Grandes Salinas de Salins-les-Bains

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Salina Real de Arc-et-Senans com extensão às Grandes Salinas de Salins-les-Bains *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Saltwork of Sailns-les-Bains.jpg
Exterior da Salina de Salins-les-Bains
País  França
Tipo Cultural
Critérios i, ii, iv
Referência 203
Região** Europa e América do Norte
Coordenadas 46° 57′ 17″ N, 5° 52′ 32″ L
Histórico de inscrição
Inscrição 2009  (33ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

As Grandes Salinas de Salins-les-Bains, em Jura na França, são parte do Patrimônio Mundial da UNESCO desde 2009 como extensão à Salina Real de Arc-et-Senans. São propriedade do município de Salins-les-Bains desde 1966. As Salinas de Salins-les-Bains fazem parte dos Museus de Técnicas e Culturas

História[editar | editar código-fonte]

A Grande salina de Salins-les-Bains, foi explorada desde a Idade Média e provavelmente até antes. Inclui três construções: os armazéns de sal, os poços e uma moradia.

Está ligada à Salina de Arc-et-Senans por dois ductos de 21km de comprimento, pelos quais circulava a água com baixa salinidade de Salins.

Foi fechada em 1962. É um testemunho da história da produção de sal na França.

Princípio de obtenção[editar | editar código-fonte]

Captava-se a salmoura, que contém 330 gramas de sal por litro de água (em comparação, um litro de água do Oceano Atlântico contém 80 gramas) nos poços e depois, por galerias fechadas, esta salmoura era conduzida mediante uma bomba hidráulica (instalada em 1750). A roda de paletas era alimentada pelo Rio Furieuse. A bomba elevava à superfície a salmoura que era distribuída em grandes placas de ferro chamadas de fornos onde era aquecida a fim de se eliminar a água e cristalizar o sal.

O trabalho era muito árduo, graças ao imenso calor dentro dos fornos.

A partir de 1779 a salmoura era enviada à salina de Arc-et-Senans, pois a madeira doa arredores, usada nos fornos de calefação, quase havia desaparecido.

Hoje em dia a salmoura salina bombeada alimenta um balneário.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]