Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2017

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de F-1 2017
Silverstone circuit.svg
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2017.
Detalhes da corrida
Data 16 de julho de 2017
Nome oficial 2017 Formula 1 Rolex British Grand Prix
Local Circuito de Silverstone, Silverstone, Reino Unido
Percurso 5.891 km
Total 52 voltas / 306.198 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:26.600
Volta mais rápida
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:30.621 (na volta 48)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Finlândia Valtteri Bottas Mercedes
Terceiro
Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari

Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2017 (formalmente denominado 2017 Formula 1 Rolex British Grand Prix) foi a décima etapa da temporada de 2017 da Fórmula 1. Disputada em 16 de julho de 2017 no Circuito de Silverstone, Silverstone, Grã-Bretanha[1], foi vencida pelo inglês Lewis Hamilton. Completam o pódio os finlandeses Valtteri Bottas e Kimi Räikkönen.

Relatório[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

O treino começou com chuva e pista bastante molhada. Os carros foram à pista calçados com pneus intermediários, e a RBR logo se sobressaiu. Ricciardo fez o melhor tempo, assumindo a ponta com 1m42s966, porém, logo em seguida o australiano parou na pista com problemas no carro. Após o acionamento da bandeira vermelha o treino ficou paralisado, e voltou com pouco mais de 10 minutos para o final. Com a chuva diminuindo, Verstappen confirmou o bom desempenho do time austríaco e liderava a sessão até que Alonso resolveu dar um show particular para o público inglês. Com pouco tempo para o término do treino, o espanhol foi aos boxes, trocou os pneus intermediários pelos supermacios, abriu a volta rápida no talo e anotou o melhor tempo da sessão com 1m37s598 para delírio total das arquibancadas.

Eliminados: Lance Stroll (Williams), Kevin Magnussen (Haas), Pascal Wehrlein (Sauber), Marcus Ericsson (Sauber) e Daniel Ricciardo (Red Bull).

Q2

Com a pista secando, os pilotos optaram por iniciar o Q2 com pneus supermacios. No princípio da sessão, Hülkenberg deu o tom, liderando com o tempo de 1m31s085. Os pneus foram aquecendo e a briga entre Mercedes e Ferrari se intensificando, com Hamilton tirando a liderança da escuderia italiana tendo o cronômetro já zerado. Se no Q1 Alonso conseguiu tirar um coelho da cartola, no Q2 o espanhol sucumbiu ao carro ruim da McLaren e terminou em 13º, com o companheiro de equipe Vandoorne passando para o Q3 em sétimo. Massa também não foi bem, e fechou a sessão na 15ª colocação.

Eliminados: Jolyon Palmer (Renault), Daniil Kvyat (Toro Rosso), Fernando Alonso (McLaren), Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso) e Felipe Massa (Williams).

Q3

Na disputa pela pole position, Hamilton tratou de tomar as rédeas do treino, logo assumindo a liderança com 1m27s231. Lewis estava imbatível, fazendo o melhor tempo em todos os setores da pista, anotando a 67ª pole position da carreira com 1m26s600. As duas Ferrari vieram na sequência com Räikkönen em segundo e Vettel em terceiro. Pole no treino do GP da Áustria, Bottas foi apenas o quarto, com Verstappen em quinto.

Grid de Largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Antes mesmo da largada, um dos donos da casa ficou pelo caminho. Em péssima fase, Jolyon Palmer sofreu uma pane em sua Renault e teve de encostar na curva Stowe na volta de apresentação. Assim, a direção de prova precisou fazer um novo procedimento de largada para remover o carro do britânico. Quando a corrida começou pra valer, Hamilton partiu na frente e Räikkönen manteve o segundo lugar. Verstappen conseguiu passar Vettel, que tinha sua Ferrari soltando fumaça antes do apagar das luzes vermelhas.

Hülkenberg mostrou serviço e conseguiu se manter em quinto, apesar dos ataques de Ocon, que superou Pérez. O mexicano caiu de sexto para oitavo, sendo superado também por Bottas. E ainda na primeira volta, que teve Massa subindo para décimo, teve fogo nada amigo na Toro Rosso: Daniil Kvyat acertou o carro do seu companheiro de equipe, Carlos Sainz, que teve de abandonar. O acidente levou a direção de prova a acionar o safety-car.

