (10º).[6]

Grid de largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Hamilton, enfim, conseguiu arrancar bem e manteve a liderança. O sonho de Hulk, segundo lugar no grid, durou poucos metros. O alemão da Force India foi engolido por Button e Raikkonen e fez a primeira curva em quarto. Massa largou dos boxes, junto com Kvyat.

Rosberg, que largara em sexto, ganhou a posição de Ricciardo e subiu para quinto. Vettel passou Bottas e assumiu a oitava colocação. Daniil Kvyat, que havia largado dos boxes e estava em último, abandonou.

Max Verstappen terminou em segundo e foi o destaque da corrida.

Rosberg e Verstappen deixaram Hulkenberg para trás e assumem a quarta e quinta posições, respectivamente. Button sustentou bravamente a McLaren em segundo até ser superado por Raikkonen. Reagindo rápido na corrida, Rosberg também passou Button e assumiu o 3º lugar. A essa altura, Massa já havia ganhado algumas posições e aparecia em 17º. Nasr, por sua vez, era 19º. Hulkenberg abriu a primeira rodada de pit stops. Rosberg também fez uma parada cedo, e colocou pneus macios. Algumas gotas começaram a cair no circuito. Massa fez sua parada e retornou no fim do pelotão. Verstappen e Ricciardo também foram para os boxes e voltaram, respectivamente, em quinto e sexto, logo atrás de Rosberg. Hamilton, Raikkonen e Vettel decidiram se manter na pista para trocar direto para os pneus intermediários, caso a promessa de chuva se concretize. O trio, no entanto, começava a virar mais alto, por causa dos pneus desgastados. Enquanto isso, Rosberg voava baixo com pneus novos e se aproximava. Como a chuva não chegou, Hamilton, enfim, fez sua parada. Lenta, por sinal: os mecânicos tiveram dificuldades para fixar o pneu traseiro esquerdo. Na saída dos boxes, o britânico viu Rosberg passar e ganhar sua posição.

Raikkonen fez seu pit stop na volta seguinte. Com isso, Vettel, que ainda não havia feito sua parada ainda, assumiu a liderança provisória. Sem ter parado nos boxes ainda, Nasr entrou no top 10. Custou caro a estratégia de Vettel, líder da prova, de retardar ao máximo a parada nos boxes. O pneu traseiro direito estourou em plena reta e o alemão bateu e abandonou. O safety car foi imediatamente acionado. Button, Alonso, Grosjean e Pérez aproveitaram para ir para os boxes.

Com o abandono de Vettel, Rosberg assumiu a liderança, seguido por Hamilton, Verstappen, Ricciardo, Raikkonen e Bottas. Sem ter parado nos boxes, Nasr já aparecia em 7º. Massa, por sua vez, era o 12º. Rosberg manteve a ponta na relargada. Massa aproveitou e ganhou duas posições, subindo para 10º. Magnussen recebeu uma penalização de 5s, que pode ser cumprido no próximo pit stop, por fazer zigue-zague na frente de Werhlein no começo da corrida. Rapidamente, Rosberg colocou dois segundos de vantagem sobre Hamilton e voltou a ter folga na liderança. Com a limitada Sauber e de pneus desgastados, Nasr defendeu o 7º lugar com maestria por algumas voltas, mas acabou sendo ultrapassado por Button, de pneus novos

Na sequência foi a vez de Massa, o 10º, também mostrar habilidade para conter as investidas de Sergio Pérez. Nasr perdeu a posição para Grosjean e caiu para 9º. Em um duelo verde e amarelo, Massa ultrapassou Nasr e assumiu a 9ª colocação. Com pneus em frangalhos, o jovem da Sauber, enfim, decidiu ir para os boxes. Ele retornou em último.

Pascal Wehrlein conquistou seus primeiros pontos da carreira na Fórmula 1 ao terminar em 10º.

