Grande Prêmio da China de 2017

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da China de F-1 2017
Circuit Shanghai.png
Grande Prêmio da China de 2017.
Detalhes da corrida
Data 09 de abril de 2017
Nome oficial 2017 Formula 1 Heineken Chinese Grand Prix
Local Circuito Internacional de Xangai, Xangai, China
Total 56 voltas / 305 066 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:31.678
Volta mais rápida
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:35.378 (na volta 44)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Terceiro
Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer

Grande Prêmio da China de 2017 (formalmente denominado 2017 Formula 1 Heineken Chinese Grand Prix) foi a segunda etapa da temporada de 2017 da Fórmula 1. Disputada em 09 de abril de 2017 no Circuito Internacional de Xangai[1], foi vencida pelo inglês Lewis Hamilton. Completam o pódio o alemão Sebastian Vettel e o neerlandês Max Verstappen.

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Pascal Wehrlein não conseguiu se recuperar totalmente da lesão que sofreu na Corrida dos Campeões e vai perder mais uma prova na temporada 2017 da F1. Assim como na Austrália, Antonio Giovinazzi corre ao lado de Marcus Ericsson pela Sauber.

Não vai ser dessa vez que Pascal Wehrlein vai disputar seu primeiro GP em 2017. A Sauber confirmou que Antonio Giovinazzi vai substituir Wehrlein no GP da China, marcado para o próximo final de semana. O piloto alemão explica que, ao invés de se arriscar com os exigentes carros da F1, vai focar na fase final da recuperação física, necessária após uma lesão nas costas em dezembro, na Corrida dos Campeões.

Ao contrário do GP da Austrália, quando Wehrlein tomou a decisão de se afastar pouco antes do treino classificatório, a Sauber conseguiu se planejar com mais antecedência. A equipe já planejava levar Giovinazzi para Xangai como ‘Plano B’. Agora como titular, Antonio vai disputar todas as atividades na China.

A Sauber afirma que a decisão visa “garantir que Wehrlein volte ao C36 na melhor forma física possível”. Mas ainda não existe prazo para isso: a própria escuderia admite que isso pode acontecer “no GP do Bahrein ou no GP da Rússia”. A corrida no Oriente Médio acontece uma semana depois do GP chinês, dando pouco tempo para Pascal se recuperar.

Antonio Giovinazzi já havia disputado o GP da Austrália. Mesmo sendo chamado de última hora, o italiano trouxe um bom 12º lugar logo em sua estreia. Antes disso, o italiano já tinha participado da pré-temporada em Barcelona, também substituindo Wehrlein.[2]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

Com pneus macios, Vettel tratou de marcar o melhor tempo do Q1 com 1m33s078, seguido por Lewis Hamilton com supermacios, 0s255 mais lento. Seguiram-se Räikkönen, também com o mesmo tipo de pneus do companheiro de Ferrari, e Bottas com a Mercedes em quarto. Max Verstappen foi o destaque negativo da primeira parte do treino classificatório. Chamado para uma pesagem durante a sessão, o holandês da RBR voltou à pista pressionado, não fez uma boa volta e depois acabou prejudicado pela batida da Sauber de Antonio Giovinazzi, ficando fora do Q2. [3]

Fora eliminados Stoffel Vandoorne (McLaren), Romain Grosjean (Haas), Jolyon Palmer (Renault), Max Verstappen (RBR) e Esteban Ocon (Force India).[3]

Q2

Com todos os pilotos calçando pneus supermacios, Räikkönen tirou o primeiro lugar de Vettel no finalzinho, marcando 1m32s181, 0s210 à frente do tetracampeão. Na sequência veio a dupla da Mercedes, com Hamilton em terceiro e Bottas em quarto. Superado por Stroll no Q1, Massa foi o sétimo, deixando o companheiro de equipe em décimo. Destaque positivo para Nico Hulkenberg, que colocou a Renault em uma ótima sexta colocação. .[3]

Foram eliminados Carlos Sainz (Toro Rosso), Kevin Magnussen (Haas), Fernando Alonso (McLaren), Marcus Ericsson (Sauber) e Antonio Giovinazzi (Sauber).[3]

Q3

A Ferrari liderou o Q1 e o Q2, mas foi Hamilton que marcou o melhor tempo do dia. O inglês conquistou a pole position com a marca de 1m31s678, seguido por Vettel, repetindo a primeira fila do GP da Austrália. Bottas foi o terceiro, apenas um milésimo de segundo atrás do alemão da Ferrari, seguido por Räikkönen na quarta colocação. Massa superou Hulkenberg no final e garantiu o sexto posto no grid para o GP da China.[3]

Grid de Largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Hamilton largou bem e manteve a liderança, seguido de Vettel e Bottas. Ricciardo partiu para cima de Räikkönen e ultrapassou o finlandês para assumir a quarta colocação. Já Massa não fez uma boa largada e fechou a primeira volta em 10º. Fernando Alonso saiu da 13ª colocação e levou sua McLaren para o nono posto. Lá atrás, Verstappen abusava de habitual ousadia e galgava importantes posições na classificação, fazendo nove ultrapassagens.

O novato Lance Stroll da Williams foi o primeiro a abandonar, após toque com a Force India de Pérez o canadense acabou preso na brita. Com o safety car virtual acionado alguns pilotos foram para os boxes.

Mesmo com a corrida em bandeira amarela, Antonio Giovinazzi da Sauber rodou em linha reta e acertou o muro, a segunda batida dele no mesmo local durante o final de semana.

Após Bottas rodar sozinho ainda com a bandeira amarela, a relargada foi autorizada na volta oito, e Verstappen tratou de partir para cima de Räikkönen. O finlandês reclamava de falta de torque no motor, e foi logo superado pelo holandês.

O prodígio da RBR não se deu por satisfeito, colocando por dentro e superando o companheiro de equipe Daniel Ricciardo em bela ultrapassagem.

Na volta 20, após muito perseguir, Sebastian Vettel enfim conseguiu a ultrapassagem sobre Kimi Räikkönen. Duas voltas depois o alemão colocou por fora e atacou a RBR de Ricciardo. O australiano foi duro na queda, a disputa ferrenha levou os carros a tocarem roda com roda, mas o motor da Ferrari se mostrou superior e o alemão assumiu a terceira colocação.

Na volta 27, Verstappen não aguentou a pressão e errou sozinho no final da reta. O holandês perdeu o tempo da freada e entregou de bandeja a posição para Vettel. Reclamando do desgaste dos pneus, o piloto da RBR foi aos boxes efetuar a troca dos compostos. Assim que voltou à pista com pneus supermacios novos, Verstappen colou em Bottas e ultrapassou com facilidade o piloto da Mercedes.

Entre os dez primeiros desde a primeira volta, Alonso acabou abandonando por problemas na homocinética do carro da McLaren.

Após os líderes pararem para a troca de pneus, seguiu-se uma procissão com Hamilton em primeiro, seguido de Vettel, Verstappen e Ricciardo. Com seis voltas para o final, o holandês da RBR ficou preso atrás do retardatário Grosjean e viu sua posição no pódio ameaçada pelo companheiro de equipe Daniel Ricciardo. O australiano bem que tentou, mas não conseguiu a ultrapassagem, e Verstappen se segurou no pódio, resultado brilhante após largar da 16ª colocação. Enquanto isso, Hamilton cruzou a linha de chegada tranquilo, garantindo a 54ª vitória da carreira.

Resultado da corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Compostos de Pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[4]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Super Macio F1 tire Pirelli PZero Red.svg Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio F1 tire Pirelli PZero Yellow.svg Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Medio F1 tire Pirelli PZero White.svg Slick
(P Zero)
Seco Medium Médio Médio
Intermediário F1 tire Pirelli Cinturato Green.svg Sulcos
(Cinturato)
Molhado Intermediate
(água não estagnante)
Chuva F1 tire Pirelli Cinturato Blue.svg Sulcos
(Cinturato)
Molhado Wet
(água estagnante)