O safety-car voltou ao pit-lane no fim da quarta volta. Hamilton não teve problemas para manter a liderança. Aliás, todas as posições no rol dos dez primeiros foram mantidas. Mais atrás, Ricciardo, que estava em 12º, caía para o fim da fila depois de ter cometido um erro. E Bottas passava Ocon na volta seguinte para assumir o sexto lugar.

A corrida vinha em ritmo interessante, pelo menos no pelotão intermediário. 'Parceiros' na Sauber Marcus Ericsson e Pascal Wehrlein se estranhavam e tocavam roda, com o alemão levando a melhor no duelo. E Bottas já subia para quinto depois de passar Hülkenberg, outro que fazia uma boa prova. Fernando Alonso e Ricciardo, vindo de trás, disputavam a 13ª posição.

Hamilton, na volta 13, continuava sobrando e registrava seguidamente a melhor marca da prova, abrindo uma diferença segura de 4s para Räikkönen, enquanto Verstappen lidava com a pressão de Vettel na luta pelo quarto lugar. Os pilotos travaram um belíssimo duelo roda a roda, com a torcida britânica vibrando ao ver o holandês à frente. A disputa permitiu a Bottas chegar nos dois. Detalhe: o finlandês tinha pneus macios e contava com uma estratégia que indicava ser possível até um pódio.

Sem chance de passar Verstappen, Vettel antecipou seu primeiro pit-stop e colocou pneus macios na abertura da volta 19. O alemão voltou em sexto, atrás de Hülkenberg e à frente de Ocon. Max parou na volta seguinte e Bottas tinha pista livre depois de assumir o terceiro lugar. O trabalho da Red Bull foi pior que o da Ferrari, e o holandês retornou do pit-lane atrás de Vettel.

Com a parada de Kimi na volta 25, Bottas subiu para segundo. O 'Homem de Gelo' conseguiu voltar à frente de Vettel, mas com uma diferença bem menor, cerca de 4s. No giro seguinte, foi a vez do líder da prova trocar os supermacios pelos macios. Mas a vantagem era confortável o bastante para Hamilton voltar ainda em primeiro, com Bottas perto. Pouco depois, Kimi reclamava de alguma coisa solta dentro do cockpit, enquanto Kvyat enfrentava um problema na suspensão.

Massa estava em 11º, atrás dos dois carros da Force India, de Ocon e Pérez, que lutavam para chegar em Magnussen, oitavo. Ricciardo, que também ainda não tinha feito seu pit-stop, vinha em sexto, enquanto Alonso aparecia em 14º.

Bottas finalmente fez seu pit-stop na volta 33, quando a Mercedes calçou seu carro #77 com pneus supermacios. Valtteri voltava em quarto, atrás de Vettel, mas por ter compostos mais rápidos, ainda tinha chance de lutar pelo pódio, apesar do tráfego à frente. Ricciardo também fazia sua parada na volta seguinte e retornava em décimo, enquanto Alonso deixava a prova. Novamente, pela falta de potência do motor Honda.

Ricciardo fazia grande corrida e subia para sétimo depois de passar as duas Force India e também Magnussen. Hamilton, por sua vez, seguia soberano na ponta, com quase 12s de frente para Räikkönen, enquanto Bottas lutava para se aproximar de Vettel e garantir um lugar no top-3, além de contribuir para Lewis reduzir a vantagem do alemão no Mundial.

Na volta 43, Bottas encostou de vez e colocou sua Mercedes lado a lado com a Ferrari do alemão. A primeira tentativa não deu certo, mas a ultrapassagem parecia questão de tempo. E aconteceu na volta seguinte, com a manobra sendo motivo de aplauso da torcida britânica. Nas voltas finais, porém, as duas Ferrari e Max Verstappen sofreram com problemas nos pneus. Primeiro foi Räikkönen, que teve de ir aos boxes para uma parada extra. Vettel assumiu a terceira posição, mas também teve um dos pneus furados. Assim, Bottas terminou mesmo em segundo, enquanto Kimi ainda conseguiu voltar para ser o terceiro. A jornada foi dura para Vettel, que terminou só em sétimo e viu a diferença para o triunfal Hamilton cair para apenas um ponto.

