Granito (Pernambuco)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Granito
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 20 de dezembro
Fundação 1º de março de 1890 (125 anos)
Gentílico granitense
Prefeito(a) Antonio Carlos Pereira (PDT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Granito
Localização de Granito em Pernambuco
Granito está localizado em: Brasil
Granito
Localização de Granito no Brasil
07° 42' 57" S 39° 36' 54" O07° 42' 57" S 39° 36' 54" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Sertão Pernambucano IBGE/2008[1]
Microrregião Araripina IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Exu e Moreilândia (norte); Parnamirim (sul); Serrita (leste); Bodocó (oeste)
Distância até a capital 522 km
Características geográficas
Área 521,857 km² [2]
População 7 251 hab. estatísticas IBGE/2014[3]
Densidade 13,89 hab./km²
Altitude 447 m
Clima semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,595 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 39 301 mil IBGE/2012[5]
PIB per capita R$ 5 640 18 IBGE/2012[5]
Página oficial

Granito é um município brasileiro do estado de Pernambuco. O município é composto pelo distrito sede e pelos povoados de Rancharia,Lagoa Nova e Mato Grosso.

História[editar | editar código-fonte]

O Padre José Modesto Pereira de Brito

Na antiga fazenda poço, localizada às margens do Rio Brígida, em 1859, o vigário padre José Modesto Pereia de Brito construiu uma capela tendo por nome Nossa Senhora do Bom Conselho. Tal fato deu lugar a formação de um povoado que a merecer a categoria de freguesia. A lei nº 548 de 09 de abril de 1855 lhe dera a honra de vila, transferindo a sede do termo Exu para Granito pelo fundador da capela. Criada a comarca, foi instalada em 1º de março de 1890, pelo Sr. Juiz de direito, Alfredo Afonso Pereira. A denominação primitiva do povoado de Granito foi motivada pela predominância da rocha granito no solo. Constituiu-se município autônomo em 05 de junho de 1893, promoção administrativa, lei provincial nº 548 de abril de 1863, transferiu-se a sede do município de Exu para o povoado de Granito. Segundo a divisão administrativa em 1911, formou-se de dois distritos, Granito e Bodocó. Por efeito da lei estadual nº 1650 de 22 de maio de 1924 Bodocó passou ser sede do município de Granito. No ano de 1940, foi instala nesta localidade uma usina de caroá, em 1951 foi construído o 1º grupo escolar e uma agência dos correios, em 1955, foi construído um açougue público. Granito foi cidade pela primeira vez através da lei nº 991 de 1º de junho de 1909. Teve como primeiro chefe político o Sr. Eráclio Peixoto, logo em seguida o Coronel João Silvério de Alencar. Nesta época Granito já contava com um quartel comandado pelo Coronel Luna e era composto de um oficial de polícia, um primeiro tenente e um segundo tenente com seu batalhão formado de 40 soldados e dois cabos. A prisão era descente, e as armas eram fuzis, bacamartes parabelas e rifles. Só quem andava armado eram os coronéis, a farda dos soldados era cor de cáqui. Também existia nesta época uma banda de música pública a qual era comandada pelo Sr. Angelim, um cartório cujo dono foi João Cezário Aguiar, uma coletoria que atendia a população de Granito, Bodocó, Exu e parte de Parnamirim. Em 1942 na administração do prefeito Manoel Antônio Luna, 3º prefeito da cidade, o município perdeu sua sede ficando sujeito a Bodocó. Permanecendo como distrito de Bodocó até o ano 1963, data em que por força da lei estadual nº 4972 de 20 de dezembro de 1963, Granito foi elevado novamente à categoria de cidade. Administrativamente, o município é composto pelo distrito sede e pelos povoados de Rancharia e Lagoa Nova. Também por partes do distrito vizinho Timorante junto ao município de Exu.

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Distrito criado com a denominação de Granito, por lei provincial nº 608, de 3 de abril 1864. Elevado à categoria de vila com a denominação de Granito, pela lei provincial nº 548', de 9 de abril de 1863. Intalada em 27 de julho de 1863. Elevado à condição de cidade e sede municipal pela lei estadual nº 991, de 1 de julho de 1909. Pela lei municipal nº 3, de 17 de setembro de 1909, é criado o distrito de Bodocó e anexado ao município de Granito. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 2 distritos: Granito e Bodocó. Pela lei municipal nº 2, de 6 de janeiro de 1920, é criado o distrito Rancharia e anexado ao município de Granito. Pela lei municipal nº 19, de 5 de janeiro de 1920, é criado o distrito de Caririzinho e anexado ao município de Granito. Pela lei estadual nº 1650, de 22 de maio de 1924, transfere a sede do município de Granito para vila de Bodocó. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Granito figura no município de Bodocó. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1 de julho de 1960. Elevado novamente à categoria de município com a denominação de Granito, pela lei estadual nº 4972, de 20 de dezembro de 1963, desmembrado de Bodocó. Sede no antigo distrito de Granito. Constituído do distrito sede. Instalado em 25 de abril de 1964. Em divisão territorial datada de de 1 de janeiro de 1979, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 7º42'58" sul e a uma longitude 39º36'53" oeste, estando a uma altitude de 447 metros. Sua população estimada em 2004 era de 7251[6] habitantes.

Possui uma área de 521,942 km².

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município de Granito encontra-se inserido na unidade geoambiental dos Maciços e Serras Baixas. Ao sul, parte do território está inserido na unidade geoambiental Depressão Sertaneja.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação é predominantemente de floresta caducifólia e caatinga Hipoxerófila.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município de Granito situa-se nos domínios da Bacia Hidrográfica do Rio Brígida. Seus principais tributários são os riachos do Alecrim, São Joaquim, da Ingazeira, do Mororó, do Negro, da Brígida, do Poço Verde, do Logradouro, da Varginha do Capim, da Selada, do Mocambo e da Colina, todos de regime intermitente, haja vista que o nome granito é referente às muitas pedras que aqui tem.

O município conta ainda com as lagoas Pajeú, do Umari, de Dentro, do Tigre, Nova, da Cruz, das Barracas, da Pedra e das Braúnas.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Estimativa Populacional 2014 Estimativa Populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (agosto de 2014). Visitado em 29 de agosto de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 03 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2014.
  6. Estimativa referente ao ano de 2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Pernambuco é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.