Grande Prêmio da Índia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

{{Info/Fórmula 1/GP

Índia Grande Prêmio da Índia
Nova Delhi
Jaypee International Circuit 2011.svg
Mapa do circuito.
Informações da corrida
Localização Greater Noida - Uttar Pradesh, Índia
Voltas 60
Percurso 5.125 km (3.185 mi)
Total 307.249 km (190.916 mi)
Curvas 16
Pole Alemanha Sebastian Vettel
Red Bull-Renault V8
1min 24s 119
2013
Volta mais rápida
na prova
Alemanha Sebastian Vettel
Red Bull-Renault V8
1min 27s 249
2011
Anos disputados 3
Primeira disputa 2011
Última disputa 2013
Maior vencedor (pilotos) Alemanha Sebastian Vettel (3)
Maior vencedor (equipe) Áustria Red Bull (3)
Última corrida (2013):
Pole Position
Piloto Alemanha Sebastian Vettel
Red Bull-Renault V8
Tempo 1min 24s 119
Volta mais rápida
Piloto Finlândia Kimi Raikkonen
Lotus-Renault V8
Tempo 1min 27s 679
Pódio
Primeiro Alemanha Sebastian Vettel
Red Bull-Renault V8
1h 31min 12s 187
Segundo Alemanha Nico Rosberg
Mercedes V8
+29s 823
Terceiro França Romain Grosjean
Lotus-Renault V8
+39s 892

O Grande Prémio da Índia é uma corrida do Campeonato Mundial Fórmula 1. É realizado no Buddh International Circuit em Greater Noida, Uttar Pradesh.

Ganhadores do GP da Índia[editar | editar código-fonte]

Por ano[editar | editar código-fonte]

Ano Piloto Construtor Local Resumo
2013 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Buddh International Circuit Detalhes
2012 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Buddh International Circuit Detalhes
2011 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Buddh International Circuit Detalhes

Por pilotos que mais venceram[editar | editar código-fonte]

Vitórias Pilotos Edições
3 Alemanha Sebastian Vettel 2011, 2012, 2013

Por equipes que mais venceram[editar | editar código-fonte]

Vitórias Construtor Edições
3 Áustria Red Bull 2011, 2012, 2013

Por país[editar | editar código-fonte]

Vitórias País Edições
3  Alemanha 2011, 2012, 2013

História[editar | editar código-fonte]

Em 1997, houve planos para acolher um Grande Prémio da Índia em Calcutá.[1] Em 2003, a Índia tinha apenas dois circuitos permanentes, um em Chennai (Irungattukottai), e outro em Coimbatore (Kari Memorial Speedway).[2] Nessa altura dois sítios de 242.81ha nos arredoress de Bangalore foram analisados. Também no estado de Andhra Pradesh, o ministro-chefe Chandrababu Naidu reservou 607.3ha de terreno perto do aeroporto de Hyderabad. Vicky Chandhok, pai de Karun Chandhok, afirmou numa entrevista que "Andhra Pradesh está mesmo a apoiar isto como nenhum outro estado! É óptimo ver um ministro-chefe a esforçar-se tanto. Bangalore é uma óptima localização principalmente por causa do tempo".[1] Em Dezembro de 2003, um pré-acordo de sete anos para acolher um GP em Hyderabad em 2007 foi assinado. A pista iria ser construída perto da vila de Gopanapally, nas periferias de Hyderabad, e consistia em 553.21ha de terreno.[3] Contudo, em 2004, houve concorrência de Bombaim, para mudar a pista de Hyderabad para Bombaim.[4] O patrão da F1, Bernie Ecclestone, esperava que a Índia acolhesse um GP em três anos, visando localizar o circuito em Hyderabad ou Bombaim.[5] But in the end these projects never realised, possibly due to anti-tobacco legislation,[3] e uma mudança na política governamental.[6] [7] Ambos os projectos foram declarados "mortos" na segunda metade de 2004, quando o governo de Bombaim decidiu "não gastar dinheiro em fumos de carros enquanto há problemas mais sérios",[8] e a localização em Hyderabad foi convertida num parque para empresas de tecnologia.[9] Contudo, sítios em Bombaim ficaram ainda sob análise (Gorai e Navi Mumbai). Em 2005, Narain Karthikeyan esteve para actuar em Bombaim num Jordan F1, mas a rua provou estar muito instável.[10]

Em 2007, restavam cinco localizações na corrida para acolher o GP da Índia: Bangalor, o distrito de Gurgaon, no estado de Haryana, um circuito permanente algures perto de Nova Deli, um circuito urbano em Nova Deli, como proposto por Vijay Mallya [11] [12] , e um sítio em Lucknow, Uttar Pradesh.[13] .


Após meses de negociações, a Associação Olímpica Indiana (IOA) e Bernie Ecclestone anunciaram em Junho de 2007 um acordo provisório para a Índia acolher o primeiro Grande Prémio na temporada de Fórmula 1 de 2009.[14] [15] A pista seria construída em Gurgaon, conforme recomendado pelo arquitecto Hermann Tilke.[16] [1] [17]

Contudo, em Setembro de 2007, o IOA anunciou que a corrida de estreia teria lugar em 2010, no Buddh International Circuit, em Greater Noida.[18] [19] Depois de mais avaliações das calendarizações, Bernie Ecclestone anunciou em Setembro de 2008 que o GP da Índia tinha sido atrasado para 2011.[20]

