Grande Prêmio de Mônaco de 2018

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio de Mônaco de F-1 2018
Monte Carlo Formula 1 track map.svg
Grande Prêmio de Mônaco de 2018.
Detalhes da corrida
Data 27 de maio de 2018
Nome oficial Formula 1 Grand Prix de Monaco 2018
Local Circuito de Mônaco, Monte Carlo, Mônaco
Total 78 voltas / 260.286 km
Pole
Piloto
Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer
Tempo 1:10.810
Volta mais rápida
Piloto
Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing
Tempo 1:14.260 (na volta 60)
Pódio
Primeiro
Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer
Segundo
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Terceiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes

O Grande Prêmio de Mônaco de 2018 (formalmente denominado Formula 1 Grand Prix de Monaco 2018) foi a sexta etapa da temporada de 2018 da Fórmula 1. Disputada em 27 de maio de 2018 no Circuito de Mônaco, Monte Carlo, Mônaco[1]

Relatório[editar | editar código-fonte]

Treino Livre[editar | editar código-fonte]

No terceiro treino livre, Max Verstappen perdeu o controle de seu carro na curva 16 e bateu forte no muro, resultando em uma bandeira vermelha. Verstappen saiu ileso do acidente. Entretanto, devido aos grandes danos provenientes do impacto, o carro da RBR não foi totalmente consertado a tempo, apesar do grande esforço da equipe, e com isso, Verstappen não conseguiu participar do treino classificatório. Verstappen foi liberado para a corrida e largará em último.

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

Com Verstappen fora, Ricciardo já dominou a primeira parte do treino. Na primeira série de tentativas, o australiano fez 1m12s013, superando em 0s670 o surpreendente Fernando Alonso, com Sergey Sirotkin em terceiro. As duplas de Ferrari e Mercedes pegaram tráfego e não encaixaram uma boa volta no começo. Mas logo em seguida, Vettel, Hamilton e Raikkonen passaram a ocupar do segundo ao quarto lugares, mesmo pegando trânsito de novo.

Quem assustou no Q1 foi Valtteri Bottas, que, faltando quatro minutos para o fim era apenas o 15º colocado e, se perdesse mais uma posição, sairia da zona de classificação. O finlandês chegou a cair para 17º, mas, a menos de dois minutos da bandeirada, ele se salvou ao subir para terceiro. A grande decepção do Q1 foi Kevin Magnussen, que foi o último colocado entre os pilotos que entraram na pista, em 19º. Chamou também a atenção a queda de desempenho de Brendon Hartley, que, depois do sétimo lugar no terceiro treino livre, foi o 16º e acabou eliminado.

Eliminados: Brendon Hartley (Toro Rosso), Marcus Ericsson (Sauber), Lance Stroll (Williams), Kevin Magnussen (Haas) e Max Verstappen (Red Bull Racing).

Q2

Logo no começo do Q2, Daniel Ricciardo continuou seu domínio em Mônaco ao fazer a melhor volta da história da pista até aquele momento, com o incrível tempo de 1m11s353! No entanto, Vettel também melhorou bastante e ficou apenas 0s165 atrás, o que fazia prever uma disputa mais acirrada pela pole position.

De novo a Mercedes enfrentou dificuldades com o tráfego e estava com seus dois carros fora do top 10 faltando cinco minutos para o fim do Q2. Mas Hamilton conseguiu encaixar uma volta suficiente para colocá-lo em terceiro, enquanto Bottas subiu para quinto, atrás de Raikkonen. O Homem de Gelo ainda melhorou e subiu para segundo, enquanto Ricciardo melhorou mais ainda o seu tempo para 1m11s278.

Destaque ainda para a Force India, que levou Esteban Ocon (sexto) e Sergio Perez (sétimo) de novo ao Q3, enquanto Fernando Alonso também avançou, assim como Carlos Sainz e Pierre Gasly, que deixou Nico Hulkenberg fora por apenas 0s098.

