Grande Prêmio da Austrália de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da Austrália de F-1 2016
Albert Lake Park Street Circuit in Melbourne, Australia.svg
Grande Prêmio da Austrália de 2016.
Detalhes da corrida
Data 20 de março de 2016
Nome oficial 2016 Formula 1 Rolex Australian Grand Prix
Local Circuito de Albert Park, Melbourne, Austrália
Total 58 voltas / 307,574 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:23.837
Volta mais rápida
Piloto
Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer
Tempo 1:28.997 (na volta 49)
Pódio
Primeiro
Alemanha Nico Rosberg Mercedes
Segundo
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Terceiro
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari

O Grande Prêmio da Austrália de 2016 (formalmente denominado 2016 Formula 1 Rolex Australian Grand Prix) foi uma corrida de Fórmula 1 disputada em 20 de março de 2016 no Circuito de Albert Park em Melbourne, Austrália.[1] Vencida por Nico Rosberg, foi a etapa inaugural da temporada de 2016.

Esta corrida estreou o novo formato do treino classificatório: os pilotos com os piores tempos são eliminados a cada noventa segundos a partir de um tempo determinado.[2] A Pirelli fornecerá agora três tipos de pneus para pista seca a cada prova e introduzirá o pneu ultramacio, este porém, somente a partir do Grande Prêmio do Canadá.[2] Os escapes foram modificados ocasionando um aumento de cerca de 25% do som.[2] Marcou a estreia da equipe Haas F1 Team que inclusive fez os seus primeiros oito pontos com a sexta colocação de Romain Grosjean e o retorno da Renault como equipe própria.

Relatório[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

O treino começou com todos os carros saindo para a pista de pneus supermacios. As Mercedes saíram na frente. Conforme a nova regra, o primeiro eliminado foi o alemão Pascal Wehrlein. Com o último tempo, o piloto da Manor nem sequer esperou os primeiros sete minutos e entrou nos boxes antes de ser eliminado. Logo em seguida seu companheiro de equipe, Haryanto, também foi eliminado. Ele perdeu três posições no grid por conta de um incidente com Romain Grosjean no treino livre da manhã.[3][4]

Foram eliminados Ericsson, Nasr, Kvyat, Grosjean, Gutierrez, Haryanto e Wehrlein.[3][4]

Q2

Os pilotos da Renault foram os foram os pimeiros eliminados da segunda etapa, Magnussen ficou com o 15º lugar e Palmer com o 14º. Em seguida, caíram Jenson Button e Fernando Alonso da McLaren. Valtteri Bottas ficou em 11º.[3][4]

Q3

Restaram para a superpole duas Mercedes, duas Ferraris, duas Williams, duas Toro Rosso e uma Red Bull. Ricciardo, foi eliminado e ficou com o oitavo lugar. Sainz foi eliminado em seguida. Em sexto lugar, Massa preferiu não saiu mais dos boxes. Verstappen e a dupla da Ferrari, Raikkonen e Vettel, também tomaram a mesma decisão de não voltar para a pista e foram eliminados em sequência. No fim, a pole ficou entre os pilotos da Mercedes. Restando mais de 2 minutos para o cronômetro zerar, Rosberg recolheu para os boxes, e a pole position ficou mesmo com Hamilton.[3][4]

Resultado do treino classificatório

Corrida[editar | editar código-fonte]

A primeira largada foi abortada devido a Red Bull de Daniil Kvyat ter ficado parada no grid; com isso, o número de voltas foi diminuído em uma volta.[5] Na nova largada Hamilton perdeu cinco posições e Vettel assumiu a liderança secundado por Raikkonen.[2] A partir da primeira troca de pneus cada piloto de Ferrari e Marcedes adotou uma estratégia diferente.[5] Na volta dezenove a McLaren de Fernando Alonso capotou fortemente ao colidir com a Haas de Esteban Gutiérrez, mas ambos pilotos saíram ilesos. O carro de segurança chegou a entrar na pista mas logo foi a prova foi interrompida.[5] Cerca de vinte minutos depois foi reiniciada e os sete primeiros colocados eram: Vettel, Rosberg, Räikkönen, Ricciardo, Verstappen, Sainz e Hamilton. Rosberg, com pneus médios, herdaria a primeira posição com a parada de Vettel na 36ª volta e Hamilton, numa corrida de recuperação, alcançaria o segundo posto; Räikkönen foi obrigado a abandonar por problemas no motor.[5] No terceiro lugar Vettel, com pneus macios, chegou a diminuir sua desvantagem para Hamilton, que rodava com pneus médios bastante usados.[5] Mark Webber foi o entrevistador no pódio.[6]

Resultado da corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[7]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Super Macio F1 tire Pirelli PZero Red.svg Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio F1 tire Pirelli PZero Yellow.svg Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Medio F1 tire Pirelli PZero White.svg Slick
(P Zero)
Seco Medium Médio Médio
Intermediário F1 tire Pirelli Cinturato Green.svg Sulcos
(Cinturato)
Molhado Intermediate
(água não estagnante)
Chuva F1 tire Pirelli Cinturato Blue.svg Sulcos
(Cinturato)
Molhado Wet
(água estagnante)

