Grupo Mateus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grupomateus logo.jpg
Você no coração da gente!
Tipo Privada
Slogan Somos um só coração
Indústria Atacado e Varejo
Fundação 31 de agosto de 1986 (31 anos)
Sede São Luís MA
Locais Maranhão, Piauí, Pará
Presidente Ilson Mateus Rodrigues
Faturamento R$ 4,2 bilhões (2016)[1]
Website oficial http://www.grupomateus.com.br/

O Grupo Mateus é um grupo empresarial brasileiro. Com 51 empreendimentos no Maranhão, Pará e Piauí o grupo emprega mais de 15.000 mil pessoas. É a 21ª maior empresa varejista do país, e 7ª dentro do segmento Super, Hiper e Atacado, segundo ranking do Ibevar em 2013.[2]

O grupo mantém lojas de atacado ("Armazém Mateus"), varejo ("Supermercados Mateus") e "Mix Mateus" - um atacarejo de autosserviço tipo Cash and Carry. Atua ainda na indústria de panificação ("Bumba Meu Pão"), revenda de eletrodomésticos ("Eletro Mateus"), alimentação ("Food Service Mateus") e distribuição de produtos farmacêuticos ("Invicta", antiga Disprofarma).[3]

História[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Nos anos 1980, Ilson Mateus Rodrigues trabalhava como garimpeiro em Serra Pelada, no Pará. Nesse período foi informado sobre Balsas, cidade Maranhense promissora para o comércio e o agronegócio distante 833 km de São Luís, capital do estado.[4]

Em Balsas, no ano de 1986 Ilson Mateus inaugurou uma pequena merceária onde começou a vender pinga ao mesmo tempo em que cuidava desse comércio, fazia fretes levando produtos adquiridos em Imperatriz, a 636 km de São Luís, para serem comercializados em Balsas.[4]

Nesse período, o Brasil passava por uma série de transformações com a chegada do plano cruzado e Ilson Mateus precisava se firmar no mercado daquela região. Pensando nisso só havia uma alternativa: comprar a prazo de grandes distribuidores e vender à vista, além de investir em estoque.

Assim, em apenas dois anos, em 1988, a mercearia de 50 m², tornou-se um supermercado de médio porte. Neste momento, a cidade de Balsas estava em transformação pelo agronegócio da soja, novos moradores chegavam de diversas partes do Brasil. Para atender essa demanda crescente de consumidores, Ilson Mateus investiu no atacado e inaugurou o Armazém Mateus, firmando-se na região como, varejista e atacadista.[4]

Expansão no Estado[editar | editar código-fonte]

Em 2000 Ilson Mateus iniciou o processo de expansão da marca Mateus para outras cidades do Maranhão, sendo Imperatriz, segundo maior centro econômico populacional do Maranhão, a cidade escolhida. No mesmo ano foi iniciada as atividades de distribuição de Produtos Farmacêuticos e inaugurou o primeiro Hipermercado do sul do estado, o Hiper Mateus na cidade de Balsas, com 3.414m² de área de vendas.

Em 2002 foi inaugurada na cidade Santa Inês, a 243 km da capital maranhense, uma nova loja, que pela sua proximidade com São Luís, passou a ser um importante ponto estratégico de expansão.

Com os bons resultados alcançados, em 2003, o empreendedor inaugurou mais uma loja na cidade de Imperatriz.[4]

Em uma oportunidade de negócios, Ilson Mateus adquiriu duas lojas em São Luís em bairros distintos, na Cohab, bairro popular da capital e no emergente bairro comercial Renascença. Com a estratégia de oferecer "um maior mix de produtos com o melhor custo benefício", os ludovicenses tiveram uma aceitação impressionante com a marca, fato que contribuiu para o Grupo Mateus inaugurar mais cinco lojas na capital no espaço de tempo de três anos, sendo, duas em 2004, duas em 2006 e uma em 2007.

