Grande Prêmio do Bahrein de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Prêmio do Bahrein de F-1 2016
Bahrain International Circuit--Grand Prix Layout.svg
Grande Prêmio do Bahrein de 2016.
Detalhes da corrida
Data 03 de abril de 2016
Nome oficial 2016 Formula 1 Gulf Air Bahrain Grand Prix
Local Circuito Internacional de Bahrein, Sakhir, Bahrein
Percurso 5 412 km
Total 57 voltas / 308 238 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:29.493
Volta mais rápida
Piloto
Alemanha Nico Rosberg Mercedes
Tempo 1:34.482 (na volta 41)
Pódio
Primeiro
Alemanha Nico Rosberg Mercedes
Segundo
Finlândia Kimi Raikkonen Ferrari
Terceiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes

Grande Prêmio do Bahrein de 2016 (formalmente denominado 2016 Formula 1 Gulf Air Bahrain Grand Prix) foi a segunda etapa da temporada de 2016 da Fórmula 1. Foi disputado no dia 03 de abril de 2016 no Circuito Internacional de Bahrein.[1]

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Sistema de Classificação

O novo sistema de classificação utilizado no grande prêmio anterior não agradou. O formato elimina progressivamente os pilotos durante as sessões, em vez de isso ocorrer no final de cada uma. As eliminações do último colocado acontecem a cada 90 segundos após sete minutos de treino no Q1, seis no Q2 e cinco no Q3.[2][3] O modelo novo foi criticado por Bernie Ecclestone que classificou como “uma porcaria”. Lewis Hamilton afirmou que “disse desde o começo que não era o caminho certo”. Sebastian Vettel disse “acreditar que a torcida prefere ver duelo entre os melhores no final”.[2][3]

Em reunião no domingo, 20 de março, pouco antes da corrida, as escuderia concordaram de forma unânime em voltar ao modelo antigo. A decisão ainda precisa ser aprovada pelo Grupo Estratégico da F1 e pela Federação Internacional de Automobilismo.[4][5] Já na semana da corrida no Bahrein, houve nova reunião, onde a ideia inicial das equipes era abolir o novo sistema, mas a decisão final foi por mantê-lo inalterado, já que não houve unanimidade na Comissão da F1. Red Bull e McLaren não quiseram um formato híbrido, com o Q1 e Q2 seguindo eliminatórios e o Q3 voltando a ser como nos últimos dez anos.[6]

Stoffel Vandoorne foi substituto de Fernando Alonso no Grande Prêmio do Bahrein.
Substituição na McLaren

Fernando Alonso, que sofreu grave acidente na corrida anterior, foi vetado pelos médicos da Federação Internacional de Automobilismo, e não corre no Bahrein. Ele sofreu fraturas nas costelas, em decorrência do acidente sofrido na Austrália. O espanhol foi substituído Stoffel Vandoorne, campeão da GP2 Series na temporada do ano anterior.[7][8]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

Assim como em Melbourne, o Q1 foi emocionante e com pista cheia. Felipe Nasr foi a primeira vítima a ser eliminada, além de não contar com um bom carro, o brasileiro ainda errou em sua tentativa de volta rápida e deixou a sessão logo de cara. Na sequência, foram eliminados Rio Haryanto (Manor), Jolyon Palmer (Renault) e Kevin Magnussen (Renault). A surpresa negativa foi a queda precoce de Sergio Pérez, com a Force India, em 18º. Já o destaque positivo ficou por conta de Pascal Wehrlein (Manor).[9] Aposta da Mercedes para o futuro, o jovem alemão da pequena Manor foi salvando o pescoço, sendo somente o último a ser cortado do Q1, ficando com o 16º lugar. Destaque também para os carros da Haas, com Romain Grosjean e Esteban Gutiérrez avançando com tranquilidade em 11º e 13º. Rosberg terminou com o melhor tempo da primeira parte do treino.[10]

Q2

Já o Q2 foi marcado por poucos carros na pista. O primeiro eliminado do Q2 foi Daniil Kvyat. O próximo da fila foi Jenson Button, que caiu duas posições antes de seu companheiro de McLaren nesta prova, o estreante Stoffel Vandoorne[9] (12º), substituto de Fernando Alonso, vetado pela equipe médica da FIA. Logo depois, foram cortados os jovens da STR, Carlos Sainz Jr. e Max Verstappen. A dupla da Haas também ficou pelo caminho: Gutiérrez em 13º, e Grosjean em 9º.[9] Hamilton ditou o ritmo e fez o melhor tempo da segunda parte da sessão.[10]

Q3

O Q3 também teve pouca movimentação na pista, mas foi um pouco mais emocionante que a disputa na Austrália, graças a uma segunda tentativa de Lewis Hamilton. Nos primeiros minutos do Q3, Nico Rosberg se tornou o primeiro do fim de semana a baixar da casa do 1m30s, anotando 1m29s897 e saindo na frente, acompanhado de Vettel, Raikkonen e Hamilton, que escapou na última curva em sua volta. Em oitavo, Nico Hulkenberg foi o primeiro a ser eliminado no Q3. Na sequência, caíram Massa, Bottas e Ricciardo, que sequer fizeram outras tentativas e já se encontravam nos boxes. As Mercedes e Ferraris, porém, voltaram para a pista nos minutos finais. E Hamilton se recuperou do erro, cravou 1m29s493 e assumiu a ponta. Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel não melhoraram suas marcas e foram eliminados. Restava saber se Rosberg ainda faria mais uma tentativa. O alemão, porém, tirou o pé, e a pole ficou mesmo com Hamilton, segunda pole position na temporada e a 51ª pole na carreira.[9][10]

Resultado do treino classificatório

Corrida[editar | editar código-fonte]

Para Vettel, a corrida acabou antes mesmo de começar. Logo na volta de apresentação, o motor de sua Ferrari estourou e ele teve que abandonar. Azar do alemão, que perdeu a chance de mais uma vez dar o bote no pole Hamilton. Em uma largada caótica, Rosberg arrancou melhor que o inglês e assumiu a ponta. A dupla da Williams também tracionou bem e deixou Ricciardo e Raikkonen para trás. Ao dividir a primeira curva com Hamilton, porém, Bottas acabou dando no meio do inglês, que rodou e ficou atravessado na pista, caindo para sétimo. Quem aproveitou a confusão foi Massa, que pulou para segundo. Ao fim da primeira volta a classificação era: Rosberg, Massa, Bottas, Raikkonen, Ricciardo, Grosjean e Hamilton.

Lá atrás, muito tumulto também. Quem se deu mal foram os pilotos da Force India, Nico Hulkenberg e Sergio Pérez se envolveram em incidentes nas voltas iniciais e tiveram que parar nos boxes. Antes mesmo da 10ª volta, Ricciardo, Massa e Bottas abriram os trabalhos nos boxes. Diferentemente dos demais, que trocaram os supermacios pelos macios, o brasileiro colocou um jogo de pneus médios e retornou em nono. Enquanto isso, Palmer, Button e Gutiérrez abandonavam a prova com problemas mecânicos.

