Greta Thunberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Greta Thunberg
Thunberg em abril de 2019
Conhecido(a) por Fridays for Future
Nascimento 3 de janeiro de 2003 (17 anos)
Estocolmo, Suécia
Nacionalidade sueca
Progenitores Mãe: Malena Ernman
Pai: Svante Thunberg
Ocupação Ativista ambiental

Greta Ernman Thunberg[1] (Estocolmo, 3 de janeiro de 2003) é uma ativista ambiental sueca.[2] É conhecida por ter protestado fora do prédio do parlamento sueco, e por ser a líder do movimento Greve das escolas pelo clima.[3] Em dezembro de 2019, foi considerada personalidade do ano pela revista americana Time.[4]

Em agosto de 2018, Greta Thunberg ausentava-se das aulas para protestar, próxima ao parlamento sueco, exigindo por mais ações para mitigar as mudanças climáticas por parte dos políticos de seu país.[5] Eventualmente, estudantes de outras comunidades se organizaram para protestos semelhantes ao de Greta Thunberg.[6]

Biografia

Thunberg nasceu em 3 de janeiro de 2003.[7] Sua família tem uma ligação muito grande com o entretenimento e as artes. Sua mãe Malena Ernman é uma das principais cantoras de ópera do país e musica pop, chegando a representar a Suécia no Festival Eurovisão da Canção de 2009, seu pai é o ator Svante Thunberg, enquanto seu avós paternos são o ator e diretor Olof Thunberg e a também atriz Mona Andersson.

Greta Thunberg foi diagnosticada com síndrome de Asperger, TDAH, transtorno obsessivo-compulsivo e mutismo seletivo.[8][9] Embora reconheça algumas dificuldades por causa de seu diagnóstico, Thunberg diz que dependendo das circunstâncias, "ser diferente é um superpoder".[10][11][12]

Thunberg é vegetariana e ativista pelo direito dos animais.[13]

Ativismo

Greta Thunberg segurando uma placa de protesto escrita "Greves escolares pelo clima".

Em 20 de agosto de 2018, Thunberg, cursando o nono ano, decidiu não frequentar a escola até as eleições gerais de 2018 na Suécia, em 9 de setembro, depois de ondas de calor e incêndios na Suécia. Seus pedidos foram que o governo da Suécia reduzisse as emissões de carbono, de acordo com o Acordo de Paris, e protestou sentando do lado de fora do Riksdag todos os dias, durante o horário escolar com o sinal de "Skolstrejk för klimatet" (de greve da escola pelo clima).

Após as eleições gerais, continuou a greve somente nas sextas-feiras, que ganhou atenção mundial. Protestos semelhantes foram organizados em outros países, como a Holanda, a Alemanha, a Finlândia e a Dinamarca.[14] Na Austrália, milhares de estudantes foram inspirados por Thunberg a fazer greve na sexta-feira, ignorando os comentários do Primeiro-Ministro Scott Morrison que diziam "mais de aprendizagem nas escolas e menos ativismo".[15]

No Twitter, usou hashtags e disseminou a consciência online. Thunberg participou na  manifestação Rise for Climate (Erga-se pelo clima) em frente ao Parlamento Europeu, em Bruxelas, e a Declaração de Rebelião organizada pela Extinção Rebelião em Londres.[16]

Em 4 de dezembro de 2018, Thunberg abordou a COP24 das Nações Unidas para a cúpula das alterações climáticas.[17] Em sua declaração para o COP24 em 12 de dezembro de 2018[18] na assembleia plenária, observou[19][20]:

Você só fala de crescimento econômico eterno verde porque você está com muito medo de ser impopular. Você só fala em seguir em frente com as mesmas ideias ruins que nos meteram nessa confusão, mesmo quando a única coisa sensata a fazer é puxar o freio de emergência. Você não é maduro o suficiente para dizer como é. Mesmo esse fardo você deixa para nós, filhos.
— Greta Thunberg

Lista de discursos

Extinction Rebellion

Em Londres em outubro de 2018, escreveu a 'Declaração de Rebelião' organizada pelo Extinction Rebellion, um movimento político-social que utiliza de formas não violentas sob o argumento de chamar a atenção sobre as ações governamentais em diversos países no combate as mudanças climáticas,se opondo aos parlamentos nacionais . Disse: "Estamos enfrentando uma crise sem precedentes que nunca foi tratada como uma crise e nossos líderes estão agindo como crianças. Nós precisamos acordar e mudar tudo".[21][22]

