Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Grande Prêmio do Cinema Brasileiro
19ª Edição
Data 11 de outubro de 2020
Organização Academia Brasileira de Cinema
Local Theatro Municipal de São Paulo
São Paulo, São Paulo
País  Brasil
Destaques
Maior número de prêmios Bacurau (6)
Maior número de indicações Bacurau (17)
Melhor Longa-Metragem de Ficção Bacurau
Cobertura televisiva
Estação TV Cultura
Duração TBA
Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019
Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2021

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2020 é a décima nona edição do Grande Otelo, organizada pela Academia Brasileira de Cinema com o patrocínio da TV Globo e da Sabesp, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura. O evento será realizado no Theatro Municipal de São Paulo, no dia 11 de outubro e premiará os profissionais e filmes lançados comercialmente no ano de 2019. Pela segunda vez o evento é realizado na capital paulista após 17 edições no Rio de Janeiro.[1]

Vencedores e indicados[editar | editar código-fonte]

Os nomeados para a 19ª edição foram anunciados na página oficial da Academia em 27 de agosto de 2020.[2] Os vencedores estão em negrito.[3]

Melhor Longa-Metragem de Ficção Melhor Direção
  • BacurauEmilie Natacha Lesclaux, produtora
Melhor Atriz Melhor Ator
Melhor Atriz Coadjuvante Melhor Ator Coadjuvante
Melhor Roteiro Original Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Longa-Metragem Comédia Melhor Longa-Metragem Documentário
Melhor Longa-Metragem Animação Melhor Longa-Metragem Infantil
  • Tito e os Pássaros
    • A Cidade dos Piratas
    • A Princesa de Elymia
Melhor Direção de Fotografia Melhor Primeira Direção de Longa-Metragem
  • Leonardo Domingues – Simonal
    • Alexandre Moratto – Sócrates
    • Armando Praça – Greta
    • Claudia Castro – Ela Disse, Ele Disse
    • Dennison Ramalho – Morto Não Fala
Melhor Direção de Arte Melhor Efeito Visual
Melhor Figurino Melhor Maquiagem
Melhor Montagem Ficção Melhor Montagem Documentário
Melhor Som Melhor Trilha Sonora
  • Simonal – Marcel Costa, Alessandro Laroca, Eduardo Virmond, Armando Torres Jr., ABC e Renan Deodato
    • Kardec – Evandro Lima, Tomás Alem, Bernardo Uzeda, Rodrigo Noronha e Gustavo Loureiro
    • Turma da Mônica – Laços – Jorge Rezende, Miriam Biderman, ABC, Toco Cerqueira e Reilly Steele
    • A Vida Invisível – Laura Zimmerman, Waldir Xavier e Björn Wiese
    • Bacurau – Nicolas Hallet, Ricardo Cutz e Cyril Holtz
Melhor Longa-Metragem Internacional Melhor Longa-Metragem Ibero-Americano
Melhor Curta-Metragem Documentário Melhor Curta-Metragem Animação
  • Viva Alfredinho! – Roberto Berliner
    • Amnestia – Susanna Lira
    • Extratos – Sinai Sganzerla
    • Fartura – Yasmin Thayná
    • Olhos D'água (TuãIngugu) – Daniela Thomas
  • Ressurreição – Otto Guerra
    • Apneia – Carol Sakura e Walkir Fernandes
    • Céu da Boca – Amanda Treze
    • Poética de Barro – Giuliana Danza
    • Só Sei Que Foi Assim – Giovanna Muzel
Melhor Curta-Metragem Ficção Melhor Série Animação (TV Paga / OTT)
  • Sem Asas – Renata Martins
    • Alfazema – Sabrina Fidalgo
    • Angela – Marília Nogueira
    • Baile – Cíntia Domit Bittar
    • – Ana Flavia Cavalcanti e Julia Zakia
Melhor Série Documentário (TV Paga / OTT) Melhor Série Ficção (TV Paga / OTT)
  • Quebrando o Tabu2ª temporada (GNT)
    • #OFuturoÉFeminino1ª temporada (GNT)
    • 1968 - O Despertar1ª temporada (Canal Curta)
    • Bandidos na TV1ª temporada (Netflix)
    • Diálogo Sobre o Cinema1ª temporada (Cine Brasil TV)
Melhor Série Ficção (TV Aberta)

Votos Populares[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Longa-Metragem Ficção:
  • Melhor Longa-Metragem Documentário:
  • Melhor Longa-Metragem Estrangeiro:
  • Melhor Longa-Metragem Ibero-Americano:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências