Greves contra a reforma da previdência na França em 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manifestantes em Orléans, 16 de outubro: pela retirada do projeto de lei.

As greves contra a reforma da previdência na França em 2010 são uma série de greves gerais e protestos na França iniciados em março de 2010 e intensificados durante os meses de setembro e outubro, contra a proposta do governo de aumentar a idade mínima de aposentadoria de sessenta para sessenta e dois anos que havia sido aprovada Assembleia e seria encaminhada a votação no Senado.[1]. As greves, de âmbito nacional, envolvem tanto trabalhadores do setor privado quanto do setor público. As manifestações ocorrem sobretudo nas cidades de Bordeaux, Lille, Lyon, Marseille, Paris e Toulouse. A proposta do governo também prevê aumento da idade mínima necessária para que os contribuintes da previdência social recebam pensão integral - de 65 para 67 anos. Os sindicatos argumentam que os mais pobres serão os mais afetados pela reforma.[2]

A reforma é contestada pelas oito principais centrais sindicais francesas: CGT, CFDT, FO, CFTC, CGC, UNSA, Solidários e FSU. Os setores mais mobilizados foram o da educação, transporte ferroviário, transporte urbano (ônibus) e telecomunicações.

As greves de 2010 foram comparadas às greves de 1995, e 70% da população apóia o movimento.[3] O secretário da CGT (Confederação Geral do Trabalho) Bernard Thibault declarou a La Chaîne Info: "Nunca houve, desde 1995, tantos manifestantes... do setores público e privado, e agora de todas as gerações. O governo está apostando na deterioração deste movimento ou no seu desmembramento. Eu penso que nós temos os meios para desapontá-lo."[4]

Onze dias de manifestações: os números do movimento[editar | editar código-fonte]

Manifestação de 12 de outubro de 2010, em Orléans.
Piquetes no liceu Victor Hugo de Besançon-Planoise, em 14 de outubro de 2010.

Desde março, onze dias de greves e protestos ocorreram até 20 de outubro. A expectativa é de que as greves continuem até antes da votação do projeto pelo Senado francês. O número de participantes dos protestos varia bastante, conforme a fonte - Ministro do Interior da França, polícia ou os sindicatos.[5]

A greve de 23 de setembro causou o cancelamento de mais de 50% dos voos nos aeroportos, em Paris e outras cidades.[6] Metade das corridas dos trens de longa distância foram canceladas.[7]

Uma greve prolongada de coletores de lixo levou ao acúmulo de resíduos ao redor do porto de Marselha.[3] A greve já dura pelo menos três semanas.[8]

Estudantes começaram sua participação nos protestos ao longo do mês outubro, com uma em cada quinze escolas no país sendo afetada em meados do mês.[3] A polícia atirou balas de borracha no olho de um estudante de dezesseis anos em Montreuil, no subúrbio de Paris, quase causando a perda de seu olho; outros estudantes relataram também terem sido feridos.[4] A polícia também jogou gás lacrimogêneo em jovens estudantes em Lyon, durante atos capturados pelas câmeras de televisão.[4] No dia seguinte, foi a primeira ocasião em que os protestos ocorreram em um sábado.[9]

Em 16 de outubro, após cinco dias de greves, o governo francês admitiu que o estoque de combustível do Aeroporto de Paris-Charles de Gaulle estava a ponto de se esgotar, ao mesmo tempo que exortou a população a "não entrar em pânico".[10][4]

Cronologia das manifestações[editar | editar código-fonte]

Data Participantes
(menor estimativa)[5]
Participantes
(maior estimativa)[5]
07/09/2010 1,2 milhão 2,7 milhões
23/09/2010 1 milhão 3 milhões
02/10/2010 900.000 3 milhões
12/10/2010 1,2 milhão 3,5 milhões
16/10/2010 825.000 3 milhões
19/10/2010 1,1 milhão 3,5 milhões
  • 23 de março: 800.000 manifestantes em toda a França, segundo a CGT, e 395.000[11], dos quais 31.000 em Paris, segundo o Ministério do Interior [12], no primeiro dia de greve de protesto contra o projeto governamental de reforma das aposentadorias.
  • 1º de maio: segundo a CGT, cerca de 300.000 pessoas em 280 passeatas organizadas no interior do país, pela defesa das aposentadorias.
  • 27 de maio : um milhão de manifestantes, segundo a CGT; 395.000, segundo o Ministério do Interior [13].
  • 15 de junho: 23.000 pessoas, segundo a polícia, ou mais de 70.000, segundo o sindicato Confédération générale du travail - Force ouvrière (FO) [14].
  • 24 de junho: 1,9 milhão de manifestantes em 200 manifestações[15] segundo a CGT;[16] 797.000, segundo o Ministério do Interior[17].
  • 7 de setembro: 2,7 milhões de manifestantes, segundo a CGT; 2,5 milhões, segundo a Confédération française démocratique du travail (CFDT)[18] em 220 manifestações[15], e 1,1 milhão, segundo o Ministério do Interior.[15].
  • 23 de setembro: cerca de 3 milhões de manifestantes de acordo com a CGT e a CFDT[19], sendo 300.000 na manifestação parisiense[20]. Segundo o ministério, havia 997.000 manifestantes[21], dos quais 65.000 em Paris.[22]
  • 2 de outubro : 3 milhões de manifestantes segundo a CGT; 899.000, segundo o Ministério,[23], distribuídos em 240 cidades.
  • 12 de outubro: os sindicatos reivindicam 3,5 milhões de manifestantes, sendo 330.000 em Paris. Segundo o Ministério do Interior, 1,23 milhões (89.000 em Paris). Estudantes secundários e universitários juntam-se às passeatas e começam a realizar manifestações diárias.
Protesto em Paris, 16 de outubro.
  • 16 de outubro: « quase 3 milhões » de manifestantes segundo a CGT, e 2.500.000, conforme a CFDT[24] e 825000, segundo o ministro do Interior.[25]
  • 19 de outubro: as oito confederações sindicais reúnem 3,5 milhões de manifestantes, segundo a CFDT[26] e a CGT,[27] em 266 cidades[28] (ou 1,1 milhão, de acordo com o Ministério), enquanto "operações tartaruga" ocorrem por toda a França.[29].

