Grande Prêmio da Alemanha de 2018

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da Alemanha de F-1 2018
Circuit Hokenheimring.png
Grande Prêmio da Alemanha de 2018.
Detalhes da corrida
Data 22 de julho de 2018
Nome oficial Formula 1 Emirates Grosser Preis von Deutschland 2018
Local Hockenheimring, Hockenheim, Baden-Württemberg, Alemanha
Total 67 voltas / 306.458 km
Pole
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Tempo 1:11.212
Volta mais rápida
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:15.545 (na volta 66)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Finlândia Valtteri Bottas Mercedes
Terceiro
Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari

O Grande Prêmio da Alemanha de 2018 (formalmente denominado Formula 1 Emirates Grosser Preis von Deutschland 2018) foi a decima primeira etapa da temporada de 2018 da Fórmula 1. Disputada em 22 de julho de 2018 no Hockenheimring, Hockenheim, Alemanha[1]

O Grande Prêmio da Alemanha retorna ao calendário da Fórmula 1 desde 2016.

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

A classificação começou como acabou o treino livre, com Charles Leclerc na ponta, mas logo as Ferraris de Kimi Raikkonen e, em seguida, Sebastian Vettel fizeram os melhores tempos, já baixando da casa de 1m13. Lewis Hamilton chegou a encostar neles, em terceiro, mas logo em seguida a dupla da Ferrari melhorou, com Vettel cravando 1m12s538 a seis minutos do fim do Q1, 0s185 à frente de Kimi, deixando o inglês 0s424 atrás. Comprovando a superioridade da Ferrari, Raikkonen melhorou ainda mais e fez 1m12s505.

Enquanto isso, Hamilton teve problemas no finalzinho do Q1 e nem conseguiu levar o carro de volta aos boxes. Desesperado, o tetracampeão ainda tentou empurrar a Mercedes, o que é proibido. Apesar de ter sido detectado um problema hidráulico, ainda não se sabe se isso acarretará numa troca de câmbio, o que renderia ao inglês uma punição com perda de posições no grid. O inglês chegou a se classificar para o Q2, em quinto, mas como não conseguiu prosseguir no treino, na pior das hipóteses, caso o câmbio não seja trocado, vai largar em 14º.

Surpreendentemente Esteban Ocon esteve entre os eliminados, com a Force India, enquanto a dupla da STR também caiu fora, assim como Lance Stroll e Stoffel Vandoorne, estes de forma até esperada pelo péssimo momento de Williams e McLaren.

Eliminados: Esteban Ocon (Force India), Pierre Gasly (Toro Rosso), Brendon Hartley (Toro Rosso), Lance Stroll (Williams) e Stoffel Vandoorne (McLaren).

Q2

Na primeira rodada de tentativas no Q2, Bottas foi mais rápido do que a dupla da Ferrari, com Raikkonen inclusive sendo atrapalhado por uma rodada de Marcus Ericsson no trecho do estádio. Como o sueco jogou muita brita no traçado, a direção de prova decidiu interromper o treino para a limpeza do asfalto.

Depois da volta do treino, a briga pelas vagas finais no Q3 foi muito acirrada. Apesar dos problemas da McLaren, Fernando Alonso ainda ficou a uma posição de avançar, em 11º. Sergey Sirotkin também teve um desempenho bastante razoável e foi o 12º com a Williams, uma posição à frente de Marcus Ericsson (Sauber), enquanto Sergio Perez arrancou a última vaga com a Force India e Charles Leclerc voltou a brilhar, em oitavo, e os dois pilotos da Renault avançaram.

Eliminados: Fernando Alonso (McLaren), Sergey Sirotkin (Williams), Marcus Ericsson (Sauber), Lewis Hamilton (Mercedes) e Daniel Ricciardo (Red Bull).

Q3

Vettel começou o Q3 dando as cartas, fazendo o melhor tempo até então, 1m11s539, superando o segundo colocado Bottas em 0s170 e deixando Raikkonen, que errou na sua primeira tentativa, em terceiro e Verstappen em quarto.

Na última série de voltas lançadas, Bottas chegou a assumir a primeira posição, 0s1 à frente de Vettel, mas o alemão deu o troco na tentativa derradeira e fez um tempo 0s204 melhor para confirmar a quinta pole em 11 corridas no ano.

Grid de Largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

A largada se mostrou calma, ao menos na frente. Vettel e Bottas largaram bem, sustentam os dois primeiros lugares. Logo atrás, Räikkönen teve dificuldades para segurar Verstappen. Magnussen, Hülkenberg, Grosjean, Pérez, Sainz e Leclerc completavam o top-10. Hamilton teve uma largada mediana, subindo de 14º para 13º.