Crescimento do Grupo[editar | editar código-fonte]

Ainda em 2007, o Grupo Mateus, com foco na padronização e na qualidade dos produtos disponibilizados nas lojas de todo o estado, investiu em um centro de panificação inaugurando a Indústria de Pães “Bumba Meu Pão”, localizada no Distrito Industrial da capital maranhense. No mesmo ano, a rede supermercadista, em plena expansão, levou para as cidades de Imperatriz e Balsas o sistema cash and carry, conhecido popularmente como Atacarejo, seguimento que leva a marca Mix Mateus.

Em 2008, a primeira loja Mix Mateus foi inaugurada em São Luís, no bairro do João Paulo, local tradicionalmente conhecido pelo comércio atacadista, e mais duas lojas do Mateus Supermercados abrem suas portas em Imperatriz.[4]

Expansão além do Maranhão[editar | editar código-fonte]

Indiferente à crise financeira mundial, o Grupo Mateus manteve seus projetos de expansão no estado. Em abril de 2009, o Grupo Mateus chega à cidade de Açailândia, o terceiro maior PIB do estado do Maranhão e o oitavo mais populoso. Em 2010, investiu no segmento especializado de eletroeletrônicos, eletrodomésticos, bazar e móveis, inaugurando duas lojas próprias com a marca Eletro Mateus, em São Luís e Imperatriz.

O Grupo Mateus, em pleno amadurecimento de seu plano de expansão, encerrou o ano de 2010 com 23 lojas entre atacado e varejo, com operações em 06 cidades do Maranhão. Com o Armazém Mateus finalizou 2010 atuando em quatro estados: Maranhão, Pará, Tocantins e Piauí e a Invicta – distribuidora farmacêutica operando nos estados do Maranhão, Pará e Piauí.[4]

Já em 2011, o Grupo Mateus diversificou seus negócios e fechou parceria com o Bradesco, lançou no mercado o cartão de crédito Mateus Card.[5] No mesmo ano, o grupo ampliou a Indústria de Pães na capital, triplicando sua capacidade de produção para 900 mil kg/mês e inaugurou mais quatro lojas no Maranhão, sendo: três na capital e uma em Imperatriz.

Em 2012, o Grupo Mateus ultrapassou as fronteiras de seu estado de origem e inaugurou duas lojas no seguimento varejista na região Norte do país. A cidade de Palmas, no Tocantins, foi a primeira fora do estado a ter experiências com a rede maranhense. Após cinco anos funcionando em Palmas, o grupo mateus confirmou o encerramento de suas atividades na capital tocantinense. Em março de 2017 o grupo confirmou o fechamento de seu supermercado em Tocantins, com consequência em tormo de 400 pessoas ficaram desempregadas.[6]

A cidade de Marabá, no sul do Pará, recebeu a segunda loja, marcando a entrada do Grupo Mateus no território paraense e também outra em Parauapebas. Ainda, em 2012, no Maranhão, foram inauguradas 10 lojas, sendo, 07 Eletro Mateus, 02 Mateus Supermercados e 01 Mix Mateus, fechando o ano de 2012, com um saldo positivo de 12 inaugurações.

No primeiro semestre de 2013, o Grupo Mateus inaugurou sua segunda loja em Marabá, no Pará, desta vez no segmento Autosserviços, e o Eletro Mateus, chegou à cidade de Grajaú e Santa Luzia do Tide, no estado do Maranhão. O segundo semestre iniciou com novas inaugurações. Em agosto, foram abertas a Super Turu, em São Luís, e o Mix Mateus Santa Inês, na estratégica cidade de Santa Inês.

Em setembro de 2016 mais uma loja Eletro Mateus foi inaugurada, agora na cidade de Bacabal - MA.

Em Dezembro de 2016 o grupo Mateus inaugura mais duas lojas, uma na cidade de Castanhal - PA, outra na cidade de Belém, a primeira na capital do Estado do Pará e em 2017 inauguraram uma em Ananindeua.[7] E também inauguraram o Mix Mateus Altamira no dia 31 de Março de 2017. No dia 6 de Março de 2017 o Supermercado Mateus de Palmas fecha deixando mais de 400 desempgados.

