Grande Satã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Grande Satã (em persa: شيطان بزرگ; Shaytân-e Bozorg) é um epíteto depreciativo para os Estados Unidos da América em algumas declarações de política externa iraniana.[1]

O termo foi originalmente utilizado pelo líder iraniano Ruhollah Khomeini[1] em seu discurso em 5 de novembro de 1979 para descrever os Estados Unidos, o qual acusou de imperialismo e o patrocínio da corrupção em todo o mundo.[2] O discurso ocorreu um dia depois do início da crise de reféns no Irã.

O Aiatolá Khomeini ocasionalmente também usou o termo "Iblis" (o principal demônio no Islã)[1] para se referir aos Estados Unidos e outros países ocidentais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Hamid Dabashi (20 de setembro de 2015). «Who is the 'Great Satan'?». Al Jazeera English 
  2. Khomeini, Ruhollah (5 de novembro de 1979). «American plots against Iran». Imam's Sahifeh. Qum. pp. 344–348. Cópia arquivada em 22 de maio de 2016. In this revolution, the Great Satan is America that gathers around other devils blatantly…If we see the US, this great Satan, raising chain and bringing the devils together around him, it is because the US grip over our country and our resources curtailed. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]