Grande furacão de 1780

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande furacão de 1780
Categoria desconhecida (EFSS)
As áreas afetadas pelo grande furacão de 1780, excluindo Bermudas
Formação 9 de Outubro de 1780
Dissipação 20 de Outubro de 1780
Vento mais forte (1 min) Desconhecido
Pressão mais baixa desconhecido
Danos Desconhecidos
Fatalidades No mínimo 27.500 (diretas)
Áreas afetadas Pequenas Antilhas, Porto Rico, República Dominicana e Bermudas
Parte da
Temporada de furacões no Atlântico de 1780

O grande furacão de 1780, também conhecido como furacão São Calisto II,[1] é o furacão atlântico mais mortífero na história registrada. Mais de 27.500 pessoas morreram quando o furacão passou pelas Pequenas Antilhas e no Caribe entre 10 e 16 de Outubro de 1780.[2] Não se sabe exatamente a trajetória e a intensidade do furacão, pois o banco de dados de furacões atlânticos começou a ser criado apenas depois de 1851.[3]

O furacão atingiu Barbados com ventos possivelmente excedendo 320 km/h antes de passar sobre Martinica, Santa Lúcia e Saint Eustatius; milhares de pessoas morreram em cada uma das ilhas. Vindo na época da Revolução Americana de 1776, a tempestade causou grandes perdas nas frotas britânicas e francesas, que contestavam a região. Depois, o furacão passou perto de Porto Rico e sobre a porção oriental da República Dominicana, que naquele tempo era conhecido como Santo Domingo. Lá, o furacão causou danos severos próximos à costa. Por último, o furacão começou a seguir para nordeste antes de ser observado pela última vez em 20 de Outubro a sudeste de Cape Race, Terra Nova, Canadá. O número de mortos causado pelo grande furacão de 1780 excedeu todas as mortes causadas por furacões em toda aquela década, sendo substancialmente maior do que o segundo furacão atlântico mais mortífero da história registrada, o furacão Mitch. O furacão fez parte da desastrosa temporada de furacões no Atlântico de 1780, na qual outros dois furacões no mesmo mês causaram a morte de outras 3.000 pessoas.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia

Referências

  1. Orlando Férez (1970). "Notes on the Tropical Cyclones of Puerto Rico" (PDF). San Juan, Puerto Rico National Weather Service (em inglês). Consult. 12-02-2007. 
  2. a b Edward N. Rappaport, Jose Fernandez-Partagas, and Jack Beven (1997). "The Deadliest Atlantic Tropical Cyclones, 1492-1996". NOAA (em inglês). Consult. 02-01-2007. 
  3. Hurricane Research Division (2006). "Re-Analysis Project". NOAA (em inglês). Consult. 30-04-2007. 
Ícone de esboço Este artigo sobre ciclones tropicais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.