Grande Prêmio do Brasil de 2003

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio do Brasil
de Fórmula 1 de 2003
Autódromo José Carlos Pace (AKA Interlagos) track map.svg
22º GP do Brasil realizado em Interlagos
Detalhes da corrida
Data 6 de abril de 2003
Nome oficial XXXII Grande Prêmio do Brasil
Local Autódromo de Interlagos, São Paulo, São Paulo, Brasil
Total 54 voltas / 232.686 km
Condições do tempo Chuvoso
Pole
Piloto
Brasil Rubens Barrichello Ferrari
Tempo 1:13.807
Volta mais rápida
Piloto
Brasil Rubens Barrichello Ferrari
Tempo 1:22.032 (na volta 46)
Pódio
Primeiro
Itália Giancarlo Fisichella Jordan-Ford
Segundo
Finlândia Kimi Räikkönen McLaren-Mercedes
Terceiro
Espanha Fernando Alonso Renault

Resultados do Grande Prêmio do Brasil realizado em Interlagos à 6 de abril de 2003. Terceira etapa da temporada, passou à história como a septingentésima corrida da categoria[1] e teve como vencedor o italiano Giancarlo Fisichella.[2][nota 1]

Resumo[editar | editar código-fonte]

A chuva começou no início do dia e a largada teve que ser feita com o Safety Car na pista e, depois de 7 voltas, a corrida é normalizada. David Coulthard assumiu a primeira posição logo na primeira curva, Nick Heidfeld abandonou com problemas de motor, e na volta 16 Justin Wilson abandonou com os mesmos problemas de Heidfeld.

Na volta 18, a suspensão de Ralph Firman se quebra e ele atinge Olivier Panis causando nova entrada do Safety Car. Na 25, Antônio Pizzonia bate na Curva do Sol juntamente com Juan Pablo Montoya, e duas voltas depois Michael Schumacher bate no mesmo lugar.

Na volta 33 Jenson Button também bate na Curva do Sol. 12 voltas depois, Rubens Barrichello ultrapassa Coulthard e assume a liderança para delírio do público presente, porém ele abandona com uma pane seca na volta 47.

Na volta 54, Mark Webber bate muito forte na Curva do Café, causando a entrada do Safety Car, mas Fernando Alonso bate no mesmo ponto ao atingir um dos pneus do carro do australiano. Depois do acidente foi agitada a bandeira vermelha, e a prova foi encerrada. O vencedor do momento, ao contrário do que todos imaginaram, foi Kimi Raikkonen, que ocupava a liderança na volta 53. Giancarlo Fisichella o havia ultrapassado na volta 54, mas pelo regulamento o resultado final teria de ser o de duas voltas anteriores à que foi sinalizada a bandeira vermelha. Os fiscais declararam que a bandeira foi sinalizada na volta 55, portanto tornando oficiais os resultados de acordo com o fechamento da volta 53. Porém, alguns dias após a corrida, evidências em vídeo foram obtidas mostrando que Fisichella havia, de fato, aberto a volta 56 antes do sinal de interrupção da corrida, fazendo com que o resultado real da prova fosse o do fechamento da volta 54, com o piloto da Jordan na liderança. Após as evidências serem encaminhadas à FIA, Fisichella foi oficialmente reconhecido como vencedor no dia 11 de abril. Depois de duas semanas, no GP de San Marino, em uma cerimônia não-oficial, Raikkonen entregou o troféu de 1° colocado para o piloto da equipe irlandesa.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Grid de largada[editar | editar código-fonte]

Pos No Piloto Construtor Tempo Ordem
de
Entrada
1 2 Brasil Rubens Barrichello Ferrari 1:13.807 19º
2 5 Reino Unido David Coulthard McLaren-Mercedes 1:13.818 17º
3 14 Austrália Mark Webber Jaguar-Cosworth 1:13.851 20º
4 6 Finlândia Kimi Räikkönen McLaren-Mercedes 1:13.866 18º
5 7 Itália Jarno Trulli Renault 1:13.953
6 4 Alemanha Ralf Schumacher Williams-BMW 1:14.124
7 1 Alemanha Michael Schumacher Ferrari 1:14.130 16º
8 11 Itália Giancarlo Fisichella Jordan-Ford 1:14.191
9 3 Colômbia Juan Pablo Montoya Williams-BMW 1:14.223
10 8 Espanha Fernando Alonso Renault 1:14.384 12º
11 17 Reino Unido Jenson Button BAR-Honda 1:14.504
12 9 Alemanha Nick Heidfeld Sauber-Petronas 1:14.631
13 16 Canadá Jacques Villeneuve BAR-Honda 1:14.668 14º
14 10 Alemanha Heinz-Harald Frentzen Sauber-Petronas 11º
15 20 França Olivier Panis Toyota 1:14.839 15º
16 12 República da Irlanda Ralph Firman Jordan-Ford 1:15.240
17 15 Brasil Antonio Pizzonia Jaguar-Cosworth 1:15.317 13º
18 21 Brasil Cristiano da Matta Toyota 1:15.641 10º
19 19 Países Baixos Jos Verstappen Minardi-Cosworth 1:16.542
20 18 Reino Unido Justin Wilson Minardi-Cosworth 1:16.586

