Grito dos Excluídos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Integrantes de movimentos sociais caminham na 21º marcha Grito dos Excluídos, após o desfile cívico-militar do 7 de setembro, na Avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro (Fernando Frazão/Agência Brasil)

O Grito dos Excluídos é um conjunto de manifestações populares que ocorrem no Brasil, desde 1995, ao longo da Semana da Pátria, que culminam com o Dia da Independência do Brasil, em 7 de setembro. Estas manifestações têm como objetivo dar visibilidade aos excluídos da sociedade, denunciar os mecanismos sociais de exclusão e propor caminhos alternativos para uma sociedade mais inclusiva[1][2].

Sua origem remonta à Segunda Semana Social Brasileira, promovida pela Pastoral Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realizada entre 1993 e 1994, quando estava à frente da Pastoral Social o bispo Dom Luiz Demétrio Valentini. Embora a iniciativa esteja diretamente ligada à CNBB, desde o início diversos organismos participam do movimento: as igrejas do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, movimentos sociais, organizações e entidades envolvidas com a justiça social[3][4].

As manifestações são variadas: celebrações, atos públicos, romarias, caminhadas, seminários e debates, teatro, música, dança e feiras de economia solidária.

Lemas[editar | editar código-fonte]

  • 1995 – A Vida em primeiro lugar
  • 1996 – Trabalho e Terra para viver
  • 1997 – Queremos justiça e dignidade
  • 1998 – Aqui é o meu país
  • 1999 – Brasil: um filho teu não foge à luta
  • 2000 – Progresso e Vida Pátria sem Dívida$
  • 2001 – Por amor a essa Pátria Brasil
  • 2002 – Soberania não se negocia
  • 2003 – Tirem as mãos… o Brasil é nosso chão
  • 2004 – BRASIL: Mudança pra valer, o povo faz acontecer
  • 2005 – Brasil em nossas mãos a mudança
  • 2006 – Brasil: na força da indignação, sementes de transformação
  • 2007 – Isto não Vale: Queremos Participação no Destino da Nação
  • 2008 – Vida em primeiro lugar Direitos e Participação Popular
  • 2009 – Vida em primeiro lugar: A força da transformação está na organização popular
  • 2010 – Vida em primeiro lugar: Onde estão nossos Direitos? Vamos às ruas para construir o projeto popular
  • 2011 – Pela vida grita a TERRA… Por direitos, todos nós!
  • 2012 – Queremos um Estado a Serviço da Nação, que garanta direitos a toda população
  • 2013 – Juventude que ousa lutar constrói projeto popular
  • 2014 – Ocupar ruas e praças por liberdade e direitos
  • 2015 - Que país é este, que mata gente, que a mídia mente e nos consome?
  • 2016 - Este sistema é insuportável. Exclui, degrada, mata![5]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre o Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.