Lá na frente, Hamilton começou a reduzir a desvantagem para o líder Rosberg. O alemão chegou a responder com uma volta mais rápida, mas logo depois deu uma escapada no fim da reta e perdeu tempo. A diferença caiu para pouco mais de 1s. Em segundo, Hamilton decidiu antecipar sua segunda parada e colocou pneus macios (faixa amarela) para ir até o fim da corrida. Novamente, porém, o britânico teve um pit stop lento. Rosberg fez seu pit stop logo na volta seguinte e optou por pneus supermacios (faixa vermelha). O alemão conseguiu voltar à frente do companheiro de Mercedes. A escolha diferente de pneus deixou irritou Hamilton, que questionou a equipe pelo rádio. Verstappen, com apenas uma parada, assumiu a liderança provisória. Enquanto isso, Raikkonen tomava o 4º lugar de Ricciardo. Massa fez outra parada, colocou pneus supermacios, e retornou em 14º. Lá atrás, Nasr galgava algumas posições e aparecia em 15º. Rosberg e Hamilton rapidamente chegaram no líder Verstappen. O alemão teve certo trabalho, mas conseguiu se livrar do holandês mais rapidamente que Hamilton, retomou a liderança e abriu vantagem. Ricciardo fez seu segundo pit stop e voltou em sexto, atrás de Button. Hamilton, enfim, conseguiu ultrapassar Verstappen e assumiu o segundo lugar. Fora da zona de pontos, Massa recolheu para a garagem quando encontrava-se em 14º e deixou a prova.

Ricciardo deixou Button para trás e retomou a 5ª posição. Enquanto isso, Alonso e Hulkenberg abandonavam a corrida. Com a faca nos dentes, Hamilton começou a imprimir um ritmo alucinante e rapidamente colou em Rosberg. A vantagem, que era de quase 2s, virou pó em poucas voltas. A última volta prometia ser emocionante. Hamilton colocou por fora de Rosberg na curva 2. O alemão não quis deixar barato, espalhou e ambos se tocaram. O inglês saiu da pista e retornou mergulhando à frente do companheiro e tomou a ponta. Nico quebrou a asa dianteira, que prendeu embaixo do carro. Enquanto Hamilton partia para uma vitória improvável, Rosberg se arrastava para cruzar em quarto, atrás de Verstappen e Raikkonen.[7]

Resultado da Corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Compostos de Pneus fornecidos pela Pirelli para a Temporada de 2016 da Fórmula 1[8]
Nome do Composto Cor Banda de Rolamento Condições de Condução Dry Type Aderência Longevidade
Ultra Macio F1 tire Pirelli PZero Purple.svg Slick
(P Zero)
Seco Ultrasoft Mais Aderência Menos Durável
Super Macio F1 tire Pirelli PZero Red.svg Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio F1 tire Pirelli PZero Yellow.svg Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Intermediário F1 tire Pirelli Cinturato Green.svg Sulcos
(Cinturato)
Molhado Intermediate
(água não estagnante)
Chuva F1 tire Pirelli Cinturato Blue.svg Sulcos
(Cinturato)
Molhado Wet
(água estagnante)

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:06.947 1:06.228 1:07.922 1
2 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:06.516 1:06.403 1:08.465 7 2
3 27 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 1:07.385 1:07.257 1:09.285 2
4 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:06.761 1:06.602 1:09.781 9 1
5 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 1:07.653 1:07.572 1:09.900 3
6 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:07.240 1:06.940 1:09.901 4
7 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:07.500 1:06.840 1:09.980 5
8 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 1:07.148 1:06.911 1:10.440 6
9 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:07.131 1:06.866 1:11.153 8
10 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 1:07.419 1:07.145 1:11.977 PL 4
11 21 México Esteban Gutierrez Haas-Ferrari 1:07.660 1:07.578 11
12 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 1:07.565 1:07.700 12
13 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:07.662 1:07.850 13
14 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 1:07.671 1:08.154 14
15 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 1:07.618 S/Tempo 15
16 11 México Sergio Perez Force India-Mercedes 1:07.657 S/Tempo 16
17 20 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 1:07.941 17
18 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 1:07.965 19 3
19 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 1:08.026 20 3
20 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso-Ferrari 1:08.409 PL 4
21 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:08.418 18
22 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 1:08.446 21 3
Tempo dos 107%: 1:11.172
Fonte:[9][10]
Notas

↑1 - Sebastian Vettel (Ferrari) perdera cinco posições no grid por conta de uma troca de câmbio.[11]

↑2 - Nico Rosberg (Mercedes) perdera cinco posições no grid por conta de uma troca de câmbio.[12]

↑3 - Jolyon Palmer (Renault), Rio Haryanto (MRT) e Felipe Nasr (Sauber) perderam três posições do grid por ignorar a bandeira amarela.[13]