TEDxStockholm

Em 24 de novembro de 2018, falou no TEDxStockholm.[23][24] Falou sobre quando percebeu, com 8 anos de idade, que as mudanças climáticas existiam e ficou imaginando o motivo de não ser manchete em todos os canais, como se tivesse uma guerra acontecendo. Disse que não foi a escola para se tornar uma cientista do clima, como alguns sugeriram, porque a ciência chegou ao seu fim e somente restaram a negação, ignorância e a inatividade. Especulando que seus filhos e seus netos lhe perguntariam o motivo pelo qual eles não agiram em 2018 enquanto ainda restava tempo, concluiu que "nós não podemos mudar o mundo jogando pelas regras, porque as regras precisam ser mudadas."[25]

COP24

Greta enviou uma carta para à Conferência das Nações Unidas pelas Mudanças Climáticas, conhecida como COP24, em 4 de dezembro de 2018,[26] e também falou diante da plenária em 12 de dezembro de 2018.[27][28] Durante a conferência, participou também em um painel falando junto aos representantes da fundação "Nós Não Temos Tempo" (We Don't Have Time foundation ), na qual falou sobre o início da greve escolar.[29]

Críticas e respostas

Críticas a Thunberg e sua campanha

Thunberg e sua campanha foram criticadas por políticos e outros; o primeiro-ministro da Austrália Scott Morrison,[30] a chanceler alemã Angela Merkel,[31] o presidente russo Vladimir Putin, o presidente americano Donald Trump, o presidente da França Emmanuel Macron, o primeiro ministro italiano Giuseppe Conte,[32] OPEP e alguns comentaristas da mídia. As críticas variam de ataques pessoais a alegações de que ela simplifica demais as questões complexas envolvidas.

Em Julho de 2019, a Agence France-Presse informou que o secretário-geral da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) Mohammed Barkindo "reclamou do que chamou de ataques 'não científicos' à indústria do petróleo por ativistas da mudança climática, chamando-os de 'talvez a maior ameaça para a nossa indústria daqui para frente'", e disse que estava aparentemente referindo-se "à recente onda de greves escolares inspiradas no movimento' sextas-feiras para o futuro' da adolescente sueca Greta Thunberg".[33] Thunberg e outros ativistas climáticos responderam classificando tais comentários como uma distinção de honra.[34][35]

Após a ação de Thunberg contra a França, a Alemanha e outros países que não cumpriram suas metas de redução de emissões do Acordo de Paris, Emmanuel Macron disse: "essas posições radicais (como as defendidas por Thunberg) antagonizam nossas sociedades... Ela deve se concentrar naquelas aqueles que estão postergando, os que estão mais longe... Não sinto que os governos franceses ou alemães estejam tentando postergar". A secretária de Estado francesa para a transição ecológica e inclusiva Brune Poirson também a criticou, dizendo que "ela não sabe que soluções está apresentando", acrescentando que "você não pode se mobilizar com base no desespero, ou até no ódio".[36] Em uma coluna de opinião, Christopher Caldwell afirmou que a abordagem direta de Thunberg às mudanças climáticas colocará manifestantes em conflito com as complexidades da tomada de decisões nas democracias ocidentais.[37] [38] Madeline Grant, escrevendo no Daily Telegraph, disse que Thunberg é "uma santa do ambientalismo",[39] enquanto Guillaume Larrivé, candidato à liderança dos republicanos na França, a chama de "Guru do Apocalipse".[40]

Em Setembro de 2019, Donald Trump compartilhou um vídeo em que Thunberg fala sobre os líderes mundiais em tom agressivo, juntamente com uma citação dela de que "as pessoas estão morrendo, ecossistemas inteiros estão em colapso. Estamos no início de uma extinção em massa". Trump escreveu sobre Thunberg, twittando: "Ela parece uma jovem muito feliz, ansiosa por um futuro brilhante e maravilhoso. É tão bom ver isso!" Thunberg reagiu alterando sua biografia no Twitter para corresponder à sua descrição e afirmando que ela não podia "entender por que os adultos escolheriam zombar de crianças e adolescentes por apenas se comunicarem e agirem conforme a ciência quando poderiam fazer algo de bom".[41]

Em Outubro de 2019, Vladimir Putin descreveu Thunberg como uma "jovem gentil e muito sincera", enquanto sugeria que ela estava sendo manipulada para servir interesses obscuros. Putin a criticou por estar "mal informada": "Ninguém explicou a Greta que o mundo moderno é complexo e diferente e as pessoas na África e em muitos países asiáticos querem viver com o mesmo nível de riqueza que na Suécia". Semelhante à sua reação a Trump, Thunberg atualizou sua biografia no Twitter para refletir a descrição de Putin.[42]

Em dezembro de 2019, Thunberg twittou "Os povos indígenas estão sendo literalmente assassinados por tentar proteger a floresta (sic) do desmatamento ilegal. Uma e outra vez. É vergonhoso que o mundo permaneça calado sobre isso". Ao ser questionado sobre esse assunto dois dias depois, o presidente do Brasil Jair Bolsonaro respondeu: "Greta disse que os índios estão morrendo porque tentam proteger a Amazônia. É impressionante como a mídia dá voz a essa pirralha". No mesmo dia, Thunberg mudou sua descrição do Twitter para "pirralha", a palavra em português usada por Bolsonaro.[43]