Resultado da corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[2]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Super Macio Neumático F1 Súper blando.png Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio Neumático F1 Blando.png Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Médio Neumático F1 Medio.png Slick
(P Zero)
Seco Medium Médio Médio
Intermediário Neumático F1 Intermedios.png Sulcos
(Cinturato)
Molhado Intermediate
(água não estagnante)
Chuva Neumático F1 Lluvia.png Sulcos
(Cinturato)
Molhado Wet
(água estagnante)

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:39.069 1:27.893 1:26.600 1
2 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:40.455 1:28.992 1:27.147 2
3 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:39.962 1:28.978 1:27.356 3
4 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 1:39.698 1:28.732 1:27.376 9 1
5 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:38.912 1:29.431 1:28.130 4
6 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 1:39.201 1:29.340 1:28.856 5
7 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:42.009 1:29.824 1:28.902 6
8 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:39.738 1:29.701 1:29.074 7
9 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 1:40.011 1:30.105 1:29.418 8
10 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:42.042 1:29.966 1:29.549 10
11 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 1:41.404 1:30.193 11
12 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso 1:41.726 1:30.355 12
13 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 1:37.598 1:30.600 20 2
14 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 1:41.114 1:31.368 13
15 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 1:41.874 1:31.482 14
16 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 1:42.573 15
17 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:42.577 16
18 94 Alemanha Pascal Wehrlein Sauber-Ferrari 1:42.593 17
19 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:42.633 18
20 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:42.966 19 3
Tempo dos 107%: 1:44.429
Fonte: [3]
Notas

↑1 - Valtteri Bottas (Mercedes) perdeu cinco posições por ter trocado a caixa de câmbio.

↑2 - Fernando Alonso (McLaren) perdeu 30 posições por ter trocado componentes da unidade de potência.

↑3 - Daniel Ricciardo (Red Bull) perdeu cinco posições por ter trocado a caixa de câmbio.

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 51 1:21:27.430 1 25
2 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 51 +14.063 9 18
3 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 51 +36.570 2 15
4 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 51 +52.125 4 12
5 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 51 +65.955 19 10
6 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 51 +68.109 5 8
7 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 51 +93.989 3 6
8 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 50 +1 Volta 7 4
9 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 50 +1 Volta 6 2
10 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 50 +1 Volta 14 1
11 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 50 +1 Volta 8
12 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 50 +1 Volta 16
13 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 50 +1 Volta 10
14 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 50 +1 Volta 18
15 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso 50 +1 Volta 12
16 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 50 +1 Volta 15
17 94 Alemanha Pascal Wehrlein Sauber-Ferrari 50 +1 Volta 17
Ret 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 34 20
Ret 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 0 13
DNS 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 0 11
Fonte: [4]

Voltas na Liderança[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
51 Reino Unido Lewis Hamilton (1-51)

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

  • Lewis Hamilton faz quinta pole no Grande Prêmio da Grã-Bretanha e iguala o recorde histórico de pole position na Grã-Bretanha com Jim Clark.

2017 DHL Fastest Pit Stop Award[editar | editar código-fonte]

Resultado[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 2.02 25
2 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 2.23 18
3 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 2.26 15
4 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 2.33 12
5 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 2.37 10
6 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 2.48 8
7 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 2.50 6
8 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 2.66 4
9 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 2.74 2
10 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 2.74 1
Fonte: [5]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «2017 Formula 1 Rolex British Grand Prix» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Silverstone tyre compounds confirmed by Pirelli» (em inglês). Formula 1.com. 18 de maio de 2017 
  3. «2017 FORMULA 1 ROLEX BRITISH GRAND PRIX - QUALIFYING» (em inglês). Formula1.com. 15 de julho de 2017. Consultado em 15 de julho de 2017 
  4. «2017 FORMULA 1 ROLEX BRITISH GRAND PRIX - RACE RESULT» (em inglês). Formula1.com. 16 de julho de 2017. Consultado em 16 de julho de 2017 
  5. «2017 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com. 26 de março de 2017 
Prova Anterior:
GP da Áustria de 2017
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2017
Próxima Prova:
GP da Hungria de 2017

Prova Anterior:
GP da Grã-Bretanha de 2016
Grande Prêmio da Grã-Bretanha Próxima Prova:
GP da Grã-Bretanha de 2018