↑4 - Daniil Kvyat (Toro Rosso) e Felipe Massa (Williams) largaram nos boxes. [14][15]

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 71 1:27:38.107 1 25
2 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 71 +5.719 8 18
3 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 71 +6.024 4 15
4 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 71 +26.710 5 6 12
5 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 71 +30.891 5 10
6 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 71 +37.706 3 8
7 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 71 +44.668 6 13 6
8 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 71 +47.400 15 4
9 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 70 +1 Volta 7 2
10 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 70 +1 Volta 12 1
11 21 México Esteban Gutiérrez Haas-Ferrari 70 +1 Volta 11
12 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 70 +1 Volta 19
13 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 70 +1 Volta 21
14 20 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 70 +1 Volta 17
15 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 70 +1 Volta 18
16 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 70 +1 Volta 20
17 7 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 69 Freios 16
18 7 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 64 ERS 14
19 7 27 Alemanha Nico Hülkenberg Force India-Mercedes 64 Freios 2
20 7 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 63 Freios PL
Ret 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 26 Pneu 9
Ret 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso-Ferrari 2 Mecânico PL
Fonte:[16][17]
Notas

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 Grosser Preis Von Österreich 2016» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Vettel troca câmbio de Ferrari e perde 5 posições no grid do GP da Áustria». Globoesporte.com. 1 de Julho de 2016. Consultado em 1 de Julho de 2016 
  3. «Ferrari realiza testes com nova versão de Halo na Áustria. Confira imagens». Globoesporte.com. 30 de Junho de 2016. Consultado em 30 de Junho de 2016 
  4. «Sauber consegue investidores e paga salários em dia pela 1ª vez no ano». Globoesporte.com. 1 de Julho de 2016. Consultado em 1 de Julho de 2016 
  5. «Após batida, Mercedes troca câmbio de Nico, que perde 5 posições no grid». Globoesporte.com. 2 de Julho de 2016. Consultado em 2 de Julho de 2016 
  6. «Hamilton garante pole position em treino "sacudido" por chuva na Áustria». Globoesporte.com. 2 de Julho de 2016. Consultado em 2 de Julho de 2016 
  7. «Saiu faísca! Hamilton e Nico se tocam na volta final, e inglês vence na Áustria». Globoesporte.com. 3 de Julho de 2016. Consultado em 3 de Julho de 2016 
  8. «Pirelli reveal tyre compound allocations for Austria» (em inglês). Formula 1.com. 28 de abril de 2016 
  9. «Qualifying - Hamilton and Hulkenberg on front row in Austria» (em inglês). Formula 1. Consultado em 2 de julho de 2016 
  10. «Qualifying - Austria» (em inglês). Formula 1. Consultado em 2 de julho de 2016 
  11. «Vettel set for Austria grid penalty after gearbox change» (em inglês). Formula 1.com. 1 de julho de 2016 
  12. «Rosberg to take gearbox penalty after practice crash» (em inglês). Formula 1.com. 2 de julho de 2016 
  13. «Último no grid, Nasr recebe punição por ignorar bandeira amarela. Hülkenberg mantém segundo lugar no grid». Grande Prêmio. 2 de Julho de 2016. Consultado em 2 de Julho de 2016 
  14. «Kvyat to start from the pit-lane - the official grid in full» (em inglês). Formula 1.com. 3 de julho de 2016 
  15. «Williams encontra problema na asa dianteira e põe Massa para abrir GP da Áustria largando do pit-lane». Grande Prêmio. 3 de Julho de 2016. Consultado em 3 de Julho de 2016 
  16. «Hamilton beats Rosberg after thrilling finish in Austria» (em inglês). Formula 1. Consultado em 3 de julho de 2016 
  17. «FORMULA 1 GROSSER PREIS VON ÖSTERREICH 2016 - RACE RESULT» (em inglês). Formula 1. Consultado em 3 de julho de 2016 
  18. «Rosberg penalised, stays fourth, after Hamilton clash» (em inglês). Formula 1.com. 3 de julho de 2016 
Prova Anterior:
GP da Europa de 2016
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2016
Próxima Prova:
GP da Grã-Bretanha de 2016

Prova Anterior:
GP da Áustria de 2015
Grande Prêmio da Áustria Próxima Prova:
GP da Áustria de 2017