Críticas contra os ataques a Thunberg

Em Agosto de 2019, Scott Walsman escreveu na Scientific American que os detratores de Thunberg "lançam ataques pessoais", "criticam (seu) autismo" e "cada vez mais dependem de ataques ad hominem para diminuir sua influência".[44]

Escrevendo no The Guardian, Aditya Chakrabortty disse que colunistas como Brendan O'Neill, Toby Young, o blog Guido Fawkes, bem como Helen Dale e Rod Liddle no The Spectator e The Sunday Times estavam fazendo "ataques pessoais feios" a Thunberg.[45] Como parte de sua negação às mudanças climáticas, o partido de direita Alternativa para a Alemanha atacou Thunberg "de maneira bastante cruel", segundo Jakob Guhl, pesquisador do Instituto para o Diálogo Estratégico.[46]

Um comentário de Arron Banks no Twitter destacando que "acidentes de iatismo ocorrem em Agosto..." indignou vários integrantes do parlamento, celebridades e acadêmicos. Tanja Bueltmann, fundadora da EU Citizens' Champion, disse que Banks "invocou o afogamento de uma criança" para sua própria diversão e observou que a maioria dos que atacam Thunberg "são homens brancos de meia-idade, à direita do espectro político".[47] Escrevendo no The Guardian, Gaby Hinsliff, disse que Thunberg se tornou "a nova frente da guerra cultural do Brexit", argumentando que o ultraje gerado por ataques pessoais a Thunberg por Brexiteers "lhes dá o bem-vindo oxigênio da publicidade".[48]

Em entrevista à Suyin Haynes para a Time, Greta analisa as críticas que recebe on-line: "É bastante hilário quando a única coisa que as pessoas podem fazer é zombar de você ou falar sobre sua aparência ou personalidade, pois significa que elas não têm argumentos. Ou nada mais a dizer."[49]

Prêmios e honrarias

Greta Thunberg foi uma das vencedoras do artigo de debate do Svenska Dagbladet em uma competição sobre o clima para os jovens em maio de 2018.[50] Thunberg foi indicada para o prêmio da empresa de eletricidade Telge Energi para crianças e jovens que promovem o desenvolvimento sustentável, o Prêmio do Clima para Crianças, mas recusou porque os finalistas teriam de voar para Estocolmo.[51] Em dezembro de 2018, a revista Time nomeou Thunberg uma dos 25 adolescentes mais influentes do mundo daquele ano.[52] Em novembro de 2018, recebeu a bolsa Fryshuset[53] de jovem modelo do ano.[54]

Em 8 de março de 2019, Thunberg foi nomeada Mulher Sueca do Ano pela Swedish Women's Educational Association.[55]

Em 13 de março de 2019, dois deputados do parlamento sueco e três deputados do parlamento norueguês nomearam Thunberg como candidata ao Prêmio Nobel da Paz. Os políticos que indicaram explicaram sua decisão argumentando que o aquecimento global será a causa de "guerras, conflitos e refugiados" se nada for feito para detê-lo. Thunberg respondeu que ficou "honrada e muito grata" pela indicação.[56] Entretanto, o prêmio foi para o primeiro-ministro da Etiópia Abiy Ahmed, como resultado de suas ações para terminar a Guerra Eritreia-Etiópia que durava mais de 20 anos em 2018.[57][58][59] Se Thunberg tivesse ganhado o Prêmio Nobel da Paz, ela teria se tornado a pessoa mais jovem a recebê-lo.[60]

Em 31 de março de 2019, Thunberg recebeu o prêmio alemão Goldene Kamera de Proteção Climática Especial.[61] Em 1 de abril de 2019, o Prix Liberté da região francesa da Normandia foi concedido a Thunberg, que recebeu em Caen, no norte da França, em 21 de julho daquele ano.[62] Além de um troféu, 25 mil euros para promover sua iniciativa.[63] Thunberg disse que doaria o prêmio em dinheiro a quatro organizações que trabalham pela justiça climática e ajudam áreas já afetadas pela mudança climática.[64]

Em 12 de abril de 2019, Thunberg compartilhou o prêmio Fritt Ord, que comemora a liberdade de expressão, com a organização Nature and Youth. Na organização conferencista, Fritt Ord observou seu determinado ativismo comprometido mesmo diante do assédio generalizado online e da mídia. Thunberg doou sua parte do prêmio em dinheiro a uma ação que visa interromper a exploração de petróleo norueguês no Ártico.[65]