Eliminados: Nico Hülkenberg (Renault), Stoffel Vandoorne (McLaren), Sergey Sirotkin (Williams), Charles Leclerc (Sauber) e Romain Grosjean (Haas).

Q3

Quem previa um Q3 mais disputado ficou decepcionado de cara. Daniel Ricciardo voltou a quebrar o recorde extraoficial da pista logo na sua primeira tentativa no Q3. O australiano se tornou o primeiro piloto da história a baixar da casa de 1m11 ao cravar 1m10s810, deixando seu mais direto perseguidor naquele momento, Lewis Hamilton, a 0s451.

Com uma boa volta, Sebastian Vettel garantiu seu lugar na primeira fila ao cravar 1m11s039, enquanto Hamilton, apesar de ter melhorado seu próprio tempo, não passou da terceira posição. Ricciardo chegou a fazer uma última tentativa e ficou a apenas 0s036 do próprio tempo, comprovando o domínio avassalador da RBR no Principado.

Grid de Largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pouco antes da largada, a Williams se atrapalhou e cometeu uma irregularidade e erro ao não colocar os pneus no carro de Sergey Sirotkin no limite de três minutos para a volta de apresentação. O russo, que tinha largado em 13º, ficou ameaçado de sofrer punição pela direção de prova, o que acabou se confirmando com nove minutos de corrida. Sirotkin teve de cumprir um stop & go.

O início da prova foi razoavelmente tranquilo, com Daniel Ricciardo mantendo a dianteira sem muitos problemas. No extremo oposto do grid, Max Verstappen já ganhava as posições das Haas de Romain Grosjean e Kevin Magnussen e subia para 18º. O holandês veio com estratégia diferente da maioria dos seus oponentes e largou com os pneus ultramacios.

A pista estava seca em Mônaco, apesar da garoa que havia dado as caras na região do circuito cerca de uma hora antes da largada. O céu, contudo, estava nublado, e a chuva ainda seguia como ameaça durante a prova. Ricciardo controlava uma ligeira vantagem de 1s3 para Vettel após cinco voltas, com Hamilton vindo em terceiro, mas reclamando de um carro "muito lento". E Verstappen, no fim do pelotão, começava a abrir caminho ao passar também Marcus Ericsson.

Com 11 voltas de corrida, Lance Stroll tinha o pneu dianteiro esquerdo furado. O canadense logo foi aos boxes da Williams e fez a troca não apenas do pneu, mas também da asa dianteira. Péssimo começo de corrida para a Williams, belo início para Verstappen, que já ocupava a 14ª posição.

Uma volta depois, Hamilton mudou a estratégia e antecipou seu pit-stop, com a Mercedes calçando pneus ultramacios para ir até o fim. Lewis voltou em sexto, atrás de Esteban Ocon, mas conseguiu fazer a ultrapassagem sobre a Force India na saída do túnel. Na abertura da volta 17, foi a vez de Vettel fazer sua parada. Repetindo a Mercedes, a Ferrari também trocou os hipermacios pelos ultramacios no carro do tetracampeão do mundo.

Em seguida, foi a vez de Ricciardo parar para trocar os pneus. Diferente do que foi em 2016, desta vez a Red Bull não vacilou e fez um belo trabalho nos boxes. Daniel manteve a dianteira e tinha ultramacios para ir até o fim. No entanto, a equipe taurina estava no 'escuro', já que sequer chegou a andar com os pneus roxos no fim de semana.

Verstappen continuava crescendo na corrida e alcançava a zona de pontuação, ainda na esteira dos pit-stops dos adversários. Era um dos grandes nomes de uma corrida bastante morna e sem muitas manobras de ultrapassagem. Räikkönen e Valtteri Bottas, que vinha com estratégia diferente no seu segundo stint e estava com os pneus supermacios.

O australiano apontou perda de potência do motor Renault e permitiu a aproximação de Vettel. "Você tem problemas, sabemos o que é. Mantenha o foco", pedia a Red Bull a Daniel via rádio. E o australiano respondeu na pista, conseguindo se manter, na raça, à frente de Vettel.