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:25.351 1:24.605 1:23.837 1
2 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:26.934 1:24.796 1:24.197 2
3 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:26.945 1:25.257 1:24.657 3
4 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:26.579 1:25.615 1:25.033 4
5 33 Países Baixos Max Verstappen Toro Rosso-Ferrari 1:26.934 1:25.615 1:25.434 5
6 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 1:25.918 1:25.644 1:25.458 6
7 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 1:27.057 1:25.384 1:25.582 7
8 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:26.945 1:25.599 1:25.589 8
9 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:26.607 1:25.753 9
10 27 Alemanha Nico Hülkenberg Force India-Mercedes 1:26.550 1:25.865 10
11 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 1:27.135 1:25.961 16 2
12 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 1:26.537 1:26.125 11
13 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 1:26.740 1:26.304 12
14 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 1:27.241 1:27.601 13
15 20 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 1:27.297 1:27.742 14
16 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:27.435 15
17 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 1:27.958 17
18 26 Rússia Daniil Kvyat Red Bull-TAG Heuer 1:28.006 18
19 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:28.322 19
20 21 México Esteban Gutierrez Haas-Ferrari 1:29.606 20
21 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 1:29.627 22 1
22 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 1:29.642 21
Tempo dos 107%: 1:31.325
Fonte:[8][9]
Notas

↑1 - Rio Haryanto (MRT) perdera três posições no grid por conta de um incidente com Romain Grosjean no terceiro treino livre.[10]

↑2 - Valtteri Bottas (Williams) perdera cinco posições no grid por conta de uma troca de câmbio.[11]

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 57 1:48:15.565 2 25
2 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 57 +8.060 1 18
3 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 57 +9.643 3 15
4 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 57 +24.330 8 12
5 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 57 +58.989 6 10
6 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 57 +1:12.081 19 8
7 27 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 57 +1:14.199 10 6
8 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 57 +1:15.153 16 4
9 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 57 +1:15.680 7 2
10 33 Países Baixos Max Verstappen Toro Rosso-Ferrari 57 +1:16.833 5 1
11 20 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 57 +1:23.399 13
12 30 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 57 +1:25.606 14
13 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 57 +1:31.699 9
14 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 56 +1 volta 12
15 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 56 +1 volta 17
16 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 56 +1 volta 21
Ret 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 41 pneu 15
Ret 7 Finlândia Kimi Raikkonen Ferrari 22 incêndio 4
Ret 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 18 transmissão 22
Ret 21 México Esteban Gutierrez Haas-Ferrari 18 colisão 20
Ret 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 18 colisão 11
NL 26 Rússia Daniil Kvyat Red Bull-TAG Heuer 0 não largou 18
Fonte:[12][13]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «2016 Formula 1 Rolex Australian Grand Prix» (em inglês). Formula 1.com 
  2. a b c d Sergio Álvarez (16 de março de 2016). «Temporada 2016 terá "caos" no treino, pneus ultramacios e mais barulho». UOL 
  3. a b c d «Hamilton conquista pole na Austrália; treino tem fim morno». motorsport.com. 19 de março de 2016. Consultado em 19 de março de 2016 
  4. a b c d «Em novo formato de treino, Hamilton conquista a pole position na Austrália» (html). globo.com. 19 de março de 2016. Consultado em 19 de março de 2016 
  5. a b c d e «Na estratégia, Rosberg supera Vettel e vence movimentado GP da Austrália marcado por forte acidente de Alonso». Grande Prêmio. 20 de março de 2016 
  6. «How the Australian Grand Prix unfolded» (em inglês). BBC. 20 de março de 2016 
  7. «A 100 dias do início da temporada 2016, Pirelli escolhe pneus médios, macios e supermacios para GP da Austrália». Grande Prêmio. 11 de dezembro de 2015 
  8. «Qualifying - Hamilton takes 50th career pole» (em inglês). Formula 1. Consultado em 19 de março de 2016 
  9. «Qualifying - Australia» (em inglês). Formula 1. Consultado em 19 de março de 2016 
  10. «Haryanto penalised for pit-lane collision» (em inglês). Formula 1. Consultado em 19 de março de 2016 
  11. «Gearbox penalty demotes Bottas five grid places» (em inglês). Formula 1. Consultado em 20 de março de 2016 
  12. «Rosberg wins drama-filled Melbourne race» (em inglês). Formula1.com. 20 de março de 2016 
  13. «Nico Rosberg wins wild 2016 F1 season-opening Australian Grand Prix» (em inglês). Autosport. 20 de março de 2016 
Prova Anterior:
GP de Abu Dhabi de 2015
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2016
Próxima Prova:
GP do Bahrein de 2016

Prova Anterior:
GP da Austrália de 2015
Grande Prêmio da Austrália Próxima Prova:
GP da Austrália de 2017