Em abril de 2019, a revista Time nomeou Thunberg como uma das 100 pessoas mais influentes de 2019.[66] No mesmo mês, a organização chilena, Fundación Milarepa para el Diálogo con Asia, liderada por Mario Aguilar, da Universidade de St. Andrews, anunciou que Thunberg havia sido selecionada como a vencedora do prêmio Laudato Si' da organização.[67] O Prêmio Webby nomeou Thunberg para o "Movimento Social Webby do Ano" de 2019.[68]

Em maio de 2019, a Universidade de Mons anunciou que concedeu uma Doctor Honoris Causa a Thunberg. O diploma de doutorado e as insígnias foram concedidos na abertura oficial do ano acadêmico 2019-2020 da universidade, em 10 de outubro de 2019. Thunberg não pôde estar presente na cerimônia, mas agradeceu a universidade em um vídeo.[69][70] Em maio de 2019, o artista Jody Thomas pintou um mural de Thunberg com 15 metros de altura em uma parede de um edifício em Bristol .O mural retrata a metade inferior do rosto de Greta como se estivesse sob o aumento da água do mar.[71][72]

Em maio de 2019, Thunberg foi destaque na capa da revista Time, onde foi descrita como um modelo a ser seguido,[73] e uma das "líderes da próxima geração".[74] Em maio de 2019, a Vice lançou um documentário de 30 minutos, Make the World Greta Again. Apresenta entrevistas com vários líderes de protesto juvenil na Europa.[75][76]

Em 7 de junho de 2019, a Amnesty International anunciou que entregará a Thunberg seu prêmio de maior prestígio, o Prémio Embaixador de Consciência, por sua liderança no movimento climático. Thunberg disse então que o prêmio pertence igualmente a todos os que participaram do movimento Fridays for Future, a greve das escolas pelo clima.[77] A ativista disse que o prêmio é "para todas as milhões de pessoas, jovens de todo o mundo que juntos formam o movimento chamado Fridays for Future".[78][79]

Em julho de 2019, Thunberg recebeu a Medalha Ambiental Geddes pela Real Sociedade Geográfica Escocesa,[80] que automaticamente a concedeu uma bolsa honorária.[81]

A edição de setembro de 2019 da capa da revista British Vogue contou com Thunberg (junto com quinze mulheres); a capa foi criada pela editora convidada Meghan, Duquesa de Sussex.[82]

Em 3 de setembro de 2019, Thunberg recebeu o primeiro Game Changer Award no GQ "Men of the Year Awards 2019". O prêmio foi projetado especificamente para ela.[83] Em 25 de setembro de 2019, Thunberg foi nomeada como uma das quatro vencedoras do Prêmio Right Livelihood de 2019, conhecido como o Prêmio Nobel alternativo da Suécia. Thunberg ganhou o prêmio "por inspirar e ampliar demandas políticas por ações climáticas urgentes que refletem fatos científicos", afirmou a Fundação Right Livelihood em um comunicado.[84] Em 27 de setembro de 2019, Thunberg foi premiada com Cidadania honorária à cidade de Montreal, Canadá, pela prefeita Valérie Plante. Ao receber a cidadania honorária, Thunberg disse: "Estou incrivelmente honrada".[85] Ela estava em Montreal para a Greve Global pelo Clima, onde mais de 500 000 pessoas marcharam convidando os líderes políticos a agir contra as mudanças climáticas e se reuniram com a prefeita Plante depois de fazer um discurso para os manifestantes em massa.[85]

Em 1 de outubro de 2019, a The Entomologist's Monthly Magazine publicou um artigo acadêmico em que uma espécie de besouro recém-identificada (Nelloptodes gretae) recebeu o nome "Thunberg". O autor, o cientista Dr. Michael Darby, disse que escolheu o nome porque ficou "imensamente impressionado" com a campanha ambiental da adolescente sueca, e queria agradecer sua excelente contribuição na conscientização sobre questões ambientais.[86][87]

Em 4 de outubro de 2019, em nome da KidsRights Foundation, Desmond Tutu anunciou que Thunberg, juntamente com Divina Maloum, de 14 anos, de Camarões, recebeu o Prêmio internacional da Criança de 2019. "Estou admirado com você", disse Tutu. "Sua poderosa mensagem é amplificada por sua energia juvenil e sua crença inabalável de que as crianças não podem melhorar seu próprio futuro. Vocês são verdadeiros criadores de mudanças que demonstraram de maneira mais poderosa que as crianças podem mover o mundo."[88] O prêmio foi concedido em 20 de novembro de 2019 em uma cerimônia em Haia.[89]

Em 8 de outubro de 2019, Thunberg, juntamente com a ativista climática adolescente nativa americana Tokata Iron Eyes, participou de um painel climático no lado de Dakota do Norte da da Reserva Indígena de Standing Rock. No final do painel de discussão, Thunberg foi homenageada com o nome Lakota —Mahpiya Etahan oi wi— pelo ex-presidente de Standing Rock, Jay Taken Alive. O nome Lakota de Thunberg traduzido para o inglês significa: "Mulher que veio do céu". Os membros tribais dizem que ela está despertando o mundo e eles mantêm sua missão.[90][91][92]

Em 29 de outubro de 2019, Thunberg recebeu o Prêmio do Meio Ambiente do Conselho Nórdico de 2019, mas recusou-se a aceitar o prêmio ou o prêmio em dinheiro de 52 000 dólares. Greta agradeceu a premiação, antes de dispensá-la. "É uma enorme honra. Mas, o clima não precisa de mais premiações", afirmou Greta em uma nota que também foi lida por ativistas na cerimônia de premiação em Estocolmo. "O que precisamos é que nossos governantes e políticos escutem as melhores pesquisas científicas atuais, e não prêmios."[93][94][95][96]

Em 11 de novembro de 2019, os prêmios da revista Glamour Mulher do Ano foram apresentados. Jane Fonda aceitou em nome de Thunberg que leu a declaração de Thunberg: "Estou incrivelmente honrada por ter recebido esse prêmio... Se uma nerd adolescente sueca de ciência que se recusa a voar, e que nunca usou maquiagem ou foi a um cabeleireiro pode ser escolhida como uma Mulher do Ano por uma das maiores revistas de moda do mundo, então acho que quase nada é impossível. Isso é esperançoso, porque é disso que precisamos agora para evitar uma catástrofe climática. Nós devemos fazer o impossível. Obrigada."[97][98]

Em 11 de dezembro de 2019, a revista Time nomeou Thunberg a Pessoa do Ano.[99] Ela foi a pessoa mais jovem a ser nomeada Pessoa do Ano.[100] A Time afirmou: "Ela conseguiu criar uma mudança de atitude global, transformando milhões de vagas ansiedades em um movimento mundial que pedia mudanças urgentes. Ela ofereceu um apelo moral para aqueles que estão dispostos a agir e lançou vergonha para aqueles que não o são", reitera a Time. "Ela concentrou a atenção do mundo nas injustiças ambientais que jovens ativistas indígenas protestam há anos. Por causa dela, centenas de milhares de adolescentes 'Gretas', do Líbano à Libéria, deixaram a escola para liderar seus colegas nas greves climáticas em todo o mundo."[101][102][103] Greta agradeceu em uma mídia social: "Uau, isso é inacreditável! Compartilho essa grande honra com todos do movimento #FridaysForFuture e com os ativistas climáticos de todos os lugares."[104]