As conversas no rádio de Ricciardo continuavam. "Vai dar para melhorar?", perguntou o piloto, que recebeu uma resposta negativa da equipe taurina. E a Ferrari informava Vettel que Daniel seguia com problemas. A diferença entre os dois era de pouco menos de 1s com 33 voltas completadas.

Pouco mais atrás, Pierre Gasly fazia brilhante corrida e esticava ao máximo seu stint com os pneus hipermacios até mais de metade da corrida para fazer o pit-stop quando estava em sexto lugar e ponhou os pneus os supermacios para ir até o fim. Quem se queixava dos pneus era Hamilton, mas a Mercedes viu que seu carro tinha ritmo até para chegar em Vettel e o manteve na pista. Com 44 voltas, os três primeiros estavam separados por cerca de apenas 3s.

Verstappen era o nono quando finalmente fez seu pit-stop, com a Red Bull trocando os ultramacios pelos pneus hipermacios. Assim, o único ainda com pit-stop pendente era Nico Hülkenberg, que aparecia em sexto com a Renault. Quando finalmente trocou pneus, o alemão voltou em décimo, que virou nono lugar depois que Fernando Alonso abandonou por conta de problemas no câmbio da sua McLaren. Foi a primeira vez na temporada que o bicampeão não completou uma prova.

Verstappen continuava dando show na pista e fazia espetacular ultrapassagem sobre o ex-colega de Toro Rosso Carlos Sainz, por fora, na chicane do Porto, ganhando a nona posição da prova. Max era um dos grandes nomes da disputa, assim como Esteban Ocon em sexto e Pierre Gasly logo atrás, na sétima posição. E Ricciardo, no braço, continuava à frente de Vettel com 18 voltas para o fim da corrida.

Além da briga pela ponta, com Vettel sempre perto de Ricciardo, a batalha pelo sétimo lugar também chamava a atenção, com Gasly liderando o pelotão à frente de Hülkenberg e Verstappen. Ocon também fazia bela prova e tinha melhor performance dos pneus, o bastante para fazê-lo encostar de vez em Bottas, que já não tinha o melhor rendimento com os supermacios.

Com seis voltas para o fim, Charles Leclerc, piloto da casa, perdeu o freio da sua Sauber na saída do túnel e não conseguiu evitar a pancada na traseira da Toro Rosso de Brendon Hartley. A direção de prova acionou o safety-car virtual para tentar limpar os detritos da pista espalhados, principalmente na saída da chicane do porto. O VSC durou pouco tempo e, tão logo a bandeira verde foi acionada novamente, Ricciardo abriu vantagem para Vettel — que cochilou na relargada — e partiu para uma vitória consagradora em Monte Carlo.

Resultado da corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[2]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Hiper Macio F1 tire Pirelli PZero Pink.svg Slick
(P Zero)
Seco Hypersoft Mais aderência Menos durável
Ultra Macio F1 tire Pirelli PZero Purple.svg Slick
(P Zero)
Seco Ultrasoft Médio Médio
Super Macio F1 tire Pirelli PZero Red.svg Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Médio Médio