Três voltas bastaram para que Vettel abrisse 1s5 de vantagem sobre Bottas, evitando o uso do DRS. Apesar do bom ritmo da Ferrari, Räikkönen não se aproximava de Valtteri.

Na altura da sexta volta, Hamilton já era décimo, tirando Leclerc dos pontos. Ricciardo, por sua vez, escalava com mais parcimônia: largando em 19º, o australiano aparecia em 16º.

Enquanto Hamilton ultrapassava com facilidade, o resto do grid vivia disputas mais acirradas. Grosjean, que já havia perdido posição para Hülkenberg na largada, também foi superado por Pérez, aparecendo em nono. Era um começo decepcionante para um piloto que parecia capaz de pontear o grupo intermediário.

Hamilton terminou de passar os pilotos do pelotão intermediário na volta 14, quando Magnussen ficou para trás. Em quinto, o britânico tinha como desafio cortar uma diferença de quase 20s para Verstappen. Ricciado ainda vivia outra realidade e não havia sequer entrado na zona de pontos, em 13º.

Räikkönen abriu o ciclo de pit-stops na volta 15, voltando em quarto, atrás de Verstappen. A Ferrari teve a preocupação de antecipar o pit-stop para evitar que Kimi ficasse preso atrás de Hamilton. Com pista livre, o "Homem de Gelo" teria a chance de encaixar voltas rápidas e ensaiar um ataque contra Bottas.

O ciclo de pits alcançou o pelotão intermediário na volta 20, quando Hülkenberg parou. Magnussen fez o mesmo na 21, ‘marcando’ o rival na briga pelo sexto lugar. Grosjean, um pouco mais atrás na ordem, veio na 22.

Vettel, por sua vez, parou na 26. E teve uma surpresinha: o tetracampeão voltou atrás de Räikkönen. Bottas e Verstappen, ambos sem paradas, passavam a ser primeiro e segundo. Os dois pararam na 28 e na 29, encerrando o ciclo. A ordem passava a ser Räikkönen, Vettel, Hamilton (que só pararia depois), Bottas e Verstappen.

Faltava só um piloto nesse grupo, Ricciardo. Que ficou pelo caminho: mesmo trocando diversas peças gastas do motor, o australiano perdeu potência na volta 29 e encostou na beira da pista.

Na volta 35, a situação da Ferrari na corrida ficava menos tranquila. Räikkönen começava a atrapalhar Vettel por ter pneus mais gastos, mas não estar disposto a abrir caminho. A sorte da equipe italiana é que Hamilton, também um pouco lento, não conseguia se aproximar.

Foi só na volta 41 que o drama se resolveu. Depois de alguma apreensão, Räikkönen aceitou a mensagem da Ferrari de “não segure o Sebastian” e abriu caminho.

Na volta 43, depois de tanto esperar uma chuva que não veio, Hamilton fez a parada. Como se esperava, o britânico voltou em quinto, precisando remar 8s para brigar por posição com Verstappen. E o timing se mostrou horroroso: exatamente uma volta depois de Lewis colocar outro set de pista seca, a chuva começou a vir com força.

As equipes reagiram de imediato. Leclerc e Alonso foram os primeiros a colocar intermediários, mas sofriam para encontrar tempo de volta. O problema é que, apesar de a curva 6 estar bastante molhada, alguns trechos do circuito tinham até sol. Mesmo assim, Verstappen parou para colocar intermediários, voltando em quinto e cedendo posição para Hamilton.

E definitivamente não deu certo: a pista começou a secar, forçando Verstappen a voltar aos pneus secos. E foi um grande erro: poucas voltas depois, a chuva voltou a cair. O caos começou: Pérez rodou, enquanto Räikkönen escapou e cedeu posição para Bottas.

E o pior veio depois: Vettel escapou sozinho no estádio, consequência da combinação de pneu seco com pista cada vez mais molhada. O alemão bateu e abandonou no ato, uma tragédia para sua campanha no Mundial de Pilotos. O safety-car veio à pista.

Enquanto isso, os boxes ficavam loucos. Bottas e Räikkönen pararam para colocar novos sets de pneus ultramacios. Hamilton seguiu na pista, herdando uma improvável liderança.

A relargada veio, e Hamilton não foi brilhante. O que permitiu o ataque de Bottas, que chegou muito perto de virar líder. Aí a Mercedes agiu: via rádio, a equipe pediu que o finlandês desistisse da briga pela ponta. E assim fez: Hamilton seguiu em frente, carimbando a vitória sem novas reviravoltas.

