Gregório Prealimpo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gregório
Por Paja Jovanović

Gregório Prealimpo ou Prelumpo (em grego medieval: Γρηγόριος Πρεάλιμπος/Πρελούμπος; transl.: Grēgorios Prealimpos/Preloumpos; em sérvio: Грегори Прељуб; transl.: Gregori Preljub; c. 13121356) foi nobre sérvio e voivoda (comandante militar) que conquistou e governou a Tessália com o título de césar entre 1348 e 1356 sob o imperador sérvio Estêvão Duchan (r. 1331–1355). Seu filho, Tomás Preljubović, foi déspota de Epiro entre 1366 e 1384.

História[editar | editar código-fonte]

Prealimpo aparece nas fontes em 1344 tomando parte da conquista sérvia da Macedônia durante a guerra civil bizantina de 1341-1347. De acordo com os cronistas, Estêvão Duchan o considerava como o melhor de seus magnatas "em valor, coragem e experiência". Em maio de 1344, ele liderou um exército sérvio na Batalha de Estefaniana contra os turcos otomanos aliados de João VI Cantacuzeno. O resultado foi negativo, mas não afetou significativamente o progresso da conquista sérvia.[1][2] Em 1348, reforçado por grandes quantidades de albaneses, Prealimpo invadiu a Tessália. Ajudado pela despopulação provocada pela Peste Negra - que, entre outras vítimas, matou o governador bizantino João Ângelo -, ele tomou a maior parte da região dos bizantinos e dos catalães do Ducado de Neopatria até novembro do mesmo ano. Duchan o nomeou governador da Tessália, com capital em Trícala, e deu-lhe o título de "césar" como prêmio.[3][4] Diversos acadêmicos mais antigos afirmaram que Prealimpo também controlou partes de Epiro, incluindo a cidade de Janina, mas pesquisas recentes consideram o feito improvável.[5]

Em 1350, João VI Cantacuzeno aproveitou-se da ausência de Duchan, que estava em campanha contra o Reino da Bósnia, para tentar recuperar as províncias perdidas na Macedônia e na Tessália. Ele desembarcou em Tessalônica e conseguiu retomar diversas fortalezas estratégicas na Macedônia, mas seu avanço em direção da Tessália foi interrompido por Prealimpo que, com 500 homens, defendeu o estratégico forte de Sérvia. Cantacuzeno, cujo exército era pequeno, recuou e Duchan conseguiu recuperar todos os fortes perdidos com facilidade.[6][7]

Prealimpo morreu no final de 1355 ou no início de 1356, logo após o próprio Duchan, num confronto com clãs albaneses locais.[8][9] Sua viúva, Irene Asanina, filha de Duchan, e seu filho, Tomás II Preljubović, logo enfrentaram uma invasão liderada por Nicéforo II, o antigo déspota de Epiro. Orsini conseguiu convocar os gregos da região para o seu campo, forçando Irene a retornar para a Sérvia. Em 1357, ela se casou com Radóstlabo Clápeno, o governador de grande parte da Macedônia ocidental, incluindo Edessa e Beroia.[10][11] Em 1366-1367, Tomas se tornou o déspota de Epiro em Janina.[12]

Referências

  1. Soulis 1984, p. 24.
  2. Fine 1994, p. 304.
  3. Fine 1994, p. 310, 320.
  4. Soulis 1984, p. 35, 108, 110.
  5. Soulis 1984, p. 108–109.
  6. Fine 1994, p. 324.
  7. Soulis 1984, p. 44–47, 111.
  8. Fine 1994, p. 346.
  9. Soulis 1984, p. 111.
  10. Fine 1994, p. 346–347.
  11. Soulis 1984, p. 111–114, 237.
  12. Fine 1994, p. 351.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Fine, John Van Antwerp (1994). The Late Medieval Balkans: A Critical Survey from the Late Twelfth Century to the Ottoman Conquest (em inglês). Ann Arbor, Michigan: University of Michigan Press. ISBN 0-472-08260-4 
  • Soulis, George Christos (1984). The Serbs and Byzantium during the Reign of Tsar Stephen Dušan (1331–1355) and his Successors (em inglês). Washington, District of Columbia: Dumbarton Oaks. ISBN 0-88402-137-8 
  • Nicol, Donald MacGillivray (1993). The Last Centuries of Byzantium, 1261–1453. Cambridge, United Kingdom: Cambridge University Press. ISBN 0-521-43991-4ref=harv Verifique |isbn= (ajuda)