Referências

  1. «Millions take to streets in protest of pension reforms in France». Xinhua News Agency. 3 de outubro de 2010. Consultado em 3 de outubro de 2010 
  2. «French hold a third day of protest against pension reform». BBC News. BBC. 2 de outubro de 2010. Consultado em 2 de outubro de 2010 
  3. a b c «France hit by new wave of mass pension protests». BBC News. BBC. 16 de outubro de 2010. Consultado em 16 de outubro de 2010 
  4. a b c d «Paris airport running short on fuel». Al Jazeera. 16 de outubro de 2010. Consultado em 16 de outubro de 2010 
  5. a b c «French police frustrated by new strike blockades». BBC News. BBC. 20 de outubro de 2010. Consultado em 20 de outubro de 2010 
  6. «French unions in new set of strikes». Al Jazeera. 24 de setembro de 2010. Consultado em 24 de setembro de 2010 
  7. «Unions in fresh wave of strikes over bill to raise retirement age». France 24. 23 de setembro de 2010. Consultado em 23 de setembro de 2010 
  8. «French workers strike against pension reforms». euronews. 12 de outubro de 2010. Consultado em 12 de outubro de 2010 
  9. «Students and families join French pension protests». Reuters. 2 de outubro de 2010. Consultado em 2 de outubro de 2010 
  10. «Paris airport fuel running short amid pension strikes». BBC News. BBC. 16 de outubro de 2010. Consultado em 16 de outubro de 2010 
  11. http://info.france2.fr/france/manif--plus-que-le-1er-mai-moins-que-fin-2009-63241717.html
  12. http://www.lejdd.fr/Societe/Social/Actualite/Retraites-L-executif-conforte-196200/
  13. http://www.liberation.fr/societe/0101637960-retraites-thibault-cgt-appelle-a-la-la-resistance
  14. http://www.20minutes.fr/article/578253/Societe-Journee-de-mobilisation-de-FO-peu-de-grevistes-en-France-mais-des-manifestants-a-Paris.php
  15. a b c http://www.liberation.fr/economie/01012288707-le-trafic-ferroviaire-conforme-aux-previsions
  16. http://www.20minutes.fr/article/580813/Societe-Mobilisation-du-24-juin-contre-la-reforme-des-retraites-suivez-la-journee-en-direct.php
  17. http://www.lemonde.fr/societe/portfolio/2010/06/24/vos-photos-des-manifestations-du-24-juin_1378340_3224.html
  18. « Grève: 2,5 millions de manifestants en France selon la CFDT », L'Express, 7 septembre 2010.
  19. http://www.lejdd.fr/Societe/Social/Depeches/Retraites-2-9-millions-de-manifestants-CFDT-224225/
  20. http://www.lepoint.fr/les-syndicats-crient-victoire-apres-les-manifestations-23-09-2010-1240512_19.php
  21. « Retraites : la bataille des chiffres », Le Parisien, 23 septembre 2009.
  22. http://www.leparisien.fr/economie/retraites/retraites-la-bataille-des-chiffres-23-09-2010-1080059.php
  23. http://www.rue89.com/2010/10/02/nouvelle-journee-de-mobilisation-contre-la-reforme-des-retraites-169191
  24. « France - De 2,5 à près de 3 millions de manifestants /syndicats », Reuters, 16 ode outubro de 2010.
  25. http://tempsreel.nouvelobs.com/actualite/social/20101016.FAP9610/retraites-entre-825-000-et-trois-millions-de-manifestants-ce-samedi-en-france-selon-les-sources.html
  26. Retraites : près de 3,5 millions de manifestants selon la CFDT, Le Télégramme de Brest, 19 de outubro de 2010
  27. http://www.lefigaro.fr/conjoncture/2010/10/19/04016-20101019ARTFIG00380-mobilisation-en-legere-baisse-a-la-mi-journee.php
  28. Manifestation 19 octobre Paris: les 2 parcours
  29. Opération escargot : la France vers le blocage général ?
Ícone de esboço Este artigo sobre a França é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.