Gro Harlem Brundtland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gro Harlem Brundtland
Foto: Harry Wad.

Gro Harlem Brundtland (Bærum, 20 de abril de 1939) é uma política, diplomata e médica norueguesa, e um líder internacional em desenvolvimento sustentável e saúde pública. Foi membro do Partido dos Trabalhadores da Noruega (social-democratas) desde a sua juventude. Em fevereiro de 1981 tornou-se a primeira mulher chefe de governo do seu país, sendo atualmente enviada especial para as Alterações Climáticas da ONU.[1]

Terminou em 1963 os estudos superiores na Escola Médica da Universidade de Oslo e, em 1965 obteve o grau de Mestre em Saúde Pública na Universidade de Harvard. Entre 1966 e 1969, trabalhou como médica do departamento de saúde, (Helsedirektoratet), tendo posteriormente sido responsável pelos serviços de saúde escolar de Oslo.

Em 1974 é nomeada ministra do Ambiente, e em 1981 é nomeada Primeira Ministra da Noruega. Ocupou o cargo entre fevereiro e Outubro, altura que que os sociais democratas saem derrotados nas eleições parlamentares, tendo sido até a data a única mulher a chefiar um governo norueguês. Nas eleições de 1985, o seu partido saiu vencedor, mas a coligação de Kåre Willoch obteve a maioria parlamentar por um só voto de diferença. Entre 1986 e 1989 dirigiu um governo minoritário socialista. Entre 1983 e 1987 presidiu à Comissão Brundtland, da Organização das Nações Unidas, dedicada ao estudo do meio ambiente e a sua relação com o progresso. Em 1990, ocupou novamente a chefia do governo ao derrotar M. Syse.

No dia 18 de março de 1992, numa viagem com uma caravana de jovens noruegueses a Manaus (Amazonas), ela plantou um dos marcos inaugurais do Parque do Mindu, uma sumaumeira. A árvore hoje é um símbolo da defesa da ecologia e do rompimento de limites fronteiriços.

Em 1992 abandonou a direcção do Partido dos Trabalhadores da Noruega.

Na consulta popular sobre a integração da Noruega na União Europeia (em 1994) adotou uma posição positiva, apesar do resultado final ter sido desfavorável.

Referências

  1. UN Secretary-General Ban Ki-moon Appoints Special Envoys on Climate Change (maio 2007). Página visitada em 24 janeiro de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]