Na 13ª volta, Raikkonen fez seu pit stop e voltou bem atrás de Massa, que acabara de ser ultrapassado por Ricciardo. Rosberg e Hamilton foram aos boxes nas voltas seguintes, adotando táticas diferentes, macios contra médios. Com pneus mais novos, o Homem de Gelo abriu caminho rapidamente, passando Massa, Ricciardo e Kvyat (que não havia parado ainda) e subiu para segundo. A classificação após a primeira rodada de pit stops era: Rosberg, Raikkonen, Ricciardo, Hamilton e Massa. Com pneus médios, contra supermacios de Grosjean, o brasileiro acabou sendo ultrapassado pelo francês da Haas. Na sequência, perdeu o sexto lugar para Verstappen (macios). Com 18 voltas, Kvyat, enfim, fez seu primeiro pit stop e caiu para 13º. Com isso, Felipe Nasr entrou pela primeira vez na zona de pontuação, em décimo. Mas saiu rapidamente, ao ser passado pelo parceiro de Sauber, Ericsson. Mostrando o potencial da Haas, Grosjean partiu para cima de Ricciardo e tomou a quarta posição do australiano da RBR. Na frente do francês havia apenas Rosberg, Raikkonen e Hamilton. Na segunda rodada de pit stops, Rosberg, Raikkonen e Hamilton, os três primeiros colocados, optaram por pneus supermacios. Grosjean, em sexto, também. Em quarto, Ricciardo preferiu os macios. Já Massa, em décimo, colocou médios novamente. Depois de todos pararem nos boxes, a classificação era: Rosberg líder, a 9s de Raikkonen. Hamilton aparecia em terceiro, seguido de Ricciardo, Grosjean, Verstappen e Massa. Nasr era o 15º. No terço final da corrida, Rosberg, Raikkonen e Hamilton fizeram seus terceiros e últimos pit stops, colocando, todos eles, pneus macios. O alemão voltou 5s à frente de Raikkonen, que, por sua vez, tinha 16s de diferença para Hamilton. Com uma estratégia de uma parada a menos, Massa aparecia em sexto, atrás também de Verstappen e Ricciardo. Os três de pneus médios.

Com pneus macios, Grosjean chegou em Massa e passou o brasileiro e subiu para sexto. Ambos ganharam uma colocação com o terceiro pit stop de Verstappen, mas o holandês da STR, com pneus novos, conseguiu retomar a posição de Massa, que caiu para sétimo. Já na frente, nas voltas finais, Rosberg abria vantagem sobre Raikkonen, para uma vitória tranquila. Já o finlandês administrava a diferença sobre Hamilton para assegurar o segundo lugar. Já Massa, com pneus desgastados, não resistiu à pressão de Kvyat, e acabou perdendo o sétimo lugar para o russo na volta final.

O destaque positivo, novamente, ficou por conta de Romain Grosjean, da Haas. O francês deu show de ultrapassagens e chegou em quinto, mostrando que o sexto lugar na estreia da equipe na Fórmula 1 não havia sido por acaso. Menção honrosa a Stoffel Vandoorne que substituiu Fernando Alonso, vetado pelos médicos da FIA, o belga chegou em décimo e pontuou em sua primeira corrida na categoria.[11]

Resultado da corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Compostos de Pneus fornecidos pela Pirelli para a Temporada de 2016 da Fórmula 1[12]
Nome do Composto Cor Banda de Rolamento Condições de Condução Dry Type Aderência Longevidade
Super Macio Neumático F1 Súper blando.png Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio Neumático F1 Blando.png Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Médio Neumático F1 Medio.png Slick
(P Zero)
Seco Medium Médio Médio

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:31.391 1:30.039 1:29.493 1
2 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:31.325 1:30.535 1:29.570 2
3 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:31.636 1:30.409 1:30.012 3
4 7 Finlândia Kimi Raikkonen Ferrari 1:31.685 1:30.559 1:30.244 4
5 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:31.403 1:31.122 1:30.854 5
6 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 1:31.672 1:30.931 1:30.931 6
7 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 1:32.045 1:31.374 1:31.155 7
8 27 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 1:31.987 1:31.604 1:31.604 8
9 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:32.005 1:31.756 9
10 33 Países Baixos Max Verstappen Toro Rosso-Ferrari 1:31.888 1:31.772 10
11 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 1:31.716 1:31.816 11
12 14 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 1:32.472 1:31.934 12
13 21 México Esteban Gutierrez Haas-Ferrari 1:32.118 1:31.945 13
14 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 1:31.976 1:31.998 14
15 26 Rússia Daniil Kvyat Red Bull-TAG Heuer 1:32.559 1:32.241 15
16 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 1:32.806 16
17 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:32.840 17
18 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:32.911 18
19 30 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 1:33.181 PL 1
20 20 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 1:33.438 19
21 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 1:34.190 20
22 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 1:34.388 21
Tempo dos 107%: 1:37.717
Fonte:[13][14]
Notas

↑1 - Kevin Magnussen (Renault) foi punido por ignora o pedido de pesagem de seu carro no segundo treino livre desta sexta-feira e vai largar dos boxes na corrida.[15]

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 57 1:33:34.696 2 25
2 7 Finlândia Kimi Raikkonen Ferrari 57 +10.282 4 18
3 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 57 +30.148 1 15
4 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 57 +1:02.494 5 12
5 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 57 +1:18.299 9 10
6 33 Países Baixos Max Verstappen Toro Rosso-Ferrari 57 +1:20.929 10 8
7 26 Rússia Daniil Kvyat Red Bull-TAG Heuer 56 +1 volta 15 6
8 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 56 +1 volta 7 4
9 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 56 +1 volta 6 2
10 14 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 56 +1 volta 12 1
11 30 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 56 +1 volta PL
12 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 56 +1 volta 17
13 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 56 +1 volta 16
14 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 56 +1 volta 21
15 27 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 56 +1 volta 8
16 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 56 +1 volta 18
17 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 56 +1 volta 20
Ret 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 29 Danos da Colisão 11
Ret 21 México Esteban Gutierrez Haas-Ferrari 9 Freio 13
Ret 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 6 Unidade de Potência 14
NL 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 0 Motor 3
NL 20 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 0 Hidráulica 19
Fonte:[16][17]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «2016 Formula 1 Gulf Air Bahrain Grand Prix» (em inglês). Formula 1.com 
  2. a b «Novo formato de treinos na F1 é bombardeado de críticas e pode mudar» (html). Jornal do Comércio. 19 de março de 2016. Consultado em 23 de março de 2016 
  3. a b «Ecclestone diz que formato de classificação da F1 pode mudar para GP do Bahrein» (html). globo.com. 19 de março de 2016. Consultado em 23 de março de 2016 
  4. «Por unanimidade, equipes decidem abandonar novo modelo classificatório». Rádio Grande FM 92,1. 20 de março de 2016. Consultado em 23 de março de 2016 
  5. «F1 acaba com novo formato de treinos classificatórios» (html). UOL Esporte. 20 de março de 2016. Consultado em 23 de março de 2016 
  6. Giovanni Romão (2 de abril de 2016). «Ecclestone expõe insatisfação com a classificação e faz proposta até de lastro». F1Mania. Consultado em 2 de abril de 2016 
  7. «Fora no Bahrein, Alonso diz que sofreu fraturas nas costelas após acidente» (html). O Dia. 31 de março de 2016. Consultado em 2 de abril de 2016 
  8. Jonathan Noble (2 de abril de 2016). «FIA rejeita pedido da McLaren para Alonso correr GP». Motorsport. Consultado em 2 de abril de 2016 
  9. a b c d «Time e pilotos novatos roubam a cena no GP do Bahrein» (html). UOL. 2 de abril de 2016. Consultado em 3 de abril de 2016 
  10. a b c «Hamilton garante a pole em treino morno para o GP do Bahrein» (html). Zero Hora. 2 de abril de 2016. Consultado em 2 de abril de 2016 
  11. «Nico Rosberg foge de confusões no Bahrein e chega à 2ª vitória em 2016». Globoesporte.com. 3 de abril de 2016 
  12. «Pirelli confirm supersoft tyres for Bahrain and China '16» (em inglês). Formula 1.com. 17 de dezembro de 2015 
  13. «Qualifying - Hamilton pips Rosberg for Bahrain pole» (em inglês). Formula 1. Consultado em 2 de abril de 2016 
  14. «Qualifying - Bahrain» (em inglês). Formula 1. Consultado em 2 de abril de 2016 
  15. «Magnussen to start race from pit lane» (em inglês). Formula 1. Consultado em 1 de abril de 2016 
  16. «Rosberg makes it five in a row after dramatic Bahrain race» (em inglês). Formula1.com. 3 de abril de 2016 
  17. «2016 Formula 1 Gulf Air Bahrain Grand Prix» (em inglês). Formula1.com. 3 de abril de 2016 
Prova Anterior:
GP da Austrália de 2016
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2016
Próxima Prova:
GP da China de 2016

Prova Anterior:
GP do Bahrein de 2015
Grande Prêmio do Bahrein Próxima Prova:
GP do Bahrein de 2017