Números[editar | editar código-fonte]

Atualmente, o Grupo Mateus é considerado a maior rede regional com capital 100% nacional e opera nos segmentos de Varejo (com a bandeira Mateus Supermercados), Atacarejo (bandeira Mix Mateus), Eletroeletrônicos, Eletrodomésticos, Móveis e Confecções (bandeira Eletro Mateus), Indústria de Pães (bandeira Bumba Meu Pão), Distribuição de Produtos Farmacêuticos (bandeira Invicta) e Atacado (bandeira Armazém Mateus) – este último garante, com uma frota própria de 235 caminhões, a distribuição de produtos para os estados do Pará, Piauí, Tocantins e Maranhão. Para atender a demanda dessa grande estrutura, o Grupo Mateus dispõe de 03 Centros de Distribuição, totalmente automatizados que garantem o abastecimento com agilidade e eficiência. Hoje, o Grupo Mateus conta com mais de 15 mil funcionários e está presente em quatro estados: Maranhão, Tocantins, Pará e Piauí e mantém 51 empreendimentos em sua plataforma de operação.[8]

Lojas[editar | editar código-fonte]

Maranhão

Pará

Piauí

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Em 2016 o grupo Mateus foi investigado pelo um esquema de doação para campanhas eleitorais. Durante as investigações descobriu apenas que o Grupo Mateus foi beneficiado em esquema criminoso que atuava dentro da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), Segundo a denúncia o grupo Mateus firmou um acordo judicial com a então governadora do Maranhão, Roseana Sarney, com aval dos procuradores do Estado, Marcos Alessandro Coutinho Passos Lobo, Helena Maria Cavalcanti Haickel e Ricardo Gama Pestana, que gerou aos cofres da Fazenda Estadual um rombo em torno de 153 milhões de reais entre os anos de 2009 a 2014, Segundo a 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Tributária e Econômica.[9]

Segundo nota oficial da Mateus "As operações fiscais realizadas pelo Grupo com o Estado se pautam dentro da total legalidade e transparência, respeitando as legislações vigentes e os princípios éticos da nossa empresa, que busca sempre contribuir para o desenvolvimento econômico e social nas comunidades onde atuamos . O Mateus ressaltou seu compromisso com o Maranhão, onde emprega cerca de 20 mil pessoas e é o maior gerador de ICMS no ramo do varejo" fecha nota.[10]

Referências

  1. «Supermercado Moderno: Rede Brasil S.A. O que aprender com essa central». sm.com.br. Consultado em 10 de fevereiro de 2011 
  2. «Ranking Ibevar 2013» (PDF). www.pwc.com.br. Consultado em 10 de fevereiro de 2011 
  3. «O Imparcial Online - Grupo Mateus anuncia investimento de R$ 30 mi». oimparcialonline.com.br. Consultado em 10 de fevereiro de 2011 
  4. a b c d e f «Grupo Mateus | Varejo, Atacado, Indústria de Pães e Eletro». www.grupomateus.com.br. Consultado em 1 de janeiro de 2017 
  5. «Bradesco fecha parceria com Grupo Mateus». 2010. Consultado em 1 de Janeiro de 2017 
  6. «Supermercado Mateus fecha e cerca de 400 pessoas ficarão sem emprego». Tocantins. 6 de março de 2017 
  7. admin. «Grupo Mateus já está presente em Belém e Castanhal». Notícia Virtual 
  8. «Grupo Mateus | Varejo, Atacado, Indústria de Pães e Eletro». www.grupomateus.com.br. Consultado em 1 de janeiro de 2017 
  9. http://wersus.com.br/, Wersus Interactive | (3 de novembro de 2016). «Esquema de fraude no pagamento dos impostos beneficiou o Grupo Mateus em mais de R$ 150 milhões - Luís Cardoso - Bastidores da notícia». Luís Cardoso - Bastidores da notícia 
  10. D'Eça, Marco Aurélio (5 de novembro de 2016). «"Operações fiscais se pautam na legalidade", garante Grupo Mateus…». Marco Aurélio D'Eça. Consultado em 31 de março de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]