Grande Prêmio da Bélgica de 1980

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Grande Prêmio da Bélgica
de Fórmula 1 de 1980
Circuit Zolder-1975-1985.svg
Sétimo GP da Bélgica em Zolder
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 4 de maio de 1980
Nome oficial XXXVIII Grote Prijs van Belgie[1]
Local Zolder, Heusden-Zolder, Limburgo, Bélgica
Percurso 4.262 km
Total 72 voltas / 306.864 km
Condições do tempo Seco
Pole
Piloto
Austrália Alan Jones Williams-Ford
Tempo 1:19.12
Volta mais rápida
Piloto
França Jacques Laffite Ligier-Ford
Tempo 1:20.88 (na volta 57)
Pódio
Primeiro
França Didier Pironi Ligier-Ford
Segundo
Austrália Alan Jones Williams-Ford
Terceiro
Argentina Carlos Reutemann Williams-Ford

Resultados do Grande Prêmio da Bélgica de Fórmula 1 realizado em Zolder em 4 de maio de 1980. Quinta etapa da temporada, nele aconteceu a primeira vitória do francês Didier Pironi, da Ligier-Ford, que subiu ao pódio ladeado por Alan Jones e Carlos Reutemann, pilotos da Williams-Ford.[2][3][nota 1]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Sob calendário europeu[editar | editar código-fonte]

Duas das quatro etapas válidas pelo mundial de Fórmula 1 foram realizadas em janeiro e as outras em março, contudo o retorno da categoria à Europa estabelecerá um calendário quinzenal onde os pilotos estarão mais desgastados física e emocionalmente e as equipes terão menos tempo para corrigir os problemas que surgirem, daí a importância de zelar pelo espaço conquistado, sobretudo nos casos de Renault, Brabham e Williams, embora nenhuma delas esteja disputando o campeonato de 1980 em sua plenitude: a Renault venceu duas provas com René Arnoux, mas na verdade o mesmo estava em segundo lugar quando houve a quebra de seu companheiro de equipe, Jean-Pierre Jabouille, até aqui zerado na pontuação. No caso da Brabham Nelson Piquet vem carregando o time equipe de Chessington nas costas ante a participação nula de Ricardo Zunino nas provas, enquanto na Williams quase todos os seus resultados provém de Alan Jones, pois Carlos Reutemann não demonstrou a mesma volição que tinha nos tempos de Brabham e Ferrari.[1] Ao todo seriam nove etapas consecutivas no Velho Continente, número reduzido após a anulação do Grande Prêmio da Espanha realizado em 1º de junho no circuito de Jarama.[4]

Entre idas e vindas a categoria assistiu ao regresso de Alain Prost às atividades como piloto da McLaren enquanto na Ensign o grave acidente sofrido por Clay Regazzoni nos Estados Unidos encerrou a carreira do suíço obrigando a equipe fundada por Morris Nunn a contratar o estreante Tiff Needell.[5] Outra decisão importante foi tomada por Don Nichols ao vender a Shadow para a Theodore Racing,[6] empresa baseada em Hong Kong e pertencente a Teddy Yip, um empresário natural da Indonésia.

Alan Jones garante a pole[editar | editar código-fonte]

Na sexta-feira o australiano Alan Jones cravou o melhor tempo da sessão com sua Williams à frente de Didier Pironi e Jacques Laffite, representantes da Ligier, enquanto Carlos Reutemann ficou em quarto a bordo da outra Williams com Jean-Pierre Jabouille e René Arnoux vindo a seguir com a Renault enquanto Nelson Piquet terminou em sétimo com a Brabham e Emerson Fittipaldi em último com sua equipe homônima, um infortúnio que não mudou no dia seguinte, aliás, nenhum tempo marcado no sábado superou os obtidos no dia anterior por causa da chuva que caiu por doze horas no Circuito de Zolder, motivo pelo qual os pilotos da Shadow não melhoraram seu tempo, bem como o norte-americano Eddie Cheever não pôde ir à pista com sua Osella, danificada entre um dia e outro, afinal os bólidos que foram à pista estavam dez segundos mais lentos, em média.[7][8]

Primeira vitória de Pironi[editar | editar código-fonte]

Sabendo que deveria lutar pela vitória desde o primeiro instante, Didier Pironi fez valer o acerto de seu Ligier JS11 e posicionou-se melhor antes de chegar à curva um do circuito e tomou o primeiro lugar de Alan Jones, o qual preocupou-se em manter Jacques Laffite e Carlos Reutemann atrás de si numa fila que perdurou inalterada por trinta e sete voltas. Embora esse quarteto fosse mais rápido que os demais, Pironi manteve a concentração e em apenas cinco voltas colocou oito segundos de vantagem sobre o rival mais próximo.[9] Outrora vigorosa, a Renault estava entre os coadjuvantes da prova belga, pois Jean-Pierre Jabouille parou logo na primeira volta por falhas na embreagem enquanto René Arnoux valia-se da maior velocidade nas retas para manter o quinto lugar, não obstante a pressão de Nelson Piquet. Insatisfeito, Arnoux atacou Reutemann na volta dezesseis, mas como a manobra foi mal executada, o francês saiu da pista e ao regressar estava em décimo.[3] Assim Piquet herdou a posição, contudo manteve-a apenas até a trigésima segunda volta quando suas rodas travaram após cruzar a reta principal de Zolder e ao chegar numa curva o brasileiro perdeu o controle do carro e a Brabham atingiu a grade de proteção, sem consequências para o piloto.[9]

Problemas de freio obrigaram Jacques Laffite a parar nos boxes onde permaneceu quatro voltas e quando sua Ligier voltou ao asfalto o máximo que ele conseguiu foi marcar a melhor volta no giro 57 enquanto Pironi, Jones e Reutemann mantiveram seus lugares com a Tyrrell de Jean-Pierre Jarier a segui-los a uma certa distância. A essa altura estava em curso uma pilotagem furiosa de René Arnoux cujo bólido rendia bem nos trechos sinuosos da pista combinado com uma boa retomada de velocidade, o que o trouxe de volta à zona de pontuação na volta 41 e ao superar Gilles Villeneuve subiu para quinto e diminuiu paulatinamente sua desvantagem para Jarier até ultrapassar seu compatriota pouco antes do fim da corrida.[10] Com o trio de líderes dispersos pela pista o francês Didier Pironi cruzou a linha de chegada a bordo da Ligier e venceu sua primeira corrida na Fórmula 1 seguido pelas Williams de Alan Jones e Carlos Reutemann enquanto René Arnoux, da Renault, Jean-Pierre Jarier, da Tyrrell e Gilles Villeneuve, da Ferrari vieram logo depois.[3]

Graças ao seu esforço incessante, René Arnoux manteve-se na liderança do mundial de pilotos com 21 pontos, mas sua vantagem em relação a Alan Jones (19 pontos), Nelson Piquet (18 pontos) e Didier Pironi (17 pontos) é diminuta considerando que dois terços do campeonato estão por vir. Um exame dos números relativos ao mundial de construtores mostra que Williams e Ligier são as melhores equipes de 1980: a primeira lidera com 25 pontos como resultado do duplo pódio na Bélgica e a outra ocupa a vice-liderança com 23 pontos, fruto de sua regularidade ao longo do ano. "Fui precipitado em minha euforia quando da conquista da pole position. Eu tinha carro pra vencer brincando, mas me esqueci da Ligier. Assim mesmo, acho que tudo andou bem para a Williams", disse Alan Jones ao fazer um diagnóstico da prova belga,[10] uma súmula apropriada também para o desenrolar do certame caso Renault e Brabham continuem à meia-força.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Treinos[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Tempo Dif.
1 27 Austrália Alan Jones Williams-Ford 1:19.12 -
2 25 França Didier Pironi Ligier-Ford 1:19.35 + 0.23
3 26 França Jacques Laffite Ligier-Ford 1:19.69 + 0.57
4 28 Argentina Carlos Reutemann Williams-Ford 1:19.79 + 0.67
5 15 França Jean-Pierre Jabouille Renault 1:19.89 + 0.77
6 16 França René Arnoux Renault 1:19.89 + 0.77
7 5 Brasil Nelson Piquet Brabham-Ford 1:20.23 + 1.11
8 12 Itália Elio de Angelis Lotus-Ford 1:20.96 + 1.84
9 3 França Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 1:21.36 + 2.24
10 66 França Patrick Depailler Alfa Romeo 1:21.45 + 2.33
11 4 República da Irlanda Derek Daly Tyrrell-Ford 1:21.51 + 2.39
12 2 Canadá Gilles Villeneuve Ferrari 1:21.54 + 2.42
13 30 Alemanha Ocidental Jochen Mass Arrows-Ford 1:21.55 + 2.43
14 1 África do Sul Jody Scheckter Ferrari 1:21.58 + 2.46
15 10 Países Baixos Jan Lammers ATS-Ford 1:21.72 + 2.60
16 29 Itália Riccardo Patrese Arrows-Ford 1:21.75 + 2.63
17 11 Estados Unidos Mario Andretti Lotus-Ford 1:22.07 + 2.95
18 23 Itália Bruno Giacomelli Alfa Romeo 1:22.20 + 3.08
19 8 França Alain Prost McLaren-Ford 1:22.26 + 3.14
20 7 Reino Unido John Watson McLaren-Ford 1:22.57 + 3.45
21 21 Finlândia Keke Rosberg Fittipaldi-Ford 1:22.97 + 3.85
22 6 Argentina Ricardo Zunino Brabham-Ford 1:23.18 + 4.06
23 14 Reino Unido Tiff Needell Ensign-Ford 1:23.50 + 4.38
24 20 Brasil Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 1:24.22 + 5.10
25 17 Reino Unido Geoff Lees Shadow-Ford 1:24.37 + 5.25
26 18 República da Irlanda David Kennedy Shadow-Ford 1:24.64 + 5.52
27 31 Estados Unidos Eddie Cheever Osella-Ford 1:40.06 + 20.94
Fonte:[11]