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 1:12.013 1:11.278 1:10.810 1
2 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:12.415 1:11.518 1:11.039 2
3 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:12.460 1:11.584 1:11.232 3
4 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:12.639 1:11.391 1:11.266 4
5 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 1:12.434 1:12.002 1:11.441 5
6 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:13.028 1:12.188 1:12.061 6
7 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 1:12.657 1:12.269 1:12.110 7
8 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault 1:12.950 1:12.286 1:12.130 8
9 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:12.848 1:12.194 1:12.154 9
10 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 1:12.941 1:12.313 1:12.221 10
11 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 1:13.065 1:12.411 11
12 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 1:12.463 1:12.440 12
13 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams 1:12.706 1:12.521 13
14 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 1:12.829 1:12.714 14
15 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:12.930 1:12.728 181
16 28 Nova Zelândia Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 1:13.179 15
17 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:13.265 16
18 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 1:13.323 17
19 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:13.393 19
Tempo dos 107%: 1:17.054
20 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer S/Tempo 202
Fonte: [3]
Notas
  • ↑1  – Romain Grosjean recebeu uma penalidade de três posições por causar um acidente na volta de abertura do Grande Prêmio da Espanha.
  • ↑2  – Max Verstappen não obteve o seu tempo de volta no Q1, porém foi autorizado a largar e ainda recebeu punição de 15 posições (5 posições por ter mudado a caixa de câmbio não programada, mais 10 posições por uso de um terceiro MGU-K).[4]

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 78 1:42:54.807 1 25
2 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 78 +7.336s 2 18
3 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 78 +17.013s 3 15
4 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 78 +18.127s 4 12
5 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 78 +18.822s 5 10
6 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 78 +23.667s 6 8
7 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 78 +24.331s 10 6
8 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 78 +24.839s 11 4
9 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 78 +25.317s 20 2
10 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault 78 +69.013s 8 1
11 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 78 +69.864s 16
12 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 78 +70.461s 9
13 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 78 +74.823s 19
14 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 77 +1 volta 12
15 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 77 +1 volta 18
16 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 77 +1 volta 13
17 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 76 +2 voltas 17
181 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 70 Colisão 14
191 28 Nova Zelândia Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 70 Colisão 15
Ret 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 53 Câmbio 7
Fonte: [5]
Notas
  • ↑1  – Charles Leclerc e Brendon Hartley não finalizaram a prova mas obtiveram a classificação pois completaram mais de 90% do tempo total da corrida. Além disso, Brendon Hartley foi penalizado com 5 segundos a mais no seu tempo final de prova por ter passado acima do limite de velocidade nos boxes durante sua parada para troca de pneus. Com isso, Hartley perdeu a 18ª posição, apesar de ter abandonado a corrida à frente de Leclerc.

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

  • Foi utilizado pela primeira vez da fornecedora de pneus, Pirelli, o Hipermacio.
  • A equipe Red Bull Racing faz a sua corrida de número 250 na Fórmula 1.[6]

Voltas na Liderança[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
78 Austrália Daniel Ricciardo 1-78

2018 DHL Fastest Pit Stop Award[editar | editar código-fonte]

Resultado[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 2.21 25
2 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 2.38 18
3 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 2.38 15
4 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 2.39 12
5 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 2.48 10
6 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 2.59 8
7 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 2.65 6
8 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 2.65 4
9 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 2.70 2
10 28 Nova Zelândia Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 2.83 1
Fonte: [7]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 Grand Prix de Monaco 2018» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Pirelli announces compound choices and mandatory sets for the 2018 Monaco Grand Prix» (em inglês). news.pirelli.com 
  3. «Formula 1 Grand Prix de Monaco 2018 – Qualifying». Formula1.com. Formula One World Championship Limited. 26 de maio de 2018. Consultado em 28 de maio de 2018 
  4. Coch, Mat (26 de maio de 2018). «Grosjean penalised for Spanish GP shunt». speedcafe.com. Consultado em 14 de maio de 2018 
  5. «Formula 1 Grand Prix de Monaco 2018 – Race Result». Formula1.com. Formula One World Championship Limited. 27 de maio de 2018. Consultado em 27 de maio de 2018 
  6. Sabino, Fred (27 de Maio de 2018). «As 250 corridas da RBR na F1 relembradas em dez momentos marcantes». Globoesporte.com. Consultado em 27 de Maio de 2018 
  7. «2018 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Prova Anterior:
GP da Espanha de 2018
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2018
Próxima Prova:
GP do Canadá de 2018

Prova Anterior:
GP de Mônaco de 2017
Grande Prêmio de Mônaco Próxima Prova:
GP de Mônaco de 2019