Resultado da corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[2]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Ultra Macio F1 tire Pirelli PZero Purple.svg Slick
(P Zero)
Seco Ultrasoft Médio Médio
Macio F1 tire Pirelli PZero Yellow.svg Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Médio F1 tire Pirelli PZero White.svg Slick
(P Zero)
Seco Medium Médio Médio
Intermediário F1 tire Pirelli Cinturato Green.svg Sulcos
(Cinturato)
Molhado Intermediate
(água não estagnante)
Chuva F1 tire Pirelli Cinturato Blue.svg Sulcos
(Cinturato)
Molhado Wet
(água estagnante)

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:12.538 1:12.505 1:11.212 1
2 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 1:12.962 1:12.152 1:11.416 2
3 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:12.505 1:12.336 1:11.547 3
4 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:13.127 1:12.188 1:11.822 4
5 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:13.105 1:12.523 1:12.200 5
6 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:12.986 1:12.722 1:12.544 6
7 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 1:13.479 1:12.946 1:12.560 7
8 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault 1:13.324 1:13.032 1:12.692 8
9 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 1:13.077 1:12.995 1:12.717 9
10 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:13.427 1:13.072 1:12.774 10
11 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 1:13.614 1:13.657 11
12 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 1:13.708 1:13.702 12
13 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:13.562 1:13.736 13
14 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:13.012 S/Tempo 14
15 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:13.318 S/Tempo 19 1
16 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:13.720 15
17 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 1:13.749 20 2
18 28 Nova Zelândia Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 1:14.045 16
19 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 1:14.206 17
20 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 1:14.401 18
Tempo dos 107%:1:17.580
Fonte:[3]
Notas
  • ↑1  – Daniel Ricciardo foi punido com 20 posições na largada por exceder sua cota de elementos de unidade de motor. [4]
  • ↑2  – Pierre Gasly foi punido com 30 posições na largada por exceder sua cota de elementos de unidade de motor.

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 67 1:32.29.845 14 25
2 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 67 +4.535 2 18
3 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 67 +6.732 3 15
4 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 67 +7.654 4 12
5 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 67 +26.609 7 10
6 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 67 +28.871 6 8
7 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 67 +30.556 10 6
8 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 67 +31.750 15 4
9 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 67 +32.362 13 2
10 28 Nova Zelândia Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 67 +34.197 16 1
11 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 67 +34.919 5
12 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault 67 +43.069 1 8
13 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 67 +46.617 18
14 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 66 +1 Volta 20
15 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 66 +1 Volta 9
16 2 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 65 Caixa de câmbio 11
Ret 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 53 Unid. de potência 17
Ret 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 51 Acidente 1
Ret 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 51 Unid. de potência 12
Ret 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 27 Unid. de potência 19
Fonte: [5]
Notas
  • ↑1  – Carlos Sainz Jr. originalmente terminou a prova na 10ª posição, mas posteriormente foi punido com 10 segundos a mais no seu tempo final de corrida, por ter feito uma ultrapassagem irregular durante a bandeira amarela (com o carro de segurança na pista).
  • ↑2  – Fernando Alonso não finalizou a prova, mas obteve a classificação pois completou mais de 90% do tempo total da corrida.

Voltas na Liderança[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
38 Alemanha Sebastian Vettel 1-25 39-51
2 Finlândia Valtteri Bottas 26-27
14 Finlândia Kimi Räikkönen 28-38 52-54
13 Reino Unido Lewis Hamilton 55-67

2018 DHL Fastest Pit Stop Award[editar | editar código-fonte]

Resultado[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 2.09 25
2 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 2.31 18
3 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 2.33 15
4 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 2.49 12
5 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 2.66 10
6 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 2.72 8
7 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 2.73 6
8 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault 2.78 4
9 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 2.81 2
10 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 2.94 1
Fonte: [6]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 Emirates Grosser Preis von Deutschland 2018» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Pirelli announces compound choices and mandatory sets for the 2018 German Grand Prix» (em inglês). news.pirelli.com 
  3. «Qualyfing». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). Consultado em 21 de julho de 2018 
  4. «Ricciardo recebe punição por trocar peças do motor». f1mania.lance.com.br. Consultado em 21 de julho de 2018 
  5. «Formula 1 Emirates Grosser Preis von Deutschland – Race Result». Formula1.com. Formula One World Championship Limited. 22 de julho de 2018. Consultado em 23 de julho de 2018 
  6. «2018 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Prova Anterior:
GP da Grã-Bretanha de 2018
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2018
Próxima Prova:
GP da Hungria de 2018

Prova Anterior:
GP da Alemanha de 2016
Grande Prêmio da Alemanha Próxima Prova:
GP da Alemanha de 2019