Grande Sinagoga de Roma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Sinagoga de Roma
Vista da Sinagoga
Arquiteto Vincenzo Costa, Osvaldo Armanni
Fim da construção 1904
Religião Judaísmo Ortodoxo
Geografia
País Itália
Região Roma
Local Rione Sant'Angelo
Coordenadas 41° 53' 31.57" N 12° 28' 40.81" E

A Grande Sinagoga de Roma ou Tempio Maggiore di Roma é a maior sinagoga de Roma, localizada no rione Sant'Angelo.

História[editar | editar código-fonte]

A comunidade judaica de Roma remonta ao século II a.C., quando a República Romana fez uma espécie de aliança com a Judeia, que, na época, estava sob o controle de Judas Macabeu. O número de judeus na cidade aumentou nos séculos seguintes por causa do incremento do comércio marítimo pelo Mediterrâneo e do grande número de judeus levados a Roma como escravos depois das guerras judaico-romanas na Judeia entre 63 e 135 d.C.[1]

A moderna sinagoga foi construída logo depois da unificação da Itália, em 1870, quando o Reino da Itália capturou Roma e os Estados Papais deixaram de existir. O Gueto de Roma foi demolido e os judeus ganharam cidadania italiana. O edifício que antes abrigava a sinagoga do gueto, uma estrutura complexa, foi demolido e a comunidade começou a planejar um novo e impressionante templo.[2]

Placas comemorativas estão afixadas no edifício para homenagear as vítimas judias da Alemanha Nazista e do ataque da OLP em 1982.

Em 13 de abril de 1986, o papa João Paulo II visitou inesperadamente a Grande Sinagoga, um evento que marcou a primeira visita conhecida de um papa a uma sinagoga desde os primeiros anos da Igreja Católica Romana. Ele rezou com o rabino Elio Toaff, o antigo rabino-chefe de Roma[2][3]. Este evento foi interpretado como uma tentativa de melhorar as relações entre o catolicismo e o judaísmo e como parte do programa do papa de melhorar as relações com os judeus. Em 2010, o rabino Riccardo Di Segni recebeu o papa Bento XVI.[4]

A Grande Sinagoga comemorou seu centenário em 2004. Além de templo, ela é também um centro cultural e organizacional para a comunidade judaica de Roma, abrigando o escritório do rabino-chefe e também o Museu Judaico de Roma.[2][5]

Projeto[editar | editar código-fonte]

Projetada por Vincenzo Costa e Osvaldo Armanni, a sinagoga foi construída entre 1901 e 1904 na margem do rio Tibre, perto do antigo gueto. O estilo eclético do edifício faz com que ele se destaque, mesmo numa cidade repleta de edifícios e estruturas notáveis.[2] O atrativo projeto foi uma escolha deliberada da comunidade da época, que queria que o edifício fosse uma celebração de sua liberdade visível de muitos lugares na cidade. A cúpula de alumínio é a única quadrangular da cidade e torna o edifício facilmente reconhecível.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Temple Israel - Jewish & Italian» (em inglês). © 2002-2007, ‘It Won't Byte’ Web Design & Hosting. Consultado em 27 de outubro de 2008 
  2. a b c d «"Great Synagogue, Rome"» (em inglês). Sacred Destinations. Consultado em 21 de outubro de 2008 
  3. «Boston College: "Address at the Great Synagogue of Rome April 13, 1986"» (em inglês). © 2008 The Trustees of Boston College. Consultado em 21 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 11 de junho de 2008 
  4. «Il silenzio dell'uomo non sfugge al giudizio di Dio» (PDF) (em italiano) 
  5. Krusch, David. «"The Jewish Museum in Rome"» (em inglês). © 2008 The American-Israeli Cooperative Enterprise. Consultado em 21 de outubro de 2008 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Grande Sinagoga de Roma