Classificação da prova[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 11 Itália Giancarlo Fisichella Jordan-Ford 54 1:31:18.2 8 10
2 6 Finlândia Kimi Räikkönen McLaren-Mercedes 54 + 0.945 4 8
3 8 Espanha Fernando Alonso Renault 54 + 6.348 10 6
4 5 Reino Unido David Coulthard McLaren-Mercedes 54 + 8.096 2 5
5 10 Alemanha Heinz-Harald Frentzen Sauber-Petronas 54 + 8.642 14 4
6 16 Canadá Jacques Villeneuve BAR-Honda 54 + 16.054 13 3
7 4 Alemanha Ralf Schumacher Williams-BMW 54 + 38.526 6 2
8 7 Itália Jarno Trulli Renault 54 + 45.927 5 1
9 14 Austrália Mark Webber Jaguar-Cosworth 53 Acidente 3
10 21 Brasil Cristiano da Matta Toyota 53 + 1 volta 18
Ret 2 Brasil Rubens Barrichello Ferrari 47 Pane seca 1
Ret 17 Reino Unido Jenson Button BAR-Honda 33 Acidente 11
Ret 19 Países Baixos Jos Verstappen Minardi-Cosworth 31 Rodada 19
Ret 1 Alemanha Michael Schumacher Ferrari 27 Acidente 7
Ret 3 Colômbia Juan Pablo Montoya Williams-BMW 25 Acidente 9
Ret 15 Brasil Antônio Pizzonia Jaguar-Cosworth 25 Acidente 17
Ret 20 França Olivier Panis Toyota 18 Colisão 15
Ret 12 República da Irlanda Ralph Firman Jordan-Ford 18 Suspensão 16
Ret 18 Reino Unido Justin Wilson Minardi-Cosworth 16 Rodada 20
Ret 9 Alemanha Nick Heidfeld Sauber-Petronas 8 Motor 12

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas.

Trívia[editar | editar código-fonte]

  • 5ª pole de Rubens Barrichello pela Ferrari e a primeira no Brasil.
  • Primeira vitória de Giancarlo Fisichella. O italiano venceu de fato a corrida, mas um erro na cronometragem declarou Kimi Räikkönen como vencedor da mesma. Mas Fisico já havia aberto a volta 56, quando tinha ultrapassado o "Homem de Gelo". Após evidências serem encaminhadas à FIA, Fisichella foi oficialmente reconhecido como vencedor cinco dias após a etapa brasileira. Na semana do GP de San Marino, em uma cerimônia não-oficial, Räikkonen entregou o troféu de vencedor para Fisichella.
  • Última vitória da equipe Jordan na categoria.
  • Foi também a última vitória de um carro com motor Ford na Fórmula 1.
  • Única corrida que Michael Schumacher não completou na temporada.
  • Michael Schumacher e Rubens Barrichello não terminaram a prova. A última vez que os carros da equipe Ferrari não terminaram uma prova foi no Grande Prêmio da Bélgica de 1998.
  • Mark Webber, mesmo tendo batido na Curva do Café, foi classificado em nono lugar. O piloto sofreu o acidente logo antes de completar sua 54ª volta, terminando oficialmente, portanto, com 53 completas, uma volta atrás das 54 oficiais, mas sendo suficiente para ainda terminar a frente de Cristiano da Matta, que já estava uma volta atrasado.
  • Fernando Alonso, apesar de ter batido no mesmo lugar onde Webber destruiu o carro, terminou em terceiro, por valerem os resultados de acordo com a volta 54. O piloto, porém, foi incapaz de subir ao pódio, pois a violência da batida o deixou sob cuidados médicos. Com isso, o pódio, inusitadamente, teve a presença de apenas 2 pilotos.
  • O apresentador e piloto Otávio Mesquita comprou o veículo vencedor deste GP e o tem exposto em sua coleção privada.

Notas

  1. Voltas na liderança: Rubens Barrichello 10 voltas (1-8; 45-46), David Coulthard 26 voltas (9-10; 27-44; 47-52), Kimi Räikkönen 17 voltas (11-26; 53), Giancarlo Fisichella 1 volta (54).

Referências

Precedido por
Grande Prêmio da Malásia de 2003
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 2003
Sucedido por
Grande Prêmio de San Marino de 2003
Precedido por
Grande Prêmio do Brasil de 2002
Grande Prêmio do Brasil
32ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio do Brasil de 2004