Ver também

Referências

  1. «Greta Ernman Thunberg (16 år) Stockholm | Ratsit». www.ratsit.se (em sueco). ratsit.se. 31 de janeiro de 2019. Consultado em 31 de janeiro de 2019 
  2. Dömstedt, Tomas (2019). «Korta fakta». Fakta om Greta Thunberg [Factos sobre Greta Thunberg] (em sueco). Lund: Nypon förlag. p. 30. 40 páginas. ISBN 9789178255443 
  3. «The Swedish 15-year-old who's cutting class to fight the climate crisis» 
  4. «greta-thunberg-escolhida-personalidade-do-ano-pela-revista-time». O Globo 
  5. Dömstedt, Tomas (2019). «Skolstrejk för klimatet». Fakta om Greta Thunberg [Factos sobre Greta Thunberg] (em sueco). Lund: Nypon förlag. p. 4-5. 40 páginas. ISBN 9789178255443 
  6. Welle (www.dw.com), Deutsche. «A coerência de Greta Thunberg na luta pelo clima | DW | 20.08.2019». DW.COM. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  7. Dömstedt, Tomas (2019). «Musikalisk och intelligent». Fakta om Greta Thunberg [Factos sobre Greta Thunberg] (em sueco). Lund: Nypon förlag. p. 6. 40 páginas. ISBN 9789178255443 
  8. «The Fifteen-Year-Old Climate Activist Who Is Demanding a New Kind of Politics». The New Yorker 
  9. Thunberg, Greta, O apelo apaziguador para agirmos agora contra a mudança climática (em inglês), consultado em 16 de setembro de 2019 
  10. «'É um superpoder', diz Greta Thunberg sobre ter Síndrome de Asperger». HuffPost Brasil. 2 de setembro de 2019. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  11. «Greta Thunberg sobre síndrome de Asperger: 'É um superpoder'». O Globo. 2 de setembro de 2019. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  12. RTP, RTP, Rádio e Televisão de Portugal-. «Extrema-direita alemã nega mudanças climáticas e ataca Greta Thunberg». www.rtp.pt. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  13. «Greta Thunberg Says Eating Meat Is "Stealing Her Generation's Future"». PETA UK (em inglês). 3 de maio de 2019. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  14. «Klimatmanifestation över hela landet: "Ödesfråga"» 
  15. «Australian school children defy prime minister with climate strike» 
  16. «This Is Our Darkest Hour: With Declaration of Rebellion, New Group Vows Mass Civil Disobedience to Save Planet» 
  17. «'Our leaders are like children', school strike founder tells climate summit». ISSN 0261-3077 
  18. «Greta Thunberg makes an impassioned appeal at UN climate change conference in Poland». Herald Sun 
  19. «'Vocês roubaram meus sonhos e infância', diz Greta Thunberg na ONU». VEJA.com. 23 de setembro de 2019. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  20. «You Are Stealing Our Future: Greta Thunberg, 15, Condemns the World's Inaction on Climate Change». Democracy NOW! (em inglês) 
  21. Germanos, Andrea (2018-10-31). "'This Is Our Darkest Hour': With Declaration of Rebellion, New Group Vows Mass Civil Disobedience to Save Planet". Common Dreams. Archived from the original on 2018-11-18. Retrieved 2019-07-22.
  22. Rizvi, Husna (2018-11-01). "For climate action, 'mass civil disobedience' is the only way". New Internationalist. Archived from the original on 2019-02-16. Retrieved 2019-02-15.
  23. Thunberg, Greta (2018-11-24). School strike for climate – save the world by changing the rules. TEDxStockholm. Event occurs at 1:46. Retrieved 2019-01-29 – via YouTube. I was diagnosed with Asperger's syndrome, OCD, and selective mutism. That basically means I only speak when I think it's necessary. Now is one of those moments… I think that in many ways, we autistic are the normal ones, and the rest of the people are pretty strange, especially when it comes to the sustainability crisis, where everyone keeps saying that climate change is an existential threat and the most important issue of all and yet they just carry on like before.
  24. "TEDxStockholm Theme: Wonderland". TED. 2018-11-24. Archived from the original on 2019-09-17. Retrieved 2018-12-20.
  25. Jones, Nigel (2018-12-30). "Why we all need to be more like Greta". Nine by Five Media. Medium. Archived from the original on 2019-02-16. Retrieved 2019-02-15.
  26. Carrington, Damian (2018-12-04). "'Our leaders are like children', school strike founder tells climate summit". The Guardian. Archived from the original on 2019-01-02. Retrieved 2019-07-22.
  27. Thunberg, Greta (2018-12-13). "You Are Stealing Our Future: Greta Thunberg, 15, Condemns the World's Inaction on Climate Change". Democracy Now!. Archived from the original on 2019-01-04. Retrieved 2019-07-22. You only speak of a green eternal economic growth because you are too scared of being unpopular. You only talk about moving forward with the same bad ideas that got us into this mess, even when the only sensible thing to do is pull the emergency brake. You are not mature enough to tell it like it is. Even that burden you leave to us children. […] And if solutions within the system are so impossible to find, then maybe we should change the system itself."
  28. Thunberg, Greta (2019-12-15). "Greta Thunberg full speech at UN Climate Change COP24 Conference". Connect4Climate. Archived from the original on 2019-07-23. Retrieved 2019-07-22 – via YouTube.
  29. "We Don't Have Time – with Mårten Thorslund & Greta Thunberg". United Planet Faith & Science Initiative. 2018-12-08. Archived from the original on 2019-04-18. Retrieved 2019-03-22 – via YouTube.