Em Outubro de 2008, a equipa Renault F1 exibiu o seu carro numa viagem ao longo de todos os sítios que foram anteriormente ligados a um possível circuito de F1 na Índia (excepto Bombaim): Gurgaon, Lucknow, Bangalore, Hyderabad e Calcutá,[21] e em Novembro de 2008 também actuaram numa demonstração de rua em Rajpath (Porta da Índia), Nova Deli, com o carro a ser pilotado por Nelson Angelo Piquet. Em Agosto de 2009, a McLaren F1 exibiu o seu carro em Lucknow.[22] A 11 de Outubro de 2009, a equipa Red Bull F1 deu uma demonstração em Bombaim. David Coulthard pilotou o carro da Red Bull F1 à volta de uma ponte de Bombaim, a Bandra Worli Sealink


O circuito[editar | editar código-fonte]

A corrida irá ser realizada no Buddh International Circuit em Greater Noida, a 50 km de Deli

.[23] O circuito irá ter 5.5 quilómetros e irá ser desenhado pelo designer de circuitos de F1 Hermann Tilke. O contrato de 10 anos para a corrida foi dado à empresa indiana de construção Jaiprakash Associates.[24]

Samir Gaur, MD e CEO da JPSK Sports, uma subsidiária da Jaiprakash Associates, afirmou que "A aquisição de terreno para a pista de 5.5 km está aprovada e esperamos a conclusão do exercício por Fevereiro. O designer e o empreiteiro para o trabalho também, foram finalizados e temos a certeza de ter a pista pronta em Fevereiro de 2011, a tempo do campeonato." De acordo com Ashok Khurana, vice-presidente executivo da JPSK, a área central do circuito irá ter mais de 4000 lugares e construir a infraestrutura do circuito iria custar 216 milhões de euros.[24]

O último desenvolvimento (Janeiro de 2010) com o circuito na Índia foi a designação de Mark Hughes, antigo número 2 do Bahrain International Circuit durante 5 anos e também conselheiro do Yas Marina Circuit para o seu primeiro GP no fim de 2009.

Benefícios económicos[editar | editar código-fonte]

Deli viu bastantes desenvolvimentos de infraestruturas para os Jogos Commonwealth 2010. Contudo, nenhum fundo directo foi fornecido para um GP da Índia.[14]

Segundo os peritos, os benefícios de uma economia emergente como a Índia se juntar ao calendário da F1 são claros. Não só a indústria turística e hoteleira têm um aumento imediato, como também o perfil do país subiria.

Os peritos são também da opinião que quando arrancar o GP da Índia, este tem potencial para gerar um retorno de cerca de 133 milhões de euros e empregar 10 mil pessoas. A oportunidade de publicidade entre os construtores e a F1 não pode ser ignorada.[24]

Reacções[editar | editar código-fonte]

O empresário Vijay Mallya disse após assinar um acordo de patrocínio entre a sua Kingfisher Airlines e a equipa Force India que estava confiante que o desporto iria para o subcontinente indiano. "Tem sido sempre meu sonho trazer a Fórmula Um para a Índia," disse numa conferência noticiosa à margem do lançamento do carro da Force India em 2008. "O governo de Deli, penso que quer realmente a Fórmula Um na Índia e estou optimista que talvez possamos acolher a nossa primeira corrida em 2009."[25]

Quer a Associação de Automobilismo da Índia e a Federação de Clubes Automóveis da Índia expressaram algum cepticismo. O presidente da última, Rajat Mazumbar, disse que "A única corporação autorizada que pode organizar automobilismo na Índia é a nossa" apesar do acordo que foi assinado com a Associação Olímpica Indiana.

A consciência crescente levou à popularidade do merchandise, bilhetes de Fórmula 1, e viagens a destinos da F1.[26]

Recordes do Grande Prêmio da Índia[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c F1 in India not before 2007–2008. Rediff (2003-07-28). Página visitada em 2010-05-29.
  2. Kari Memorial Speedway at etracksonline.co.uk
  3. a b India Times, Dec 23, 2003
  4. India Times, Jan 26, 2004
  5. BBC, 11 February 2005
  6. gpupdate.net, 17 May 2004
  7. gpupdate.net, 07 June 2004
  8. gpupdate.net, 22 July 2004
  9. gpupdate.net, 27 September 2004
  10. gpupdate.net, 20 October 2005
  11. New Delhi GP on dancewithshadows.com
  12. New Delhi GP on gpupdate.net
  13. Express India, Oct 08, 2007
  14. a b "Indian Grand Prix 2009", 2007-06-14. Página visitada em 23 June 2007.
  15. India agree deal on Grand Prix. BBC News (17 June 2007). Página visitada em 23 June 2007.
  16. Haryana GP on dnaindia.com
  17. [1] Haryana on gpupdate.net
  18. 2010 GP on gpupdate.net
  19. India to host its first Formula One race in 2010. The Bangkok Post (2007-09-17). Página visitada em 2007-09-17.
  20. Indian Grand Prix debut pushed back to 2011. The Daily Telegraph (30 September 2008). Página visitada em 8 October 2008.
  21. Renault F1 tour at reachouthyderabad.com
  22. vodafone India website, August 2009
  23. Indian Grand Prix: Indianexpress
  24. a b c Jainani, Deepa (2009-01-16). India on course for 2011 F1 Grand Prix. The Financial Express. The Indian Express Limited. Página visitada em 2009-05-06.
  25. India 'could host F1 race in 2009'. The Age (2007-01-13). Página visitada em 2007-06-23.
  26. Destination Shanghai For Indian Fans. Rediff (2007-01-23). Página visitada em 2008-01-23.

Links externos[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Fórmula 1 é um esboço relacionado ao projeto sobre Fórmula 1. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.