Gregor Reisch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gregor Reisch
Nascimento 1467
Balingen
Morte 9 de maio de 1525 (58 anos)
Freiburg im Breisgau
Cidadania Alemanha
Alma mater Universidade de Freiburg
Ocupação escritor, professor universitário
Empregador Universidade de Freiburg

Gregor Reisch (n. Balingen, Württemberg, cerca de 1467; m. Freiburg, Baden, 9 de maio de 1525) foi um escritor humanista alemão cartuxo . Ele é mais conhecido por sua compilação Margarita philosophica.[1]

Vida[editar | editar código-fonte]

Em 1487 inicou os estudos na Universidade de Freiburg, estado de Baden e recebeu o grau de "magister" em 1489. Entrou então na Ordem dos Cartuxos. Durante os anos 1500-1502 foi prior em Klein-Basileia; de 1503 até pouco antes da sua morte foiprior na Charterhouse Freiburg.

Também foi o visitante na província de Renânia da sua ordem. Enquanto visitante fez um trabalho intenso para combater o luteranismo.

Foi amigo dos humanistas mais célebres da época, como Erasmus, Jakob Wimpfeling (1450-1528), Beatus Rhenanus (1485-1547), Udalricus Zasius (1461-1536), e o célebre pregador Johann Geiler von Kaysersberg. Johann Eck (1494-1554) foi seu discípulo. Reisch tinha uma reputação de adaptabilidade e foi considerado como um "oráculo". Foi um dos mais notáveis intelectuais do início da nova era que procuraram preparar trabalhos enciclopédicos do conhecimento.

Obra[editar | editar código-fonte]

Anatomia em Margarita Philosphica - 1565

O seu principal trabalho é a Margarita philosophica, que apareceu pela primeira vez em Freiburg em 1503. É uma enciclopédia do conhecimento com doze livros destinada a servir de livro de texto para jovens estudantes e discursa sobre gramática latina, dialética, retórica, aritmética, música, geometria, astronomia, física, história natural, fisiologia, psicologia e ética. A utilidade do trabalho foi aumentada por numerosas xilogravuras e um índice completo.

A forma é catequética: o aprendiz questiona e o professor responde. O livro foi muito popular por sua brevidade relativa e sua forma. Foi durante muito tempo um livro habitual nas escolas superiores. Alexander von Humboldt disse dele que tinha "durante meio século auxiliado de forma notável a disseminação do conhecimento".

Em 1510 Reisch também publicou os estatutos e privilégios da Ordem dos Cartuxos, e auxiliado Erasmus de Roterdão na sua edição de Jerónimo.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Gregorius Reisch, Margarita philosophica nova Reimpressão anastática com introdução (em italiano) de Lucia Andreini, Salzburgo: Institut für Anglistik und Amerikanistik, Universität Salzburgo, 2002 (3 vols.).
  • Natural Philosophy Epitomised: Books 8-11 of Gregor Reisch's Philosophical pearl (1503) Traduzido e editado por Andrew Cunningham, Sachiko Kusukawa, Aldersht: Ashgate, 2010.
  • Petreius, Bibliotheca Carthusiana (Colónia, 1609), 109-112
  • Hugo von Hurter, Nomenclator, II (3a ed. Innsbruck, 1906), 1278–79
  • Hartfelder, Gregor Reisch, in Zeitschrift fur die Geschichte des Oberrheins, nova série, v (Freiburg, 1890), 170-200.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. O título da edição de 1504 foi Aepitoma omnis phylosophiae, alias, Margarita phylosophica: tractans de omni genere scibili; o epítomethe de toda a filosofia, aliàs, a pérola filosófica, tratando sobre todo o tipo de conhecimento.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Crystal Clear app Login Manager.png
A Wikipédia possui o
Portal de Biografias