Grande evento de oxigenação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nível de oxigénio na atmosfera da Terra ao longo do tempo.

O grande evento de oxigenação (GOE), também chamado como Catástrofe do oxigênio ou de Crise de oxigênio ou Grande oxidação, foi o aparecimento do oxigênio livre (O2) na atmosfera da Terra por fatores bióticos há 2,4 bilhões de anos atrás, no início do eón Proterozoico, durante o Pré-Cambriano.[1]

Os níveis crescentes de oxigênio na atmosfera podem ter dizimado uma parcela enorme da biodiversidade da Terra no momento, na época todos seres unicelulares e procariontes, tais como bactérias, extremófilas e algas-azuis, sendo a última a maior responsável pelo evento de oxigenação. De sua perspectiva, foi uma catástrofe. Estima-se que as cianobactérias, ou algas azuis, tenham sido essencialmente responsáveis por provavelmente ter causado o maior evento de extinções em massa na história da Terra.[2]

A fotossíntese estava produzindo oxigênio antes e após o GOE. A diferença foi que, antes do GOE, as rochas capturavam quimicamente o oxigênio livre, até então dissolvido no oceano. O GOE foi o momento em que estes minerais tornaram-se saturados e não podiam capturar mais oxigênio. Logo, devido ao conceito de pressão de vapor, o excesso de oxigênio livre foi passando para a atmosfera, que ao longo de milhões de anos trouxe alterações significativas na composição da mesma. Ao mesmo tempo, o oxigénio livre reagiu com o metano existente na atmosfera terrestre, que funcionava como gás de efeito de estufa, reduzindo a sua concentração (em lugar de dióxido de carbono e água) e provocou uma das mais longas e severas eras glaciares da história da Terra, que durou 300 milhões de anos[carece de fontes?].

A quantidade de oxigênio na atmosfera tem oscilado desde então, atingindo um pico de 32,5% no Carbonífero, estando atualmente em 21%.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Pinti, Prof Daniele (2011-01-01). Muriel, : . Great Oxygenation Event Springer Berlin Heidelberg [S.l.] p. 693-693. ISBN 978-3-642-11271-3. 
  2. Rasmussen, Birger; Ian R.. (2008). "Reassessing the first appearance of eukaryotes and cyanobacteria". Nature 455 (7216): 1101-1104. DOI:10.1038/nature07381.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.