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:33.333 1:32.406 1:31.678 1
2 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:33.078 1:32.391 1:31.864 2
3 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 1:33.684 1:32.552 1:31.865 3
4 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:33.341 1:32.181 1:32.140 4
5 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:34.041 1:33.546 1:33.033 5
6 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 1:34.205 1:33.759 1:33.507 6
7 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 1:34.453 1:33.636 1:33.580 7
8 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:34.657 1:33.920 1:33.706 8
9 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso 1:34.440 1:34.034 1:33.719 9
10 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 1:33.986 1:34.090 1:34.220 10
11 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 1:34.567 1:34.150 11
12 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:34.942 1:34.164 12
13 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 1:34.499 1:34.372 13
14 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:34.892 1:35.046 14
15 36 Itália Antonio Giovinazzi Sauber-Ferrari 1:34.963 S/Tempo 15
16 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 1:35.023 16
17 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:35.223 191
18 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 1:35.279 20 2
19 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:35.433 17
20 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:35.496 18
Tempo dos 107%: 1:39.593
Fonte: [5]
Notas

↑1 - Romain Grosjean (Haas) perdeu cinco posições no grid por não respeitarem a bandeira amarela acionada após o acidente com Antonio Giovinazzi na primeira sessão classificatória.[6]

↑2 - Jolyon Palmer (Renault) perdeu cinco posições no grid por não respeitarem a bandeira amarela acionada após o acidente com Antonio Giovinazzi na primeira sessão classificatória[6]

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 56 1:37:36.158 1 25
2 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 56 +6.250 2 18
3 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 56 +45.192 17 15
4 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 56 +43.035 5 12
5 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 56 +48.076 4 10
6 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 56 +48.808 3 8
7 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 56 +1:12.893 11 6
8 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 55 +1 Volta 12 4
9 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 55 +1 Volta 8 2
10 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 55 +1 Volta 18 1
11 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 55 +1 Volta 19
12 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 55 +1 Volta 7
13 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 55 +1 Volta 20
14 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 55 +1 Volta 6
15 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 55 +1 Volta 14
Ret 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 33 Semi-eixo 13
Ret 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso 18 Hidráulico 9
Ret 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 17 Pressão de combustível 16
Ret 36 Itália Antonio Giovinazzi Sauber-Ferrari 3 Colisão 15
Ret 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 0 Colisão 10
Fonte:[7][8][9]

Voltas na Liderança[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias
Nº de Voltas Piloto Voltas
56 Reino Unido Lewis Hamilton (1-56)

2017 DHL Fastest Pit Stop Award[editar | editar código-fonte]

Resultado[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 2.52 25
2 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 2.55 18
3 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 2.60 15
4 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 2.66 12
5 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 2.79 10
6 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 2.97 8
7 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 3.10 6
8 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 3.13 4
9 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 3.15 2
10 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 3.25 1
Fonte: [10]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «2017 Formula 1 Heineken Chinese Grand Prix» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Sauber antecipa decisão e mantém Giovinazzi no lugar de Wehrlein no fim de semana do GP da China». Grande Prêmio. 03 de abril de 2017. Consultado em 03 de abril de 2017  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  3. a b c d e «Na briga particular com Vettel, Hamilton leva a melhor e conquista pole na China» (html). globo.com. 8 de abril de 2017. Consultado em 8 de abril de 2017 
  4. «Pirelli announce tyre choices for 2017 openers» (em inglês). Formula1.com. 22 de dezembro de 2016 
  5. «2017 FORMULA 1 HEINEKEN CHINESE GRAND PRIX - QUALIFYING» (em inglês). Formula1.com. 8 de abril de 2017 
  6. a b «Palmer and Grosjean penalised for ignoring yellow flags» (em inglês). Formula 1. Consultado em 8 de abril de 2017 
  7. «Race - Hamilton wins in China to draw level with Vettel». Formula 1 (em inglês) 
  8. «2017 FORMULA 1 HEINEKEN CHINESE GRAND PRIX - RACE RESULT». Formula 1 (em inglês). Consultado em 9 de abril de 2017 
  9. «Lewis Hamilton wins Formula 1 Chinese Grand Prix for Mercedes». Autosport (em inglês). Consultado em 9 de abril de 2017 
  10. «2017 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com. 09 de abril de 2017. Consultado em 09 de abril de 2017  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
Prova Anterior:
GP da Austrália de 2017
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2017
Próxima Prova:
GP do Bahrein de 2017

Prova Anterior:
GP da China de 2016
Grande Prêmio da China Próxima Prova:
GP da China de 2018