  30. David Crowe (25 de setembro de 2019). «Morrison warns against 'needless anxiety' after Thunberg climate speech». The Sydney Morning Herald (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  31. Oliver Moody (26 de setembro de 2019). «World's leaders turn on Greta Thunberg after legal move over carbon emissions». The Times (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  32. Gaia Mellone (25 de setembro de 2019). «Greta Thunberg denuncia 5 paesi, ma Giuseppe Conte dice che un po' «sbaglia»». Giornalettismo.com (em italiano). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  33. «Climate campaigners 'greatest threat' to oil sector: OPEC». Web Archive (em inglês). 2 de julho de 2019. Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  34. Jonathan Watts (5 de julho de 2019). «'Biggest compliment yet': Greta Thunberg welcomes oil chief's 'greatest threat' label». The Guardian (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  35. Greta Thunberg (21 de julho de 2019). «Greta Thunberg: 'They see us as a threat because we're having an impact'». The Guardian (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  36. Alexis Feertchak (24 de setembro de 2019). «Climat: Emmanuel Macron reproche à Greta Thunberg d'«antagoniser nos sociétés»». Le Figaro (em francês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  37. Christopher Caldwell (2 de agosto de 2019). «The Problem With Greta Thunberg's Climate Activism». The New York Times (em inglês) 
  38. Steve Rendall (4 de setembro de 2019). «Who Gets to Review and Be Reviewed?». Fairness and Accuracy in Reporting (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  39. Madeline Grant (28 de setembro de 2019). «Greta Thunberg is the first saint of our cruel new environmental religion». The Daily Telegraph (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  40. «Greta Thunberg speech: French MPs boycott teen 'apocalypse guru'». BBC News (em inglês). 23 de julho de 2019. Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  41. Fontes múltiplas:
  42. Fontes múltiplas:
  43. G1 (10 de dezembro de 2019). «Ativista Greta Thunberg muda descrição no Twitter para 'pirralha' após declaração de Bolsonaro». G1.Globo. Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  44. Scott Waldman (9 de agosto de 2019). «Climate Deniers Launch Personal Attacks on Teen Activist». Scientific American (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  45. Aditya Chakrabortty (1 de maio de 2019). «The hounding of Greta Thunberg is proof that the right has run out of ideas». The Guardian (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  46. Kate Connolly (14 de maio de 2019). «Germany's AfD turns on Greta Thunberg as it embraces climate denial». The Guardian (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  47. Mattha Busby (15 de agosto de 2019). «Arron Banks jokes about Greta Thunberg and 'freak yachting accidents'». The Guardian (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  48. Gaby Hinsliff (17 de agosto de 2019). «How Greta Thunberg became the new front in the Brexit culture war». The Guardian. Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  49. Suyin Haynes (16 de maio de 2019). «'Now I Am Speaking to the Whole World.' How Teen Climate Activist Greta Thunberg Got Everyone to Listen». Time (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  50. Langmann, Elisabet; Säfström, Carl Anders (10 de dezembro de 2018). «Varför tar våldet aldrig slut och vad kan vi göra åt det?». Nordic Studies in Education. 38 (04): 337–351. ISSN 1891-5949. doi:10.18261/1891-2018-04-04 
  51. Gelin, Gustav (1 de novembro de 2018). «Därför nobbar Greta Thunberg klimatpriset». ETC (em sueco). Consultado em 3 de março de 2019 
  52. «TIME's 25 Most Influential Teens of 2018». Time (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  53. Fryshuset é um centro de atividades para jovens em Estocolmo, na Suécia, que oferece projetos sociais e programas educacionais.
  54. «Greta Thunberg blir Årets unga förebild». Aktuell Hållbarhet (em sueco). 22 de novembro de 2018. Consultado em 3 de março de 2019 
  55. «Årets Svenska Kvinna 2019». Årets Svenska Kvinna (ÅSK) (em sueco). 30 de março de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  56. Vagianos, Alanna (14 de março de 2019). «16-Year-Old Climate Activist Greta Thunberg Nominated For Nobel Peace Prize». HuffPost (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  57. «Greta Thunberg: conheça a adolescente indicada ao Nobel da Paz». Revista Galileu. Consultado em 25 de setembro de 2019 
  58. «Conheça a adolescente indicada ao Nobel da Paz por mobilização contra mudanças climáticas». O Globo. 15 de março de 2019. Consultado em 25 de setembro de 2019 
  59. «Aos 16, sueca ativista do clima é indicada ao Nobel da Paz - Internacional». Estadão. Consultado em 25 de setembro de 2019 
  60. «Greta Thunberg—Swedish Teen who Inspired School Climate Strikes—Nominated for Nobel Peace Prize». EcoWatch (em inglês). 14 de março de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  61. Welle (www.dw.com), Deutsche. «Greta Thunberg wins German Golden Camera award - DW - 31.03.2019». DW.COM (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  62. «Teen climate activist gets Normandy's first Freedom Prize». AP NEWS. 21 de julho de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  63. «Ativista sueca Greta Thunberg recebe prêmio na França». R7.com. 21 de julho de 2019. Consultado em 29 de julho de 2019 
  64. Rodrigo, Chris Mills (22 de julho de 2019). «Greta Thunberg receives Normandy's Freedom Prize, donates prize money to climate groups». TheHill (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  65. «Swedish Climate Activist Will Use Prize Money from Norway to Sue Norway». The Nordic Page (em inglês). 24 de abril de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  66. «Greta Thunberg: The 100 Most Influential People of 2019». TIME (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  67. fundacionmilarepachile (20 de abril de 2019). «Greta Thunberg Winner of the Laudato Si' Prize 2019!». Fundacion Milarepa Chile (em espanhol). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  68. «Greta Thunberg -- The Webby Awards» (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  69. «Belgian university will honour young climate-activist Greta Thunberg». The Brussels Times (em inglês). 16 de maio de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  70. «La rentrée académique de l'UMONS du 10/10/2019 placée sous le signe du développement durable et des 10 ans de la fusion». Université de Mons (em francês). 