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 25 França Didier Pironi Ligier-Ford 72 1:38:47.4 2 9
2 27 Austrália Alan Jones Williams-Ford 72 + 47.37 1 6
3 28 Argentina Carlos Reutemann Williams-Ford 72 + 84.12 4 4
4 16 França René Arnoux Renault 71 + 1 volta 6 3
5 3 França Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 71 + 1 volta 9 2
6 2 Canadá Gilles Villeneuve Ferrari 71 + 1 volta 12 1
7 21 Finlândia Keke Rosberg Fittipaldi-Ford 71 + 1 volta 21
8 1 África do Sul Jody Scheckter Ferrari 70 + 2 voltas 14
9 4 República da Irlanda Derek Daly Tyrrell-Ford 70 + 2 voltas 11
10 12 Itália Elio de Angelis Lotus-Ford 69 Bateu 8
11 26 França Jacques Laffite Ligier-Ford 68 + 4 voltas 3
12 9 Países Baixos Jan Lammers ATS-Ford 64 Motor 15
NC 7 Reino Unido John Watson McLaren-Ford 61 Não classificado 20
Ret 29 Itália Riccardo Patrese Arrows-Ford 58 Bateu 16
Ret 11 Estados Unidos Mario Andretti Lotus-Ford 41 Câmbio 17
Ret 22 França Patrick Depailler Alfa Romeo 38 Exaustor 10
Ret 5 Brasil Nelson Piquet Brabham-Ford 32 Bateu 7
Ret 8 França Alain Prost McLaren-Ford 29 Transmissão 19
Ret 20 Brasil Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 16 Pane elétrica 24
Ret 14 Reino Unido Tiff Needell Ensign-Ford 12 Motor 23
Ret 23 Itália Bruno Giacomelli Alfa Romeo 11 Suspensão 18
Ret 6 Argentina Ricardo Zunino Brabham-Ford 5 Câmbio 22
Ret 30 Alemanha Jochen Mass Arrows-Ford 1 Bateu 13
Ret 15 França Jean-Pierre Jabouille Renault 1 Embreagem 5
DNQ 17 Reino Unido Geoff Lees Shadow-Ford
DNQ 18 República da Irlanda David Kennedy Shadow-Ford
DNQ 31 Estados Unidos Eddie Cheever Osella-Ford
Fonte:[2]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. As quatorze etapas de 1980 foram divididas em dois blocos de sete e neles cada piloto podia computar cinco resultados válidos não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. Voltas na liderança: Didier Pironi liderou as 72 voltas da prova.

Referências

  1. a b c d «1980 Belgian GP – championships (em inglês) no Chicane F1». Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  2. a b «1980 Belgian Grand Prix - race result». Consultado em 28 de setembro de 2018 
  3. a b c Fred Sabino (4 de maio de 2020). «Didier Pironi conquistou sua primeira vitória na Fórmula 1 há 40 anos, na Bélgica». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 4 de maio de 2020 
  4. Fred Sabino (13 de abril de 2019). «Não valeu! Quando as corridas de Fórmula 1 não tiveram resultado validado para o campeonato». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  5. Fred Sabino (19 de julho de 2018). «Morris Nunn deu primeira chance a Piquet na F1 e foi campeão com Emerson na Indy». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  6. «Belgian GP, 1980 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  7. Redação (3 de maio de 1980). «Piquet obtém o 7º tempo e Emerson fica em último. Primeiro Caderno – Esportes, p. 20». bndigital.bn.gov.br. Jornal do Brasil. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  8. Redação (4 de maio de 1980). «Piquet começa o GP da Bélgica na 4ª fila. Geral, p. 49». acervo.estadao.com.br. O Estado de S. Paulo. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  9. a b Redação (5 de maio de 1980). «A primeira vitória do francês Pironi. Esportes, p. 15». acervo.folha.com.br. Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de fevereiro de 2021 
  10. a b Redação (5 de maio de 1980). «Pironi vence o GP da Bélgica, Piquet cai para 3º no mundial. Matutina – Esportes, p. 09». acervo.oglobo.globo.com. O Globo. Consultado em 29 de setembro de 2018 
  11. «1980 Belgian Grand Prix - starting grid». Consultado em 18 de fevereiro de 2021 

Precedido por
Grande Prêmio do Oeste dos EUA de 1980
Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1980
Sucedido por
Grande Prêmio de Mônaco de 1980
Precedido por
Grande Prêmio da Bélgica de 1979
Grande Prêmio da Bélgica
38ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da Bélgica de 1981