2 de setembro de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  71. «Giant Greta mural painted in Bristol». BBC News (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  72. P3. «Um retrato de 15 metros para homenagear Greta Thunberg». PÚBLICO. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  73. Haynes, Suyin. «How Teen Climate Activist Greta Thunberg Got Everyone to Listen». TIME.com. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  74. Gilliver, Liam. «Greta Thunberg On The Cover Of TIME: 'Now I Am Speaking to the Whole World'». Vegan News, Plant Based Living, Food, Health & more (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  75. «Make the world Greta again». My Green Pod - Sustainable & ethical news, products & lifestyle hub (em inglês). 27 de maio de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  76. «Make The World Greta Again». Video (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  77. «Climate activists Greta Thunberg and the Fridays for Future movement honoured with top Amnesty International award». www.amnesty.org (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  78. «Greta Thunberg wins Amnesty International award - CBBC Newsround» (em inglês). 10 de dezembro de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  79. «Greta Thunberg and Fridays for Future receive Amnesty International's top honour». www.amnesty.org (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  80. «Greta Thunberg wins prestigious Scottish award». HeraldScotland (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  81. «Honorary Fellowship». The Royal Scottish Geographical Society (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  82. «Meghan Markle puts Sinéad Burke on the cover of Vogue's September issue». The Irish Times (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  83. «Greta Thunberg to receive the first Game Changer Award at GQ Men of the Year Awards 2019». British GQ (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  84. «Climate activist Greta Thunberg wins 'alternative Nobel Prize'». Reuters (em inglês). 25 de setembro de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  85. a b «Greta Thunberg "incredibly honoured" to receive key to city of Montreal - News». dailyhive.com (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  86. «New beetle named after Greta Thunberg» (em inglês). 25 de outubro de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  87. Darby, Michael (2019). «Studies of Ptiliidae (Coleoptera) in the Spirit Collection of the Natural History Museum, London, 6: New species and records collected by W.C. Block in Kenya and Uganda, 1964–1965». Entomologist's Monthly Magazine. 155 (4): 239–257. doi:10.31184/M00138908.1554.3999 
  88. KidsRights. «Desmond Tutu Announces the Winners of the International Children's Peace Prize 2019: Greta Thunberg (16) From Sweden and Divina Maloum (14) From Cameroon». www.prnewswire.com (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  89. «Climate activist Greta Thunberg wins children's award». CityNews Edmonton. 4 de outubro de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  90. Milman, Oliver (9 de outubro de 2019). «Greta Thunberg, favourite to win Nobel peace prize, honoured at Standing Rock». The Guardian (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  91. Hurtado, Daniela. «Swedish climate activist Greta Thunberg visits Standing Rock». www.kfyrtv.com (em english). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  92. «Woman Who Came From the Heavens visits Standing Rock». KX NEWS (em inglês). 9 de outubro de 2019. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  93. CNN, Maddie Capron and Christina Zdanowicz. «Greta Thunberg declined a climate award because the world needs more action, fewer awards». CNN. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  94. «Greta Thunberg no Instagram: "I have received the Nordic Council's environmental award 2019. I have decided to decline this prize. Here's why: "I am currently traveling…"». Instagram. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  95. France-Presse, Agence (29 de outubro de 2019). «'The climate doesn't need awards': Greta Thunberg declines environmental prize». The Guardian (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  96. «Greta Thunberg recusa prêmio por defesa do meio ambiente». Terra. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  97. Nast, Condé. «Tears of Triumph and Cheers for Change at the 2019 Glamour Women of the Year Awards». Vogue (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  98. Nast, Condé. «Jane Fonda Accepted an Award on Greta Thunberg's Behalf Last Night—And the Crowd Went Wild». Glamour (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  99. «Teen climate activist Greta Thunberg is Time's 2019 Person of the Year». NBC News (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2019 
  100. reporterEmailEmailBioBioFollowFollow, Hannah Knowles closeHannah KnowlesGeneral assignment. «Time's Person of the Year is its youngest ever: Greta Thunberg, the teen climate activist». Washington Post (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2019 
  101. em 11.12.19 13h22, Do Estadão Conteúdo 11 12 19 13h14-Atualizado. «Greta Thunberg é eleita personalidade do ano pela revista 'Time'». A Tribuna. Consultado em 11 de dezembro de 2019 
  102. «Greta Thunberg Is TIME's 2019 Person of the Year». Time (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2019 
  103. Editor-at-large, Analysis by Chris Cillizza, CNN. «Why Time picking Greta Thunberg will drive Donald Trump crazy». CNN. Consultado em 11 de dezembro de 2019 
  104. Thunberg, Greta (11 de dezembro de 2019). «Wow, this is unbelievable! I share this great honour with everyone in the #FridaysForFuture movement and climate activists everywhere. #climatestrike». @GretaThunberg (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2019 

Ligações externas